A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

26/05/2014 17:21

Rio Paraguai sobe até 10 centímetros por dia em Porto Murtinho

Mariana Lopes
Escola na Ilha Margarita, onde alunos precisam de canoa para chegar ao local (Foto: Carlos Almirón)Escola na Ilha Margarita, onde alunos precisam de canoa para chegar ao local (Foto: Carlos Almirón)

Na região de Porto Murtinho, o nível da água sobe de 8 a 10 centímetros por dia no rio Paraguai, que registra 6,32 metros de altura. Isso significa 2,78 metros acima do nível habitual do rio. Embora os números sejam altos, segundo a Capitania Fluvial do município, a marca ainda não representa ameaça.

Veja Mais
Rio atinge marca prevista para junho, o que indica cheia histórica
Atingidas pela cheia, famílias ribeirinhas recebem ajuda médica e assistencial

Nesse ponto, explica a Capitania, o rio começa a encher mais quando se iniciar a vazante na estação de Ladário, onde a cheia já ultrapassa em 21 centímetros da marca prevista para o início de junho. Conhecido como “efeito onda”, por sua vez, a água do rio na região de Ladário só começa a baixar depois da vazante da estação de Cáceres, no Mato Grosso, que já começou. Em outra estação do estado vizinho, em Bela Vista do Norte, a variação do rio estacionou. O período de cheia vai até julho.

Segundo o comandante da Agência Fluvial de Porto Murtinho, capitão Antônio Fernando Costa, em reunião com a Defesa Civil do município na tarde de ontem, foi discutida a situação na região. Embora Porto Murtinho não corra o risco inundações, por causa do dique construído em volta da cidade, a preocupação é com a Ilha Margarita, que fica na fronteira com o Paraguai e está 60% debaixo de água.

Na ilha, cerca de 700 famílias são afetadas por inundações, que geralmente ocorrem nesta época do ano. Durante este período, muitos moradores da região vão para a casa de amigos ou parentes em Porto Murtinho, até a água baixar novamente.

A Secretaria Nacional de Emergência da Ilha Margarita registrou 110 famílias desabrigadas por causa enchente. Embora as escolas estejam cercadas por água, alguns alunos terem usar até canoas para chegar aos colégios, as aulas ainda não foram suspensas, fato também comum nesta época do ano.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions