A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

13/02/2015 17:43

Oficiais vão à Justiça contra secretário que acusou PM de abandonar trânsito

Ricardo Campos Jr.
Destaque mostra a frase polêmica em nota publicada no site da Semsp (Foto: reprodução/ internet)Destaque mostra a frase polêmica em nota publicada no site da Semsp (Foto: reprodução/ internet)
Guarda municipal no trânsito de Campo Grande (Foto: Marcelo Calazans)Guarda municipal no trânsito de Campo Grande (Foto: Marcelo Calazans)

A Associação dos Oficiais Militares de Mato Grosso do Sul protocolou interpelação judicial pedindo que o secretário municipal de Segurança Pública, Valério Azambuja, esclareça declaração publicada em nota no site da pasta afirmando que o alto número de multas dos guardas municipais de Campo Grande se deve “ao quase completo abandono a que a fiscalização de trânsito foi submetida pelo órgão de policiamento militar, no ano passado”.

Veja Mais
Secretário defende Guarda e atribui multas ao abandono das ruas pela PM
Guarda Municipal prende homem que furtava telhas de zinco

“Ele emitiu um juízo de valor da atividade desempenhada pelos PMs. Nós entendemos que ele extrapolou em sua fala, entrou em uma seara que não lhe diz respeito, então, entendemos que ele tem que explicá-la”, disse o presidente da Associação, coronel Alírio Vilassanti, ex-comandante do antigo Ciptran (Companhia Independente de Polícia de Trânsito).

O texto foi emitido em resposta à declaração de vereadores que questionaram o aumento na quantidade de notificações feitas pelos guardas, que a partir de parceria com o Detran-MS e Prefeitura, chegando a afirmar a existência de uma “indústria da multa”.

A nota técnica diz que os agentes foram capacitados e receberam certificado “dentro das normas legais e pertinentes e no interesse da segurança no trânsito”.

“Ele [secretário] vive nas formaturas da PM, está sempre em nosso meio e ainda critica a nossa corporação?”, questiona Vilassanti, que afirma estar aberto ao diálogo caso Azambuja queira fazer algum tipo de retratação. “Mas tem que ser publicamente, não vamos aceitar em caráter privado”, diz.

Por meio da interpelação, o chefe da Semsp (Secretaria Municipal de Segurança Pública) deverá esclarecer perante a Justiça a declaração, que pode configurar crime de calúnia ou difamação, dependendo da explicação.

Azambuja afirmou que não tem nada a declarar sobre o caso. “Se fizeram isso, fica por conta do Judiciário se manifestar e da população, se ela quer ou não quer que a Guarda continue a fazer o papel dela de fiscalizar”, relatou.




É isso ai. Tem que interpelar judicialmente mesmo. Falta de respeito com uma corporação centenária, isso que não entende nada de transito e vem ai falar do que não conhece. Nota zero para ele. E desde quando quantidade é qualidade Luiz Pereira? Não sou contra a GM atuar no transito, mas as duas instituições tem que aprender a se respeitar.
 
Joao em 14/02/2015 08:27:43
O abandono da fiscalização pela PM não é apenas uma opinião do secretário: e um fato, bastando uma volta no trânsito da cidade ou uma visita qualquer hospital para que isso fique claro. Por que a PM não rebate os comentários informando o número de multas aplicadas? Porque esses números são vergonhosos para a PM!!!!
 
Luiz Pereira em 13/02/2015 19:42:11
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions