A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

30/06/2016 21:09

Ibama vê irregularidade e autorização para extração de madeira é suspensa

Nyelder Rodrigues

O Imasul ( Instituto de Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), órgão responsável pela fiscalização ambiental do Governo do Estado, suspendeu nesta quinta-feira (30) a autorização para exploração de madeira em uma fazenda em Bodoquena por haver irregularidades na concessão, constatadas pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente).

Veja Mais
Fazendeiro é multado em R$ 7,2 mil por explorar madeira ilegalmente
Paulista derruba Ipê e tenta explorar madeira, mas é multado

A autorização foi emitida em 3 de março deste ano, permitindo então que fosse realizada na área, localizada entre a Parque Nacional da Serra da Bodoquena e a reserva indígena Kadiwéu, extração de madeira. Porém, o Ibama recebeu informações sobre a situação e, ao checá-la, percebeu que o autorização não deveria ter sido emitida.

"Fomos ao local, foi feita uma vistoria técnica, feito outro levantamento, e aquela área não poderia ser explorada. Então ela foi embargada há um mês. Ali é uma área de Mata Atlântica e tem uma legislação própria", frisa o agente ambiental federal do Ibama, Werneck Almada.

A chefe de fiscalização do Ibama, Joanice Battilani, explica o levantamento contou inclusive com geoprocessamento, e que o volume de retirada de madeira que constava no projeto aprovado era muito elevada, permitindo extração de 106 mil m³ dali.
"A proprietária estava amparada pela autorização, mas diante dos indícios de irregularidade, apuramos e comunicamos ao Imasul. Agora, tem a questão da jurídica para saber qual será a destinação para a madeira já explorada", comenta a chefe de fiscalização do Ibama.

Joanice também afirma que tanto Ibama quanto Imasul abriram procedimento interno para apurar como o projeto foi aprovado, mesmo se tratando de uma área em que a extração não poderia ser feita e o documento permitindo grande volume madeira. "Por ora não é possível dizer nada, se houve falha. É um procedimento demorado, de análise", indica.

A reportagem tentou contato telefônico com a direção do Imasul para obter um posicionamento sobre a questão, porém, não conseguiu êxito nas chamadas até o fechamento deste texto.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions