A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

01/04/2013 19:10

Motorista era fã de velocidade. Irmão suspeita que ele participou de racha

Gabriel Neris e Helton Verão
Marcus foi velado e enterrado nesta segunda-feira em Campo Grande (Foto: Helton Verão)Marcus foi velado e enterrado nesta segunda-feira em Campo Grande (Foto: Helton Verão)

Marcus Vinicius de Abreu, 22 anos, estava participando de um racha com o veículo C3 na avenida Duque de Caxias, na noite de ontem, no sentido centro-aeroporto. A opinião é do irmão do motorista, Lucas Henrique de Abreu, de 18 anos, que falou sobre o acidente ao Campo Grande News nesta segunda-feira

Veja Mais
Polícia confirma racha em tragédia e indicia jovem por homicídio doloso
Família nega que morto em acidente estivesse participando de racha

Marcus conduzia o Polo quando o veículo se chocou contra um poste. O rapaz chegou a ser socorrido e encaminhado para a Santa Casa de Campo Grande, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Ele era piloto de teste, apaixonado por velocidade e participou de arrancadas no autódromo da Capital.

“Conhecendo meu irmão, eu acho que estava (fazendo racha), porque ele não gostava de perder disputa”, contou Lucas.

No veículo também estava à namorada de Marcus. Letícia Souza Santos, de 23 anos, sofreu ferimentos graves e permanece internada. Lucas contou que ao chegar no local do acidente, na avenida Duque de Caxias, encontrou o irmão sendo socorrido ainda consciente, contrariando versão do Corpo de Bombeiros.

Marcus estava com parte da mão decepada e com lesões na perna. Lucas diz que o irmão ainda sorriu ao vê-lo.

Rayan Douglas Wehner Vieira, de 20 anos, condutor do Citron C3, foi preso em flagrante e indiciado por pelo crime de homicídio doloso na direção de veículo automotor, embriaguez ao volante, lesão corporal e por participar de competição não autorizada.

Despedida - Marcus morava com quatro irmãos no bairro Santo Antônio. Eles passaram o domingo juntos. “Era a hora dele, tinha que ser”, disse Lucas.

O domingo foi de brincadeira entre os irmãos, como se alguém previsse que seria uma despedida. Marcus ainda convidou Lucas para ir ao shopping, mas o irmão preferiu ficar em casa. Ele trabalha com o padrasto numa empresa de segurança.

Marcus Vinicius era piloto de testes e corria em rallys pelo Brasil. “Sempre foi fissurado por velocidade”, diz o irmão. Lucas conta que o piloto participou diversas vezes de competições de arrancadas no autódromo da Capital, e inclusive participou como passageiro do irmão.

A paixão por velocidade surgiu ainda na adolescência quando chegou ao kart. Marcos foi aprovado para ser piloto de teste da categoria Audi e que sobrevivia desta maneira. O gosto pela corrida também era compartilhada pelo irmão, mas depois da tragédia Lucas diz que “não quer mais saber de velocidade”.




Parabéns ao irmão que teve a coragem de esclarecer os fatos. Que deus conforte seu coração e de todos os familiares envolvidos.
 
maria candida martins em 03/04/2013 20:22:28
Não, ele não era piloto de teste pois, uma empresa não contrataria um ser desses ou pra quem ele trabalhava não seria uma empresa séria. Enfim, ao menos não vitimou uma criança ou adulto mesmo.
 
Arildo Pinho em 02/04/2013 22:37:35
Se o motorista era piloto de testes, tinha mais condições de diferenciar o certo e o errado, ao se envolver em disputas em via pública. Pelo visto não perdeu a disputa...
 
luigi castro em 02/04/2013 10:03:06
Infelizmente mais um jovem...onde estavam os amarelinhos ou a Ciptran para coibir estes absurdos, ou mesmo os Pais que deixam seus filhos a la vonte, que Deus conforte esta familia, e o jovem que descanse em Paz que a luz perpétua o ilumine.
 
Adão Guerra em 02/04/2013 09:27:13
Para um suposto profissional na área ele devia saber onde pode efetuar tal disputa e onde não, ainda bem que foi um poste que parou ele pior seria se fosse a vida de um ou vários inocentes como estamos acostumado a ver diariamente. Parabéns a autoridade policial por ter autuado o outro individuo pelo crime de homicídio doloso.
 
Francisco Lima em 02/04/2013 08:46:25
"Conhecendo meu irmão, eu acho que estava (fazendo racha), porque ele não gostava de perder disputa", contou Lucas.

é não gostava de perder disputas... só a vida.


FOI TARDE MENOS UM.
 
Vinicius Silvério em 02/04/2013 08:16:31
Já dizia um sábio na época da morte de Airton Senna:" A velocidade que emociona, e a mesma que mata". Deus conforte a família.
 
anderson leite em 02/04/2013 07:43:44
QUEM PROCURA ACHA.
 
Willians alexandre em 02/04/2013 06:43:28
Pena que só foi um fazer rachas lá no céu !!! Deus, dá próxima vez, leve todos os apressadinhos.
 
Antonio Espindola em 02/04/2013 00:22:33
FOI TARDE! ANTES SOZINHO, DO QUE LEVAR INOCENTES ! E ELE NAO FEZ NENHUM ATO Q SE DEVA FICAR ELOGIANDO ELE, FOI MESMO IRRESPONSÁVEL !
 
emerson de souza em 01/04/2013 23:15:55
Muito corajosa e consciente a declaração do irmão, nestas horas o mais comum é tentar encobrir o que realmente aconteceu, ou como alguns pais fazem pagar um bom advogado para tirar seus filhos queridos da cadeia. Em quanto esses pais tentarem isentar seus filhos das consequências de seus atos absurdos, continuaremos a ver tragédias como a que vitimou estes rapaz. Sentimentos a família.
 
Higor Almeida em 01/04/2013 22:58:51
Ainda bem que não era um inocente. Ficaria preocupado se fosse alguém que não estava participando conscientemente. É uma pena que a família sofra, contudo ele encontrou o que procurava.
 
Felipe Neres em 01/04/2013 21:33:21
Eu quero que DEUS proteja la no céu, todos os fazedores de racha , para que não venhas a matar inocentes aqui na terra.
 
jorge ferreira em 01/04/2013 21:09:16
Desses engraçadinhos que Campo Grande está cheia, acham que as vias urbanas são pra corridas. Não teria outro fim!

DIREÇÃO DEFENSIVA SEMPRE!!!
 
Luciano Silgueiros em 01/04/2013 20:02:14
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions