A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

31/05/2011 16:22

Idoso morre atropelado e já é a 14ª morte no trânsito da Capital em 19 dias

Nadyenka Castro

Cinco vítimas eram idosas

Moto que atropelou Antônio no início da noite dessa segunda-feira. (Foto: Pedro Peralta)Moto que atropelou Antônio no início da noite dessa segunda-feira. (Foto: Pedro Peralta)

Antônio Nunes de Oliveira, 70 anos, morreu na noite dessa segunda-feira na Santa Casa de Campo Grande após ser atropelado por uma motocicleta na Vila Margarida. Ele já é o número 14 na estatística de mortes no trânsito da área urbana da Capital desde o dia 11, quando foi lançada a campanha mundial para reduzir acidentes fatais.

O idoso foi atropelado por uma motocicleta no cruzamento das ruas Rio Negro com Todos os Santos no fim da tarde. Ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e levado para o hospital com politraumastismo e inconsciente.

De acordo com registro policial, Antônio passou por duas sessões de reanimação, sendo a última durante 30 minutos, mas não voltou a respirar.

Uma prima dele ficou sabendo do acidente ao descer do ônibus, em frente ao local, e disse à Polícia que Antônio andava com dificuldade devido a limitação física. Moradores do bairro colocaram fogo em alguns objetos no meio da rua em manifestação em prol de mais sinalização.

Segundo dados da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Antônio é o quinto idoso a morrer em decorrência de acidentes entre os dias 11 e 30 deste mês. Cinco foi o total de óbitos de pessoas com mais de 64 anos durante todo o ano de 2010.

A técnica em educação para o trânsito Vera Lúcia de Matos, explica que a estatística do ano passado foi feita somente com dados de pessoas que morreram no local do acidente. Já os números deste mês incluem também àquelas que foram a óbito no hospital.

Com a morte de Antônio, o Placar da Vida, que marca os dias em que não houve vítimas fatais zerou ontem. Caso não tivesse zerado, seria o terceiro dia consecutivo sem acidentes fatais.

Moradores protestaram após o acidente. (Foto: Pedro Peralta)Moradores protestaram após o acidente. (Foto: Pedro Peralta)

Orientação- De acordo com a educadora, devido a quantidade de idosos que morreram nos últimos dias, a Agetran irá intensificar o projeto Idoso na Faixa, que acontece já há três anos. Serão palestras em unidades de saúde e centros de convivência.

Vera diz que é importante que o idoso - seja ele pedestre ou motociclista -, use roupas claras durante à noite, esteja sempre com calçados confortáveis e lembre-se que a visão e a audição estão comprometidas. E em casos em que há limitações físicas e/ou mentais, é fundamental o acompanhamento de outra pessoa.

Conforme Vera, a orientação para todos é que não excedam a velocidade permitida na via, atravessem na faixa de pedestre e respeitem a sinalização.




Dna Vera, o idoso não tem que lembrar de nada não. Quem tem que ter um pingo de consciência são os motoristas e motociclistas. Não custa nada andar no limite de velocidade das vias, o que em caso de acidente, diminui e muito o risco de morte. Alem do que, qualquer cidadão, é capaz de identificar um idoso ou uma criança e lembrar que ambos podem ter reações não previsiveis. É só tirar um pouco, mas um pouco mesmo, o pé do acelerador, e lembrar-se que, se conseguir chegar lá, um dia vai passar pelas mesmas limitações.
 
Ricardo Lopes em 01/06/2011 07:13:11
Faixa de pedestre não serve pra nada quando não há fotossensor pra flagrar os que insistem em parar em cima da faixa, furar sinal e faixa serve menos ainda quando a prefeitura e a Agetran insiste nesse sistema de sinalização ultrapassado, que exclui o pedestre. Precisa de semáforos com tempo de travessia pro pedestre. Não é tão difícil assim, prefeito e diretor da Agetran. É só querer. Mas será que querer é tão complicado assim?
 
Daniel Francelino em 01/06/2011 02:30:26
Parece piada essa educadora falar "atravesse na faixa", a coisa mais rara na cidade são cruzamentos ou locais principalmente fora do centro onde há faixa, a mais de dez anos por exemplo pedimos a instalação de semáforo no Cabreúva e a Agetran vive dizendo que vai fazer estudos, talvez estejam esperando morrer alguém aqui no cruzamento da 14 de Julho com a eça de Queiroz, como aconteceu na Ernesto Geisel.
Respeitar a sinalização é importante, quando se tem.
 
Oswaldo Benites em 31/05/2011 10:18:08
Bom, já disse que o que vai amenizar agora é fiscalização e multa pesada. A educação é importante, mas infelizmente só surtirá efeitos daqui há muitos, mas muitos anos.
 
Thiago Kalunga em 31/05/2011 08:45:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions