A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 20 de Janeiro de 2017

06/10/2011 16:30

Murilo Zauith visita famílias que serão removidas de área ambiental em Dourados

Edmir Conceição (*)
Murilo conversa com moradores de área ambiental no Jardim Clímax. (Foto: A. Frota)Murilo conversa com moradores de área ambiental no Jardim Clímax. (Foto: A. Frota)

O prefeito de Dourados, Murilo Zauith visitou as 36 famílias que residem em uma área de preservação ambiental no Jardim Clímax e que serão removidas para o Residencial Estrela Tovy em aproximadamente 30 dias. Murilo conversou com os moradores, falou sobre o processo de remoção e o sistema que será adotado para o assentamento desse grupo nas novas casas, localizadas próximas ao Jardim Novo Horizonte.

Veja Mais
Governo do Estado entrega viaturas ao Corpo de Bombeiros nesta sexta
Armas e munições são apreendidas pela PRE com casal na rodovia MS-164

As casas ocupadas pelas famílias ficam em uma área de risco, entre a ruas Joaquim Teixeira Alves e Onofre Pereira de Matos, próximo ao Parque Antenor Martins, onde a prefeitura iniciou a abertura de uma avenida que vai interligar aquela região ao Estrela Porã, Vila Cachoeirinha e outros bairros da região sul. O imóvel foi invadido há vários anos.

Murilo falou sobre a necessidade da retirada dos moradores daquele local e garantiu que eles irão para um local melhor, em imóvel regularizado e com toda a infraestrutura necessária para garantir qualidade de vida. Ele informou que a prefeitura está organizando para que essas 36 famílias sejam também vizinhas no residencial, da mesma forma em que estão atualmente.

O prefeito garantiu aos moradores que a própria prefeitura vai colocar um veículo à disposição deles para fazer a mudança, assim que a Caixa Econômica Federal liberar a assinatura dos contratos. O Estrela Tovy tem 147 unidades habitacionais e vai abrigar ainda famílias que estão em outras áreas consideradas de risco.

As casas do Estrela Tovy foram construídas com recursos do PAC (Plano de Aceleração do Crescimento) e cada família vai pagar uma taxa de 5% do salário mínimo durante um período de cinco anos. O residencial teve custo de R$ 2,7 milhões com contrapartida da prefeitura de R$ 317,4 mil.

(*) Comn informações da Assecom




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions