A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

31/03/2014 06:43

De olho no sucesso alheio, ele voltou para MS e vende "Caldo de Pinto"

Anny Malagolini
Caldo Levanta Defunto (Foto: Marcos Ermínio)Caldo "Levanta Defunto" (Foto: Marcos Ermínio)

A aposta foi na periferia, na esperança de ter uma boa clientela, assim como o concorrente do mesmo bairro. Pode até parecer estranho, mas foi no sucesso do colega que Dilson Brabosa encontrou uma fonte de renda, mas em lados distintos.

Veja Mais
Bar serve comida alemã e cliente ainda pode conhecer fábrica de cerveja
Mistura de peruana com oriental, tendência para 2017 é cozinha que une 2 países

Aos 52 anos, ele passou mais de uma década morando em Paulínia, cidade do interior de São Paulo. Tinha um restaurante que vendia caldos, mas ao receber notícias de que havia um comércio também desse tipo de prato em Campo Grande, ele e a família fizeram as malas e voltaram à Capital, há seis meses para criar o "Mr. Cuty".

O bom exemplo, no caso, veio com o “Rocha’s caldos”. Pode até parecer olho gordo, mas ele confessa sem vergonha: “Quis voltar porque vi que ele estava bem”.

Em Paulínia, ele conta que chegou a oferecer 90 tipos de caldos, inclusive de capivara, de fornecedor certificado. Mas em Campo Grande, como a venda da carne do animal, um símbolo da cidade, é proibida, e não ele não conseguiu encontrar criadores, acabou tirando do cardápio.

Mas ficaram alguns diferentes, como o Caldo de Pinto e a combinação de ingredientes que têm fama de serem afrodisíacos, como o ovo de codorna, amendoim e frango. Já o de "Kenga", tem linguiça toscana com sabor principal.

Aqui, também ficou o caldo feito com carne de jacaré, que custa R$ 20,00, além de tradicionais, como de mocotó, que sai por R$ 10,00. Há também "Vaca Atolada" e a tradicional canja. Em dias de promoção, há sabores por R$ 4,90.

No cardápio do "Mr. Cuty", a principal diferença de todas as receitas é a consistência, dada pelo creme de mandioca.

Segundo o dono, já é hora do campo-grandense recuperar o hábito de, na madrugada, sair de uma balada, por exemplo, e ir tomar caldo. "Antes, havia vários estabelecimentos que serviam o prato. Mas o sobá tomou o lugar dos caldos”.
Cada prato contém cerca de 500 ml de caldo e, além disso, o local também vende pizzas e lanches.

O restaurante fica na varanda de casa, um imóvel simples na rua Cataguases, 128, bairro Novos Estados, região norte da cidade.

O comerciante ensinou o Lado B a preparar outro clássico, o caldo de Mocotó; anote os ingredientes:

Ingredientes:

2 pés de Mocotó
2 quilos de mandioca cozida
Cebolinha a gosto
Temperos a gosto

Preparo:

Corte e cozinhe a mandioca em 4-5 xícaras de água até ficar macia. Escorra, deixe esfriar e bata no liquidificador com a água do cozimento.Passe vinagre e limão no mocotó e lave com água. Reserve. Em uma panela de pressão, cozinhe o mocotó até chegar ao ponto de geleia; isso demora cerca de 4 horas. Depois de cozido, deixe esfriar, e misture a geleia com o creme de mandioca, e bata no liquidificador. E uma panela, adicione os temperos de sua preferência. Em outra panela, cozinhe o restante do mocotó em cubos. Depois de pronto, misture ao creme, e salpique cebolinha por cima e está pronto. O caldo rende 10 porções.

Dilson é o dono do restaurante (Foto: Marcos Ermínio)Dilson é o dono do restaurante (Foto: Marcos Ermínio)



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.