A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

25/04/2013 18:21

Câmara aprova punição maior para “racha” e ultrapassagem proibida

Aline dos Santos
Carro partiu ao meio em disputa de racha na Duque de Caxias. (Foto: Nyelder Rodrigues)Carro partiu ao meio em disputa de racha na Duque de Caxias. (Foto: Nyelder Rodrigues)

A Câmara Federal aprovou maior punição para disputa de “racha” e ultrapassagem em local proibido, condutas com forte potencial mortífero. No caso da disputa que transforma vias públicas em pistas de corridas, a multa aumenta de R$ 576 para R$ 1915,40. Para o condutor que for flagrado em racha, a pena passa de seis meses a dois anos de detenção para seis meses a três anos.

Veja Mais
Dois jovens são presos após disputa de racha e acidente em Dourados
Polícia confirma racha em tragédia e indicia jovem por homicídio doloso

Também foram criadas penas de reclusão se o crime resultar em lesão corporal grave ou morte. No caso de morte, a pena será de reclusão de 5 a 10 anos, sem prejuízo de outras penas. Para a lesão corporal grave, a pena vai de 3 a 6 anos.

“A mudança na legislação é muito importante”, afirma o delegado da 7ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande, Natanael Balduíno. Ele é o responsável pela investigação de mais um caso de morte em disputa de racha. Neste caso, o cenário foi a avenida Duque de Caxias e a vítima Marcus Henrique de Abreu, de 22 anos.

A perícia revelou que o Pólo conduzido pelo jovem estava a 90 km/h. Já o outro veículo, um Citroën C3, estava a 120 km/h. Agora, a polícia procura pelo condutor de um Fiat Uno que teve o retrovisor arrancado. O condutor do C3 foi preso.

Conforme o delegado, para caracterizar o crime, uma das peças fundamentais é o relato de testemunhas. Nesta ocorrência, a via tinha bastante movimento. Os recursos eletrônicos também são utilizados para que a prática seja comprovada e os responsáveis punidos.

Ele lembra que a maioria dos “pegas” não tem combinação prévia e surge de aglomerações nas avenidas. Em 2010, a jovem Mayana de Almeida Duarte morreu dias após acidente no cruzamento da avenida Afonso Pena com a rua José Antônio. Ela não participava, mas foi vítima de disputa de racha.

Em fevereiro do ano passado, o motorista Anderson de Souza Moreno, que conduzia o Vectra que bateu no carro da jovem, foi condenado a 18,9 anos de prisão por homicídio no trânsito envolvendo disputa de racha, embriaguez e transposição do sinal vermelho.

Em 2011, a merendeira Seila Maria Oliveira Alfonso, de 55 anos, morreu vítima de racha na avenida Interlagos. A motocicleta onde estava foi atingida por um dos veículos que participava da disputa.

De frente com a imprudência – O projeto de Lei 2.592/07, do deputado federal Beto Albuquerque (PSB-RS), também coíbe ultrapassagens em locais proibidos. Quem ultrapassar nesses pontos fica sujeito à multa de mais de R$ 950, enquanto, atualmente, o valor vai de R$ 85 a R$ 191.

No caso de ultrapassagem em pistas de duplo sentido, se o condutor forçar a passagem entre veículos, a multa será dez vezes a atual, com aplicação do dobro na reincidência e suspensão do direito de dirigir. Desta forma, o valor sobe para R$ 1.915.

Segundo o inspetor da PRF (Polícia Rodoviária Federal), José Ramão Mariano Filho, a legislação mais severa pode propiciar “um trânsito infinitamente mais seguro”. Apesar da extensão das rodovias, que não permite fiscalização em todos os pontos de ultrapassagem proibida, ele avalia que vai estimular a consciência, pois em caso de flagrante, vai doer no bolso.

Ele lembra que as colisões frontais resultam nos acidentes trágicos nas rodovias. Neste ano, a PRF registrou 46 acidentes deste tipo em Mato Grosso do Sul, que provocaram 40 mortes e deixaram 38 feridos graves. Em 2012, foram 130 colisões frontais, com 69 mortes e 121 feridos graves.

Nos três primeiros meses de 2013, 15.879 condutores foram multados por ultrapassagem. No ano passado, as autuações chegaram a 45.247.

Dois jovens são presos após disputa de racha e acidente em Dourados
Dois jovens foram presos depois de provocarem um acidente na avenida Marcelino Pires, em Dourados, na noite deste domingo (21). De acordo com o Bolet...
Motorista escapa de capotamento com ferimentos leves
Acidente aconteceu na rua Fernão Dias. Motorista bateu em carro estacionado....



É isso aí Marcos,tambem sou a favor de muitas multas de R$.50.00 ou 100.00em lugar de uma ou duas de 2.000,concordo assim, errou,manda multa, errou de novo manda outra maiór e assim por diante,quem sabe esses motoristas que se acham donos da rua aprendem,porque em Campo Grande tem cada um piór do que o outro!
 
LUCAS DA SILVA em 26/04/2013 09:46:08
Educação de trânsito não tem?? deveriam multar os que atrapalham o trânsito andando na via que deveria ser a mais rápida, conversão em local proíbido,e muitas sem dar seta,carros e motocicletas sem condição de uso. Não é só velocidade que mata, e sim a falta de atenção e respeito as leis de trânsito!
 
Caio Prado em 26/04/2013 09:28:32
E bom saber que não vai ter mais inpunidade para quem pratica rajas.
 
gleicy kelle vicente dos santos em 26/04/2013 07:43:05
Nem uma multa de R$ 20 000 vai impedir a imprudencia de transito, se não tem fiscalização. Só punir os condutores envolvidos em acidentes não resolve. São minoria, e poucos acham que vão ter acidente. Tem que ter fiscalização, para que a maioria dos casos, mesmo se não causando acidente, gera multa. Só assim que o povo aprende. Se é só uma multa ou outro por ano, todos acham que sim a multa é alta, mas acham impossível levar uma. É melhor emitir cem multas de R$ 50, do que uma multa de R$ 2000! E é bem nitido isso, vendo que 80% dos motoristas passa com 25 km/h os radares que multam só acima dos 50 km/h. Tanto medo uma multinha de nada, mas com 100% chance de ser aplicada gera. Agora a multão da lei seca...
 
Marcos da Silva em 25/04/2013 22:58:32
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions