A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

09/09/2013 11:12

Imprudência eleva em 37% número de mortes em acidentes nas BRs

Aliny Mary Dias
Acidente da última sexta-feira deixou três pessoas mortas (Foto: Marcos Ermínio)Acidente da última sexta-feira deixou três pessoas mortas (Foto: Marcos Ermínio)

Os primeiros oito meses de 2013 nas rodovias federais de Mato Grosso do Sul foram mais violentos do que o mesmo período do ano passado. Conforme o levantamento da PRF (Polícia Rodoviária Federal), as mortes aumentaram 37% este ano e especialistas garantem que a imprudência dos motoristas é a causa principal do aumento. 

Veja Mais
Mototaxistas e taxistas se juntam e percorrem Afonso Pena contra Uber
Homem que morreu atropelado tinha 51 anos e foi identificado pela mãe

De janeiro a agosto de 2013, 159 pessoas morreram nas estradas do Estado. No mesmo período de 2012, 116 pessoas morreram em acidentes. O aumento também ocorreu no número de acidentes. Este ano já foram registrados 2,391 mil acidentes contra 2,132 mil no ano passado. O aumento é de 12%.

Dos acidentes deste ano, a maioria das vítimas teve ferimentos leves. Outros 438 pacientes ficaram em estado grave após as colisões.

Apesar da boa condição de muitas rodovias que passaram por recapeamento este ano, a violência nas BRs do Estado é ainda mais preocupante se comparado os dados até esta segunda-feira (9).

Foram 165 mortes em Mato Grosso do Sul até hoje e tudo indica que 2013 pode superar o ano passado, já que em 2012, 174 pessoas morreram nas estradas.

O acidente mais grave registrado nos últimos meses ocorreu na última sexta-feira (6), quando o motorista de um ônibus e dois passageiros morreram em uma colisão que envolveu ainda um caminhão e uma carreta. O acidente ocorreu na BR-163 próximo de Anhaduí.

Fatores – Para o especialista em trânsito, Anderson Sidrack, vários fatores são responsáveis pelo aumento de acidentes nas rodovias do Estado, mas o principal deles é a atitude do motorista.

Nos últimos anos, o consumo de bebida alcoólica, remédios para inibir o sono e até drogas tem aumentado por parte de motoristas profissionais. O especialista acredita que a consciência do motorista é preponderante para a diminuição dos acidentes.

“Os fatores são múltiplos, temos o número de veículos que aumentam, mas a atitude dos motoristas é o principal”, afirma Sidrack.

Além dos fatores que podem ser controlados pelo motorista, situações externas também são responsáveis por acidentes. A chuva vinda após dias de estiagem, como aconteceu em Mato Grosso do Sul recentemente, deixa a pista escorregadia e aumenta os riscos de colisões.

“A primeira chuva é perigosa porque a pista não está lavada. A graxa e o óleo acumulados deixam a via com grandes riscos de acidentes”, completa. Para Sidrack, os números só devem cair se os motoristas, principalmente os profissionais, aprimorarem a técnica ao dirigir.




Se todos respeitassem os limites de velocidade máxima permitida certamente teríamos índices bem menores e mais famílias felizes.
 
Fabio Pellegrini em 09/09/2013 16:41:12
Acredito que o maior fiscal de trânsito é o próprio motorista que tendo consciência que pode tirar a sua vida e a de outras pessoas não deveria dirigir de modo imprudente, não sendo necessário a polícia ter que ficar de "babá" dessas pessoas. No nosso país é costume sempre achar alguém em quem jogar a culpa das nossas responsabilidades e nesse caso mais uma vez a policia é responsabilizada quando quem tem filhos, marido, esposa, família, emprego e um lar para retornar não se preocupa com isso e provoca acidentes ceifando a própria vida e a de outros inocentes. O que falta, mais do que policiamento, é consciência e respeito ao próximo!!!!!
 
leticia diniz em 09/09/2013 12:03:59
Meu comentário e que não existe fiscalização nas rodovias, todos os feriados eu vejo na tv que a policia vai aumentar o efetivo de policias, mais eu não vejo isso na pratica, meu pai mora em Deodápolis e sempre eu vou para lá, vc não vê a policia rodoviária na estrada, ontem ( 08/09 ) eu sai de lá 16:00 hs cheguei aqui as 18:20 e não passei por nenhuma viatura só os policias sentados nas cabines, ainda tinha um veiculo que caiu na beira da estrada, ainda tem uns veículos destes modernos que andam a media eu acho de uns 180 km por hora e ninguém faz nada.
 
edivaldo g. souza em 09/09/2013 11:39:20
Não é preciso ser especialista pra saber as causas de acidentes...
 
marcos smoliak em 09/09/2013 11:26:24
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions