A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

26/05/2011 08:34

Disparada de mortes no trânsito é resultado da velocidade, diz Agetran

Nadyenka Castro

Em geral, falta fiscalização e cortesia

Acidente ontem pela manhã na Arthur Jorge.Acidente ontem pela manhã na Arthur Jorge.

As 11 mortes no trânsito de Campo Grande em apenas 15 dias é resultado do que é visto diariamente nas ruas: o excesso de velocidade. Este fator aliado à ingestão de álcool, infraestrutura, condutores jovens, fiscalização e falta de cortesia fazem da Capital um dos municípios mais violentos quando o assunto é direção de veículos.

Para quem trabalha diretamente com a questão, o que falta é ética aos motoristas

A constatação é do Gabinete de Gestão Integrada de Trânsito, responsável por estudar as ocorrências fatais e que resultam em vítimas graves.

”Se as pessoas não tivessem em alta velocidade, o acidente teria ocorrido, mas não teria mortes”, diz Ivanise Rotta, Chefe da Divisão de Educação da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), que integra o Gabinete, responsável pelo projeto “Vida no Trânsito”.

De acordo com Ivanise, análise da estatística feita por amostragem com dados de acidentes ocorridos no quarto trimestre do ano passado mostra que, apesar do motorista agir com imprudência, ele não é apenas o responsável.

“A culpa não é só do comportamento do motorista. As vias contribuem. São largas, planas, sem obstáculos”. “É um convite para a pessoa acelerar”, declara Ivanise.

O Gabinete, composto por representantes de vários órgãos públicos, constatou também que é preciso mais fiscalização. “Eletrônica, de policiais, de agentes de trânsito”.

“O motorista se sente livre para transgredir às regras”, quando não há fiscalização, afirma a educadora em trânsito. “A obrigação de sinalizar, conscientizar e sensibilizar é do poder público”, lembra Ivanise. Segundo ela, estão programadas 270 blitze neste ano na Capital.

Motociclistas são responsáveis por 80% dos acidentes com vítimas.Motociclistas são responsáveis por 80% dos acidentes com vítimas.

Impunidade - O pensamento de que vai “acabar em pizza” também contribuiu para que o condutor não obedeça às leis, esquecendo de que ele não está sozinho no trânsito.

E quando há a combinação álcool e direção, “o condutor se sente livre para transgredir as regras”, declara Ivanise.

Cortesia- “O condutor precisa ter ética”, afirma a educadora. O que percebe-se diariamente nas vias da Capital é que o motorista “sobrepõe o individual ao respeito do outrem”, fala Ivanise.

Ela lembra o que deveria estar presente na rotina de todos que conduzem veículos. “Praticar direção defensiva. Você fazer o certo para, quando for necessário, consertar o erro do outro”.

A educadora diz ainda que é preciso também que todos se concentrem no trânsito e saiam mais cedo de casa. “Tem que lembrar que o trajeto que há cinco anos se fazia em 10 minutos, hoje mudou. O tempo é maior. E a tendência é piorar”, conclui.

Veja vídeo que mostra a diferença do resultado de frenagem de dois veículos. Um 50km/h e outro a 55km/h.




Os veículos vendidos em Campo Grande, seja de 2, 4 ou quantas rodas tiver, poderiam ser vendidos mais baratos né?
Para tanto, basta tirar um acessório que não ser ve pra nada aqui: a SETA.
Acredito que, caso 100% dos campograndenses a usassem, mais de 50% dos acidentes seriam evitados.
Falta de consciência.
 
Gustavo Bermudes em 27/05/2011 10:13:51
Não acredito que seja o único problema, nem seria tão simplista a esse ponto. Mas concordo com a Neide e o Jean quando falam dos instrutores no Detran. Tirei minha habilitação há mais de 10 anos e a situação era a mesma: eu me esforçando para copiar o que os alunos da frente estavam fazendo enquanto tinha uma roda enorme de instrutores batendo papo, falando ao celular e tomando tereré.
Um outro ponto que merece atenção é aquele monte de "amarelinhos" em esquinas bem sinalizadas da capital, como Afonso Pena com Rui Barbosa, enquanto não existe nenhum nesses cruzamentos sem sinalização onde a chance de ocorrer acidente é maior.
 
João Júnior em 27/05/2011 08:59:44
E difícil andar de moto em uma cidade que muitos esquecem que motociclista TAMBÉM PAGA IPVA E LICENCIAMENTO. Fico atrás dos carros vem outro carro e entra de uma vez querendo o espaço que estou ocupado, e como se estivesse me dizendo: sai daqui o espaço e meu.
Fico indignada com a falta de respeito e cortesia com os motoqueiros reconheço que alguns exageram. Mais eu só quero voltar para casa e abraças meus filhos. Peço um pouco de respeito, moto não consegue parar de uma vez principalmente nas descidas não de seta e entre de uma vez., Minha vida agradece! Minha familia também
 
Maria Madalena Souza Alves de Almeida em 27/05/2011 06:52:37
Alguém está vendo sinalização na Rua Artur Jorge na primeira foto????
Divisão de pistas, pares e faixas de pedestres, são feitas somente próximo a obras novas como o Shoping Norte Plaza e Orla morena. No resto da cidade, motorista ficam perdidos.
Ô turma da Agetran e Prefeito, vamos gaster dinheiro com o que realmente é importante para diminuir acidente. SINALIZAÇÃO VIÁRIA.
 
Renato Gonçalves em 27/05/2011 02:21:22
''ruas largas, sem obstaculos'' e sem sinalizaçao,cheia de buracos e remendos em toda a cidade é assim... Ivanise, conta outra!
 
Mario Jr em 26/05/2011 12:40:33
A solução é fácil...radar em cada cruzamento, 24hs. Todo mundo andando a 60km/h.
 
Athaide Romero em 26/05/2011 12:25:59
Reclamar que o condutor não tem ética é mais fácil que colocar os agentes para fiscalizar??
Ah vá!!!!
Campo Grande tem uma frota de mais de 350 mil veículos, e são programadas apenas 270 blitze no ano???? Menos de uma por dia, e depois vem dizer que os condutores não tem ética! Porque não fiscalizar então este trânsito?
Quem pede fiscalização é o condutor que sai às ruas e hoje em dia já não sabe se volta para casa ileso. Se falta ética é porque quem deveria fiscalizar deixou brechas e dessas rechas hoje vemos crateras, onde estão sendo enterradas pessoas e depois se transformam em uma mera estrela amarela pintada no chão...
Acho que falta de ética maior está vindo dos órgãos responsáveis!
 
Wellington Sampaio em 26/05/2011 12:03:33
Acho que a agetran está certa em dizer que os motoristas precisam ter ética, também acho que a agetran precisa ter competência para cuidar do trânsito em campo grande.
Alguns exemplos de incompetência da agetran são:
o absurdo da rotatória da joaquim murtinho em frente ao extra, dinheiro e tempo jogados fora.

o canteiro central da avenida ceará que foi feito apenas em frente da Uniderp, deveria ter sido feito ao longo da avenida no período de um ano que ficou fechada para a construção do viaduto, apenas pintaram o canteiro central , agora com o trânsito normalizado , talvez a agetran vai fazer o canteiro central como foi feito na zahran, só que agora atrapalhando o trânsito da região mais uma vez.

a rua dos vendas ficou mão única , o que acho positivo, mas deixar uma via de tal importância apenas com uma pista de rolamento é um absurdo, porque não pintam um lado com faixa amarela , assim teria uma avenida com duas faixas de rolamento e uma para estacionamento, já que a região é exclusivamente residencial.

outra coisa , é o semáforo da av zahran com a rodolfo josé pinho , quando os veículos da zahran podem entrar na rodolfo josé pinho e da rodolfo josé pinho para a zahran, deveria ter o sinal de livre a direita , isso ajudaria muito o fluxo no local .

Esses dias andando pela zahran as 17:00 em frente ao banco do brasil , tinha um veículo de transporte de valores parado em fila dupla , ali com o fluxo que tem de carros deixar apenas uma faixa para os carros , é um absurdo.

Será que os motoristas , não estão correndo mais , para compensar o tempo perdido , pela falta de planejamento da agetran?

Deixo aqui minha contribuição .
 
Carlos Alberto Coimbra em 26/05/2011 11:49:57
Vamos colocar mais agentes de trânsito nas ruas. Em cada quadra temos dois PMs. Vamos fazer o mesmo no trânsito, em cada esquina das ruas e avenidas mais movimentadas vamos colocar um agente de trânsito para inibir os abusos e multar os "pilotos" e não os carros parados. A final para que foi realizado o concurso da AGETRAN em 2010?
 
Kátia Terezinha Ferreira em 26/05/2011 11:38:47
Pelo que me consta, em abril de 2010, foi realizado um concurso para contratação de 20 fiscais de trânsito da AGETRAN e somente nove meses depois chamaram a metade dos aprovados. A presença de mais agentes nas vias inibe os abusos dos motoristas infratores. Segundo dados do IBGE, Campo Grande deveria ter 80 agentes de trânsito mas só tem 40.
 
Angela Maria Vaz Cardeal Lima em 26/05/2011 11:32:34
Concordo com todos os comentarios acima mensionado , a agetran só pensa em instalar radar , arrecar , isso ajuda mas nao resolve , vamos pintar as faixas das ruas
manter uma conservaçao melhor , nao a condiçoes de dirigir em certas ruas da capital
estes agentes de transito só sabem é multar quando vc precisa deles para organizar o transito eles somem , vamos olhar prefeitura cade vcs .
 
valdemar scacalossi em 26/05/2011 11:26:57
Creio que a "questão do trânsito" em Campo Grande deve ser integralmente repensada:
Não temos asfalto; temos remendo. A maioria absoluta das ruas não possuem sinalização horizontal. É uma vergonha, avenidas do porte da Ernesto Geisel, Consul Assaf Trad, Gunter Hans, etc..etc., não possuirem pinturas horizontais, determinando as faixas de rolamento.
Discordo totalmente da afirmação de que excesso de velocidade é causa de acidentes. Até porque na maioria das ruas, o trânsito é 'amarrado' (amarrado pela onda vermelha e lombadas eletrônicas).
A real causa dos nossos problemas: O Detran que habilita a dirigir, quem não tem capacidade e habilidade para tal. (ex. a quase totalidade dos motoristas da cidade não sabe usar a rotatória, não sabe estacionar e o leitor poderá confirmar se for a um estacionamento de supermercado ou em qualquer lugar, desde que observe).
Contribui ainda a ausência de asfalto e precariedade da sinalização, especialmente a horizontal.
Também o poder público municipal deve fazer a parte dele: Colocando gente que tenha capacidade técnica para gerir o trânsito e deixar de lado as nomeações políticas, pois quase sempre pessoas exercem cargos para os quais não possuem competência.
E por último: Fazer o dever de casa. A Av. Ernesto Geisel tem buracos ali perto do Guanandizão que vão completar 5 anos e ninguém faz nada. Acima do Cabreúva, tem buracos enormes e até hoje a prefeitura deu de ombros. É uma vergonha!!!. A competência desapareceu. Precisamos encontrá-la o mais rápido possível, antes que seja tarde demais!!!

 
Juvenal Coelho Ribeiro em 26/05/2011 10:51:35
Eu acredito que tenha que ser melhorado muitas coisas, mais o principal é a cabeça do cidadão. Como que motociclista ultrapassa pela direita, ele sabe que esta errado, canso de ver todos os dias pessoas ultrapassando sinal vermelho, e nao é porque ficou vermelho derrepente não, é irresponsabilidade mesmo....Pessoas que usam seus automoveis, motocicletas como armas, e tenho certeza que não ia fazer diferença uma faixa pintada no chão, é consciencia na cabeça de cada um, educação...Porque a pessoa tem que saber que ela pode matar alguem inocente, pode deixar invalido um jovem, uma criança, um pai de familia.
 
REJANE INACIO CAMESCHI em 26/05/2011 10:49:15
Os amarelinhos deveriam estar todos os dias na av. mato grosso, mas esquinas entre av neli martins e ceará, pois é uma vergonha o que os motoristas fazem, principalmente aqueles que usam essa via para ir para o parque dos poderes. As esquinas devem ficar livre para que o trânsito possa fluir melhor. por favor não tranquem os cruzamentos.As autos escolas devem ensinar os seus novos alunos, que carro ou moto não são armas para matar outras pessoas.
 
jorge capillé em 26/05/2011 10:47:43
TRANSITO DE CAMPO GRANDE ESTA CAÓTICO, AGENTE FICA ATE COM MEDO DE ANDAR NA RUA, PORQUE OS MOTOCICLISTAS NÃO RESPEITAM MESMO, O TEMPO TODO ELES TENTANDO ULTRAPASSAR PELA DIREITA, SERA QUE ELES NAO TEM CONSCIENCIA QUE ALGO PODE DAR ERRADO, E TEM DADO, E ELES ESTÃO PAGANDO COM A VIDA, MEU DEUS OS POLICIAIS TEM QUE MULTA-LOS, PRECISA FAZER CAMPANHA....TODOS DEVEM QUERER UM TRANSITO MELHOR, COM PESSOAS EDUCADAS E NO MINIMO DO MINIMO RESPEITAR AS REGRAS DO TRANSITO.
 
REJANE INACIO CAMESCHI em 26/05/2011 10:39:08
Especialista defendem que "Educação do trânsito" deveria e tornar disciplina escolar.Já é hora do Governo se concientizar e levar a sério o tema.Podem multar, podem tomar o carro, podem recolher a cnh ,que quem não tem educação no trânsito vai sim continuar a fazer besteiras.Nimguém se torna ético só por ameaças.Aqui já está provado que multa só dói mesmo no bolso e não na consciência.Acorda Autoridades, quando entes queridos seus entrarem nas estatísca é que vão se mexer?
 
Marcia França em 26/05/2011 10:36:36
Campo Grande segue a mesma lógica horrível das outras grandes cidades brasileiras:
Não investe em transporte público;
Possui precário sistema de engenharia de trânsito (se é que dá para usar o termo "engenharia" por aqui);
E sofre a consequência das política públicas federal (que é boa, facilitou o acesso ao crédito na aquisiçõa de veículos e outros bens duráveis) e da Estadual (que é discutível, pois oferece subsídio, isenção de impostos para os veículos que circulam no Estado).
O resultado é que somos incentivados a comprar carros e motos e totalmente desistimulados a utilizar transporte público, que é caro, lento, perigoso, etc... Como entram cerca de 80 mil carros por ano só em Campo Grande, não há rua, avenida ou viaduto que possa atender a demanda. Se está ruim, console-se com o fato de que ano que vem será muito pior!
 
Eduardo Figueiredo em 26/05/2011 10:27:41
O que tem que ser revisto urgentemente é o valor irrisório das multas por infrações de trânsito aqui no Brasil. Nos outros países as multas são de milhares de dólares, geralmente maiores que o valor do veículo. Aqui, são rídiculos dezenas, quando muito, centenas de Reais. Isso não é punição, mas um convite às infrações...
 
Adriano Roberto dos Santos em 26/05/2011 10:27:40
isto não é nada, em 4 anos bateram 6 vezes na traseira do meu veiculo , sendo um com perda total, e em todas as batidas eu estava parado no sinal ou parado esperando o transito fluir, e no ultimo acidente , eu parado na av afonso pena proximo ao canteiro central defronte a cidade de natal, em dez/2010, qdo um rapaz num golf preto com apenas 52 dias de carteira provisória, (o que eu tenho de carteira de motorista ele tem de idade) numa velocidade louca, (tio dele disse na hora que ele chegou lá, ele estava indo tomar tereré as 10:15 da noite) ao mudar de faixa bateu na traseira de um gol zero, e este gol se chocou com a traseira do meu carro, (ele diz q tem testemunhas tbem do acidente, sendo q na hora não tinha ninguem e ele utilizou meu celular pra ligar oara os parentes dele) e o pai da criatura, falou pra não fazer o BO pois iria fuder a vida do filho dele, chamei a pericia e tive que entrar na justiça pra receber, até hj nada ainda, e ainda só falta o juizado falar que eu estou errado, é mole ou querem mais......
 
henrique oliveira em 26/05/2011 10:21:52
Enquanto pessoas morrem no trânsito quase que diariamente existem concursados para AGETRAN aptos a colaborar na educação e fiscalização, esperando a quase um ano para serem convocados. Talvez seja melhor pintar meio fio e varrer rua para que pelo menos os pedestres e condutores morrão em locais limpinhos e arrumadinhos.
 
Gabriel Santos em 26/05/2011 10:15:38
OS pedrestes e ciclistas também precisam passar por um projeto de educação eu pego a norte e sul tds os dias e me deparo na pista da esquerda após curva com pedrestes vindo no sentido oposto são duas, tres pessoas uma ao lado da outra tomando mais da metade da pista quando na verdade deveriam estar na calçada as margens do corrego não tem concreto mas a grama está sempre aparada mas os pedrestes preferem o asfalto.A avenida está com velocidade liberada de 60km.Agora pensa o motorista faz uma curva e se depara com adultos e crianças indo pra escola caminhando no sentido oposto ou ciclistas que teimam em pegar a pista da esquerda estes na maioria das vezes no sentido correto mas é uma pista destinada a ultrapassagem o cara precisa de orientação porque o motorista mesmo dentro do limite de velocidade passa por uns apuros tendo que desviar dos transeuntes e ciclistas e pra isso ou invadem a outra pista ou reduzem a velocidade as duas opções podem causar acidentes tudo para desviar dos sem noção.
 
Valeria Duarte em 26/05/2011 10:11:44
Não é aumento fiscalização e colocando radares que a situação vai melhorar, campo grandense não tem educação no trânsito ta sempre com pressa, vc da sinal para entrar vc morre esperando pq ninguem tem a gentileza de diminuir a velocidade para o outro passar, e no semaforo então o sinal abre e o povo fica borboletando ate o sinal fechar denovo, o que falta aqui sim é mesmo ética e educação por parte da população.
 
Melissa Meirelles em 26/05/2011 10:03:58
Tudo isso se ressume em falta de consiência, falta de bom senso. Não adianta campanhas educativas. Os excessos de velocidade e de abusos no trânsito se vê a todo instante e em qualquer lugar. Só restam uma alternativa: Mais lombadas eletronicas, mais radares, mais olhos vivos, mais amarelinhos multando, mais Ciaptran multando etc....., O motorista brasileiro só se consientiza se mexer no bolso. infelizmente!!!!!
 
Joao Batista de Figueiredo Neto em 26/05/2011 09:53:15
Está faltando senso de urbanidade nos motoristas, todos se acham mais espertos que o motorista ao lado, desta forma dá em acidente mesmo! Direção defensiva? Acho que mataram esta aula. Faixa de pedestre, proteger o menor? Acho que também faltaram a esta aula. O que vejo é que está muito difícil ser motorista ou pedestre. Estacionar no centro dando seta, acho que quem está atrás não sabe o significado, matou esta aula também. Acredito que estamos precisando de mais rigor nas auto-escolas, nas punições, mas também tem a parte da própria infraestrutura da cidade, um convite para correr mesmo!!! O número de carros está impressionante, eu tenho carro, mas ultimamente tenho preferido ir de ônibus, menos estresse, o tempo é o mesmo e ainda chego viva!!!!!!!! Se liga na vida
 
Maria Santos em 26/05/2011 09:53:02
O que eu acho que falta é lei rigorosa, tipo, arrancar um braço de quem causar acidente onde fica provada a imprudência da pessoa. Arrancar o braço, já que cadeia é pura fantasia...
 
Eduardo Duarte em 26/05/2011 09:48:34
Eu fico chocada com a "qualidade" dos comentários que eu leio aqui. Parece até que vivemos em cidades diferentes, por que tudo aqui parece ser culpa do poder público, o motorista é vítima da falta de sinalização. COMO É QUE É? Abre as notícias relacionadas a trânsito deste site e veja se os acidentes que são relatados não envolvem imprudência do motorista! O campo-grandense é tãaaaaao caipira, tão assistencialista, que ainda tem a audácia de achar que a ética dele depende da ética do poder público. Isso é Brasil-zil-zil-zil! Joga uma bomba aqui QUE NÃO TEM MAIS JEITO! A cidade está repleta de assassinos atrás do volante. NÃO TEM MAIS JEITO!
 
Vilma Belmar em 26/05/2011 09:46:36
Concordo em grande parte com o que diz a Ivanise, vejo que falta a nós motoristas, uma maior solidariedade no trânsito. Precisamos perceber que se não nos preocuparmos com o outro fica difícil, então, é o que ela diz, precisamos mudar nossa cultura de sairmos sempre atrasados de casa para podermos andar com mais atenção e mais devagar. Precisamos deixar de passear na rua de carro. Hoje nosso trânsito não suporta mais o motorista querer ver vitrine, quem está sentado no barzinho, achar o número da residência e etc... muitas vezes as pessoas param em fila dupla, sendo que mais pra frente um pouquinho, tem lugar pra estacionar. Então realmente é questão de educação, solidariedade, de pensar um pouco nos outros e no fluxo de trânsito.
Agora, não concordo com ela quando diz: As vias contribuem. São largas, planas, sem obstáculos”. “É um convite para a pessoa acelerar”. Penso que as vias deviam ser assim mesmo, mas, na verdade não são. Falta é sinalização de velocidade permitida, radar de controle de velocidade, fiscalização, não simplesmente para multar, mas, para disciplinar e evitar excessos, imprudências. Elaborar leis que sejam de fácil implementação e execução, que valam para todos, independente de classe social, de qual trabalho realiza, qual seu "status" e poder econômico, se é do Poder Executivo, Legislativo ou Judiciário, todos, sem exceção, inclusive para a própria polícia, que deve dar exemplo aos outros.
 
Augusto Roberto Marchini em 26/05/2011 09:38:45
Caro, Jean Carlos Santos é fácil pra você dizer que sabe tudo de motocilceta e culpar um profissional (instrutor de trânsito) pelas barbáries no trânsito de Campo Grande.O instrutor preserva a integridade física do aluno que com pouca experiência ou até mesmo subindo em uma motocicleta pela primeira vez, não venha sofrer um acidente ou até mesmo pegando trauma do tipo de veículo, por isso o cuidado com sistema de frenagem.

Quando o instrutor solicita ao aluno que faça mais aulas além das 20hs previstas em lei vem aquela "choradeira"...eu não tenho dinheiro...a mamãe vai ficar brava...o papai vai até o CFC e chama o instrutor de mercenário e assim por diante.

Só pra você saber "JEAN expert in experint motocicleta" um instrutor trabalha em média 10hs por dia, ganha R$625,00 por mês e é muito, mas muito pouco reconhecido pelo seu trabalho.
Afinal o que você faz da vida Jean?
 
Luciano Quintana em 26/05/2011 09:35:11
O QUE É ETICA ?

Bom deveriam ensinar isso nas auto escolas para os condutores terem noção do quanto a etica está presente em nosso dia a dia. etica é o conceito de valores da sociedade que por sinal tem o dever de saber o que é certo e errado e isso vai do carater do cidadão de seus costumes. Se hoje não temos educação no transito, será que em um futuro proximo teremos? acho que não pois não ensinam o que é ter educação no transito. O numero de mortes só em 15 dias é pouco pois sabemos que o transito de Cg está cada vez mais imprudente e perigo pela falta de etica, mais será que nosso condutores sabem o que a palavra ETICA representa para uma sociedade ?
 
SELLEN ZILDA DINIZ SANTOS em 26/05/2011 09:29:47
Campo Grande necessita urgente de engenharia de trânsito, pois é inconcebível que uma cidade com ruas e avenidas tão largas sofra tantos problemas de trânsito.
Não se percebe estudos visando sanar tais problemas ou uma eficaz fiscalização para coibir os abusos, tanto que é possível se verificar o cometimento de infrações em frente aos olhos de guardas de trânsito sem que nenhuma providência seja tomada.
Outro grande absurdo que existe em nossa cidade sem que nenhuma providência seja tomada é o costume de dois veículos transitarem na mesma faixa de rolamento ou, ainda pior, quando um motorista faz ultrapassagem nos semáforos utilizando a faixa de estacionamento.
Ainda pior, como é possível que em uma avenida de intenso fluxo de veículo como é a Avenida Ceará seja permitida a conversaão à esquerda?
Cadê o Sr. Detran? Cadê o Sr. Rudel?
Precisamos sofrer muitos acidentes, precisam morrem muitos outros cidadãos para que o nosso Executivo alerte para a urgente necessidade de cuidar desse gravíssimo problema que enfrentamos diariamente.
Certo que o Sr. Prefeito e seus acessores precisam focar seus interesses para o próximo ano eleitoral.
 
ricardo rodrigues em 26/05/2011 09:25:20
A campanha é válida, e vale lembrar ainda que Campo Grande possui um autódromo, como eu sempre friso, e tem competição de arrancada com freqüência, então por que não participar de um evento com emoção, adrenalina e segurança, rua é pra andar, temos pista de corrida própria na cidade, quer pisar fundo vamos pro autódromo, procurem a Federação de automobilismo do estado.
 
Oswaldo Benites em 26/05/2011 09:02:46
Disparada de morte é resultado da má qualidade da sinalização no trânsito. A todo momento na cidade a gente não consegue andar sem parar, todo semáforo tem que parar, anda e pára, anda e pára, é um absurdo, porque os semáforos não são sincronizados? porque a divisão de pistas não são pintadas no asfalto? porque trechos importantes não tem semáforo? porque não tem guard-rail nas beiras de corrégos? Como manda a Lei Magaly Picarelly. Porque os buracos não são tampados para evitar manobras perigosas? Responda prefeitura..
 
Denise T. da Silva em 26/05/2011 08:52:09
pelo amor de DEus se todo mundo para pra pensar a solução é menos arrogancia de cada um e mais educação.
 
jane fernandes souza em 26/05/2011 08:49:03
A prefeitura tem precisa ter ética, é muito fácil falar mal só dos motoristas, cadê o investimento público? colocar agentes na rua pra aplicar multas sem retorno no trânsito tá provado que não resolve. Que tal a prefeitura, colocar guard-rail nas beiras de corrégos, como manda a Lei Magaly Picarelli, que tal sincronizar os semáforos para que o trânsito flua como deve, sem esse anda e para anda e para, absuro, ou ainda pintar as pistas no asfalto, ou colocar semáforo onde não tem. Será que as auto-escolas da cidade são tão ruins que aprovam e renovam motoristas tão horríveis todo ano. Alguma coisa tá errada. Prefeitura seja ética, invista a arrecadação das multas no trânsito, não basta distribuir adesivos e panfletos.
 
Denise T. da Silva em 26/05/2011 08:46:47
É tragicômico ouvir sobre ética vinda de quem vem. Que moral tem a agência pra falar de "ética" quando seus amarelinhos multam a torto e direito só para aumentar sua pontuação mensal e garantir um valor maior em seus contra cheques no fim do mês? Preferem fiscalizar carros estacionados do que encarar motorista fazendo barbaridades nas ruas (carro parado sozinho não reclama)..........típico caso do "faça o que eu digo, não faça o que eu faço".
 
Bruno Nodes em 26/05/2011 08:41:05
Fiz meus comentários anteriormente.Mas não resisti ao ler a bela esplanação do Jean Carlos Santos.
Sofri um acidente feio em 2002 dentro do DETRAN.Justamente por conta dessa história de freio.Na realidade o Sr. Fernando(auto escola *** ******),entregou a moto ligada na minha primeira aula e pediu para que subisse.Relutei em aceitar a ordem,pois não conhecia a máquina,não sabia ligar,freiar,sair,nada,nada....o mesmo disse: você já aprendeu a dirigir é a mesma coisa(só na cabeça irresponsável dele).Em menos de 30' de aula a moto empinou,rodou e pranchei no chão.Resultado braço e mão(escafóide,9meses de gesso) quebrados e hematomas pelo corpo.Ninguém deu assistência,apenas esquivaram do problema.A auto escola,disse que o tal instrutor estava apenas prestando um serviço temporário.Pois segundo eles,o referido instrutor não era funcionário,é mole?
Esse povo é muito complicado...Vários deles são muito ignorantes (verdadeiros chucros),que adoram dar cantadas em sua alunas e durante os percurso,mais paqueram as meninas do que auxiliam os seus alunos.Ainda bem que tive sorte pelo menos no carro.Peguei o grande Paulo (poucos como ele), da mesma auto escola esse era muito bom.
Autoridades do DETRAN,fiquem atentos as aulas nesse pátio. Muitos instrutores colocam seus alunos na pista e vão conversar fiado, tomar tererê, ou jogar pelo celular(o que aconteceu na epóca do meu acidente.Estava pela primeira vez no local e só na pista). Lugar de "professor" é ao lado do aluno.
 
neyde de oliveira em 26/05/2011 08:39:00
falta conscientização e morrer certo não tem vantagem
 
Adão das neves em 26/05/2011 05:29:12
O que eu não entendo é o seguinte: Já é a segunda vez que vejo alguém se pronunciar dizendo que "O objeto é evitar a morte", colocando a culpa no excesso de velocidade. Ok, concordo e acho louvável isso. Mas não será melhor evitar O ACIDENTE? Todo acidente é precedido de uma infração, infração é causada por: falta de atenção, imperícia e imprudência. Eu vejo que o poder público "culpa" mais o excesso de velocidade. Ok, é uma das causas, mas é um problema bem maior.
Como combater falta de atenção? Como combater a imperícia? Exigindo mais na formação do motorista/piloto. É muito fácil passar no teste do Detran, fácil demais. A pessoa tira a habilitação mas vai aprender mesmo com o tempo, não pode ser assim. Já falei aqui uma vez, falo de novo, um absurdo que vi quando tirava habilitação de moto: A maioria dos instrutores ensinando os alunos a usarem somente o freio traseiro da moto, com medo dos alunos perderem o equilibrio usando o dianteiro. Tenho muito amigos que ficam loucos comigo quando falo que uso bem mais o dianteiro, "mas como, não trava a roda??, vc é louco!". O que para a moto é o freio dianteiro, o traseiro ajuda somente no equilibrio. Já vi moto bater atrás de carro por causa disso! Não conseguir parar a moto quando tomou uma fechada, sendo que não estava correndo, estava muito próximo ( todo mundo faz isso, ninguém mantém distância de segurança ). Veja bem, vc entrega a habilitação pra um sujeito que não aprendeu o básico que é freiar!?
Você ta de moto vc vai tomar fechada, é normal, moto é pouco visível, a pessoa não te viu e joga o carro, se vc vier chutado, não sabe frear e ainda desatento, vai se esborrachar mesmo.

Moto correndo e podando pela direita eu vejo direto, infelizmente. Assim como vejo motorista de carro que não da seta, que sai do estacionamento sem olhar, falando ao celular, etc. Enfim, o problema não é "esse" ou "aquele", são "esses problemas". Enquanto o poder público não for na raiz do problema, estamos condenados a um trânsito cada vez mais estressante e perigoso.

Melhorar a formação, educação de trânsito é o caminho. E por favor, não venha com essa conversa de vias largas e sei lá o que, asfalto de CG ta um verdadeiro LIXO.
 
Jean Carlos Santos em 26/05/2011 04:41:33
Serei breve, pois meu tempo é curto! Hipocresia, e demagogia! Isso é o que vejo quando chega a mim as declarações da agetran e do governo estadual á respeito do trânsito! Parece-me proposital o caos! Julguem e punam os que devem ser punidos! Sem punição as barbaridades continuarão, sem policiamento continuar-se-á este genocídio de jovens. Incrível é a falta de direcionamento e de seriedade para com estas políticas. População deve cobrar punição aos magnatas que matam no trânsito, e que amanhão estão por aí, garantido por habeas corpus e impunes!
 
Luís Henrique Klamas obregon em 26/05/2011 04:04:06
Parabéns Nadyenka Castro , vc quando faz reportagem faz bem feito , o nosso transito está horrivel , depois de quase 10 anos pilotando moto , resolvi vender minha moto e andar de onibus pois e mais seguro.
 
Luiz Carlos em 26/05/2011 03:36:27
Parabéns Nayenka,pela brilhante reportagem.
Concordo com o João Batista,Mª dos Santos e Augusto Roberto.
Na realidade é muito complexo, envolve uma série de fatores.
Não acredito que seje só falta de sinalização.Afinal,ocorrem acidentes estúpidos em locais com boa sinalização.O povo bate em qualquer lugar.Quanto a FALTA de educação no trânsito e consequentemente respeito para com o outro, é comum observarmos pelas ruas da capital.
Não concordo, quando muitos falam que o pessoal de CAMPO GRANDE é isso ou aquilo.Concordo sim,que as pessoas que AQUI estão,muitas são irresponsáveis,negligentes,mal educadas...independente da sua naturalidade.Façam uma pesquisa com os envolvidos em acidentes,pergunte de onde são.Gde parte é de fora,está morrando ou esta a trabalho na cidade.
Até minha bela Curitiba,têm pessoas mal educadas,imprudentes....Afinal,é ser humano bicho complicado.
Têm que fazer valer essas leis,fazer embreagado passar pelo bafômetro,dar corretivo pessado para infrator de trânsito.
Essa história de bafômetro,chega ser uma piada de mal gosto.O cara está "mamado" e têm o DIREITO de recusar o bafômetro.PORQUE,diz a "lenda" que qualquer cidadão não pode produzir prova contra ele mesmo,é mole?Então PORQUE, criaram isso...mais um motivo para desviar dinheiro, nas compras desses equipamentos que não são nada baratos.
Uma outra crítica: Vejo muitos instrutores principalmente de moto fazendo horrores pelas ruas.Ultrapassam pela direita,não dão seta ou esquecem de inverte-las,param na faixa,embicam a moto na frente dos veículos.Cada uma que a gente vê...Sem contar que alguns motoristas do Detran pisam muito, onde a velocidade é 60km(Pq dos Poderes).Dias atrás,fui ultrapassada pela direita por um desses no Parque.Ele deveria estar de 90 a 100km.
Agora pergunto,quem têm que dar exemplo faz coisas de arrepiar qualquer um de medo.Como vai EDUCAR esse povo?
Sugiro que as pessoas ajudem as autoridades tbém,com imagens de infratores ou coisa parecida.Denúcie,caso veje alguma empresa com veículo em alta velocidade ou praticando qualquer tipo de infração.Muitas das vezes, o patrão/chefe não sabe o que acontece longe de seus olhos.

 
neyde de oliveira em 26/05/2011 03:07:03
o grande problema do nosso trânsito é cultural, vem de berço, e aliado com financiamento a perder de vista, os menos favorecidos estão tendo maior condições de andar de carro ou moto, que hj sai mais barato do que andar de coletivo, o resultado é o que nos estamos vendo, santa casa cheia.
 
misael g nishimura em 26/05/2011 02:39:14
Concordo com o Bruno, pois CIPTRAN e AGETRAN, só serve para multar e mais nada. Cadê a orientação aos condutores? Nas blitz só que é punido é os coitados que não tem condições de paga o absurdo dos impostos.
 
Edmilson Rodrigues em 26/05/2011 01:59:13
gente campo grande não é o mesmo de 10 anos atras, a frota aumentou demais
,tem que sair mais cedo de casa, e respeitar os limites de velocidade das vias,
praticar direção economica tambem é uma boa idéia,aspessoas esta vendo o sinal
fechado e esta empurando o pé no acelerador, depois da aquela baita freiada, tem
motoristas que não sabe nem o que é séta, voce liga a seta e ele ainda buzina,
tem que ter cortezia no transito, isso sim falar nos motoqueiros que eu prefiro nem
comentar.
 
Romildo Miras em 26/05/2011 01:19:27
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions