A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

27/02/2014 17:45

Dificuldade para cruzar avenida movimentada preocupa motoristas

Aliny Mary Dias
Filas de carros se formam em horários de pico e motoristas demoram para acessar avenida (Foto: Marcos Ermínio)Filas de carros se formam em horários de pico e motoristas demoram para acessar avenida (Foto: Marcos Ermínio)

Motoristas da região dos bairros Oiti, Panomara e Maria Aparecida Pedrossian precisam ter paciência para cruzar a Avenida João Arinos, prolongamento da BR-262, nos horários de pico. Tudo acontece porque não existe redutor de velocidade na avenida e quem precisa cruzar a via deve ter atenção redobrada.

Veja Mais
Carro capota após colisão no cruzamento da Bahia com a Barão do Rio Branco
Motorista escapa de capotamento com ferimentos leves

Antes das 7h e depois das 17h, horários que as pessoas saem de casa para o trabalho e voltam para as residências, a situação fica crítica. Os carros, motos e caminhões andam em alta velocidade na Avenida João Arinos e dificulta a travessia de quem segue pela Rua Lagoa Rica.

Pedro Teófilo, de 45 anos, mora no bairro Oiti e todo dia usa a Rua Lagoa Rica para acessar a Avenida João Arinos. Ele conta que as filas de carro são grandes e o perigo na hora de atravessar é grande.

“A gente precisa ter muita atenção aqui, os carros andam bem rápido e vários acidentes já aconteceram nesse cruzamento”, diz.

A sugestão de todos que passam pelo local é um redutor de velocidade que aumente o tempo para o cruzamento de quem sai do bairro em direção ao centro.

Outra reclamação dos moradores é em relação aos tachões, conhecidas como tartarugas, que sinalizam a faixa que divide os dois sentidos da Avenida. No local onde os motoristas fazer o cruzamento, não há um espaço sem os tachões e isso dificulta ainda mais o tráfego dos motoristas.

Acidentes já ocorreram no local e preocupam motoristas (Foto: Marcos Ermínio)Acidentes já ocorreram no local e preocupam motoristas (Foto: Marcos Ermínio)



Há tempos o fluxo de pessoas e carros vem aumentando nessa região. O bairro Maria Pedrossian existe há anos e apesar do grande movimento não foi feita até hoje uma passagem com segurança para os moradores seguirem para o centro. Todos os dias é preciso cruzar uma rodovia com veículos trafegando em alta velocidade. Infelizmente para os órgãos competentes é preciso que aconteçam tragédias com a perda de muitas vidas para que tomem alguma providência.
 
Thaisa Lopes em 28/02/2014 09:27:23
Realmente é uma vergonha, tanto para esses bairros como para os que vem do Noroeste, sem contar que quem vem do centro para o Noroeste não tem uma rotatória para poder entrar sem perigo, nesse mesmo local a algumas semanas uma menina teve um acidente gravíssimo de moto.
Só que os acidentes vão acontecendo e ninguém toma providência.
 
Sângela Lima em 28/02/2014 08:55:40
É importante destacar que, quem tenta atravessar a mesma Avenida, nos horários citados, nas saídas do Conj. Arnaldo Figueiredo e Bairro Cidade Jardim convive com dificuldade até maior, porque somando-se à deficiência de redutores de velocidades, há um fluxo muito maior de veículos neste trecho, considerando o tráfego da maior parte de veículos dos moradores da região (Pedrossian, Oiti, Arnaldo, Cidade Jardim e adjacências), o que já resultou em muitas ocorrências de acidentes.
 
Sylvana Alves Vicente de Souza em 28/02/2014 08:48:13
Pra que todos vejam a ineficácia da nossa Agetran, eu sempre digo isso aqui, mas na verdade não precisaria dizer pois a incompetencia do órgão é vista dia após dia em nossa cidade, onde já se viu não ter ao menos um quebra molas próximo ao local de um cruzamento tão perigoso como se tornou este. É preocupante mesmo.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 28/02/2014 08:08:32
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions