A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

24/04/2016 15:55

Durante operação, polícia apreende 1,6 km de redes e solta 30 kg de pescado

Caroline Maldonado
No total, PMA apreendeu 1,6 km de redes de pesca, somente ontem (Foto: Divulgação/PMA)No total, PMA apreendeu 1,6 km de redes de pesca, somente ontem (Foto: Divulgação/PMA)

Durante a operação Tiradentes, policiais militares ambientais apreenderam 36 redes de pesca armadas, medindo ao todo 1,6 mil metros, a menos de 1.500 metros do lago da usina Sérgio Motta, no rio Paraná. As apreensões ocorreram em Batayporã, a 311 quilômetros de Campo Grande. 

Veja Mais
No primeiro mês de piracema, PMA registra aumento de 100% nas apreensões
Segunda-feira de tempo claro e com possibilidades de chuvas à tarde, em MS

Com isso, foram soltos 30 quilos de pescado, que estavam vivos e presos às redes. Segundo a PMA (Polícia Militar Ambiental), o uso de petrechos proibidos do tipo redes de pesca é muito comum na região, pois, nos lagos das usinas hidrelétricas do Rio Paraná, a rede é permitida para o pescador profissional. No entanto, elas devem estar identificadas e com malha de tamanho a partir de 140 milímetros.

Conforme a polícia, muitos pescadores profissionais armam redes com malha menor à permitida e não identificam. Além disso, há pescadores amadores que usam estes petrechos sem previsão legal, o que é crime ambiental.

Também ocorre de os pescadores armarem redes emendadas, às vezes com mais de 2 quilômetros, sendo que a legislação permite no máximo 100 metros, localizadas, a pelo menos, 150 metros uma da outra.

A fiscalização reforçada faz parte da operação Tiradentes, que tem 310 militares nos rios do Estado, durante o feriado. A ideia é autuar os pescadores antes mesmo que capturem os peixes.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions