A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

07/05/2013 08:35

Trânsito fica mais lento e caminho de casa ao trabalho já não é o mesmo

Nadyenka Castro e Helton Verão
Trafegar em Campo Grande já exige paciência (Fogo: João Garrigó)Trafegar em Campo Grande já exige paciência (Fogo: João Garrigó)

De uns tempos para cá, para não chegar atrasado aos compromissos o ideal é sair com bons minutos de antecedência. Aqueles 10, 15 minutinhos antes só para quem está bem perto do local de destino, e mesmo assim ainda é arriscado.

Veja Mais
Motociclista sofre várias fraturas após colidir moto em poste
Carro capota após colisão no cruzamento da Bahia com a Barão do Rio Branco

O motivo principal é visível a qualquer um que trafega pela cidade: tem muito veículo nas ruas. O horário de pico começa mais cedo e não tem hora certa. Às 6 horas o trânsito já é intenso em algumas vias, assim como às 15 horas, no Centro.

Para fugir do trânsito lento, a orientação de quem tem experiência no volante é buscar rotas alternativas. Só que, em alguns horários, até nelas já há longas filas.

De acordo com o Detran (Departamento Estadual de Trânsito) em março do ano passado, eram 424,9 mil veículos na Capital. Destes, 219,2 mil automóveis e 122,4 mil motocicletas.

Trânsito fica lento até à noite na avenida Afonso Pena (Foto: Vanderlei Aparecido)Trânsito fica lento até à noite na avenida Afonso Pena (Foto: Vanderlei Aparecido)

No mesmo mês de 2013, eram quase 30 mil veículos a mais, sendo 233,5 mil automóveis e 129,6 motocicletas. “Está mais fácil ter carro hoje em dia”, resume a funcionária do setor jurídico de uma empresa, Michele dos Santos, de 25 anos.

Ela mora no bairro Coronel Antonino e leva cerca de 40 minutos para chegar ao trabalho. Há algum tempo, era em torno de 20, 30 minutos.

Funcionária pública aposentada, uma pedagoga de 54 anos, que não quis se identificar, conta que a cerca de 10 anos, contava no relógio o tempo que gastava para chegar ao Centro, saindo da Coophasul. “Eram três, cinco minutos. Hoje, não levo menos de 10”.

Para a psicóloga Creuza do Nascimento Sousa, de 47 anos, o aumento na frota de veículos, da população e a estrutura das vias resulta no trânsito lento. “Moro no Pioneiras e trabalho no Parque dos Poderes, as vias para chegar lá estão muito ruins, não flui”, comenta.

Motociclista sofre várias fraturas após colidir moto em poste
O motociclista Rolson Ribeiro, 34 anos, sofreu várias fraturas após colidir a motocicleta que pilotava contra um poste, por volta das 4h deste doming...
Motorista escapa de capotamento com ferimentos leves
Acidente aconteceu na rua Fernão Dias. Motorista bateu em carro estacionado....



Campo Grande tem onda verde que não funciona, motoristas despreparados, a velocidade permitida nas vias, são baixas. 50 km por hora em uma Afonso Pena (Ernesto Geisel, Mato Grosso) é muito pouco, isso sem contar os motoristas que ficam passeando e não olham no retrovisor.

Anda por campo grande as 15 horas pra ver o quanto de gente passeando nas ruas...
 
Fernando Andrade em 08/05/2013 08:46:02
Tenho uma solução imediata. Aplicar as leis já existentes.
- Tirar das ruas os carros e motos em situação irregular e sem condições de uso;
- Tirar condutores das ruas que não tenham CNH;
- Consertar e ativar os semáforos existentes;
- Subir o preço do combustível para o valor real;
 
Orlando Santos em 08/05/2013 07:48:34
Esse problema vai continuar enquanto os responsáveis pelo setor de trânsito não deixarem de atender à interesses comerciais em detrimento do trânsito. Campo Grande tem fluxo de CAPITAL mas as regras de circulação são de cidadezinha do interior. Vias em péssimo estado (tapa buraco é mesma coisa que remendo), sinalização horizontal desgastada, pessoas despreparadas no volante, etc, ajudam a piorar a situação.
Uma pessoa que não consegue dirigir em São Paulo, não deveria digirir também em Campo Grande.
Permitir conversão à esquerda em via principal de alto tráfego é atestado da incompetência dos gestores, precisam fazer Workshop em grandes cidades para aprenderem a gerir uma Capital (e esquecer essa história de costume local, isso é coisa da roça).
 
João Santos em 07/05/2013 11:33:18
ONDE FOI PARAR O SINAL SINCRONIZADO DA AV AFONSO PENA???? QUEM FOI O DESORIENTADO QUE TIROU A ONDA VERDE ???? AJUDAVA MUITO!!
 
jessica campos em 07/05/2013 11:13:01
É tanto carro na Rua Antonio Maria Coelho no período das 6:30h até as 8:00h, que tem motorista batendo o veículo a 10, 15, 20 Km/h na faixa do meio da pista e deixando o transito mais caótico. É pra começar bem o dia. (sic)
 
Renato Gonçalves em 07/05/2013 10:48:24
O transito nacional tem um cancer, qual trabalhador que nao quer comprar um carro ou moto para passear com sua familia ou trabalhar? a dificuldade nacional esta na falta de comprometimento dos agentes ligados ao transito, transporte publico caro...No caso de Campo Grande a nossa cidade comporta ate o triplo da frota atual, é uma cidade plana e ruas largas, o problema esta falta de comprometimento... não tem sala de monitoramento da cidade em tempo real para fins de detectar situaçoes de engarrafamento, não tem sinalizações verticais adequadas, não tem politica de transito voltada ao ensinamento do trafego em nossa cidade, nao ha manutençao nas vias coletoras visando alternativas de rotas, e o principal o cerebro do transito "NÃO ha sinalizaçao semafórica. Educação+Cidadania=transito legal.
 
Alexandre Nogueira em 07/05/2013 10:45:43
...completando o que os colegas ai já disseram...que sem contar que em diversos pontos da cidade a cerca de 200 mts. eu já sei se tem agentes de trânsito cuidando do trânsito, assim como na rotatória da Rua Ceará com a Joaquim Murtinho, que a cerca de 200 mts da rotatória o trânsito já está travado, bagunçado e com todos os motoristas irritados pela bagunça que os agentes causam no trânsito da cidade, não sei se por despreparo ou falta de capacidade mesmo. Mas é lamentável que alguém que está ali pago por nossos impostos para nos ajudar, acabe por nos atrapalhar tanto...
E o problema é que depois de vários minutos nesse trânsito travado, após passar os agentes os motoristas começam a lutar por um espaço para poder reaver o tempo que ali perderam, o que nos expõe à imprudência e velocidade.
 
Bruno Ferreira em 07/05/2013 10:26:08
Falta antes de viadutos,que deixam a cidade feia, uma boa rede de semáforos cinclonizados de forma que o trânsito flua, a de campo grande já é ultrapassada foi colocada em 1986 quando a cidade era bem menor.
 
antonio costa em 07/05/2013 10:16:19
Reflexo de um péssimo transporte público que temos na capital. Ônibus sujos, nojentos, atrasados, o minimo de espera em um terminal é de vinte minutos o que é uma vergonha pois por ser um terminal deveria ter muito maior fluxo de ônibus.
Ainda têm coragem de fazer campanha nos ônibus pras pessoas andarem mais de ônibus. Quem sabe o dia que melhorarem esse transporte público da cidade.
 
Rodrigo Souza em 07/05/2013 10:10:17
É visível crescimento da cidade e o aumento de veiculos na ruas da cidade, mas percebe-se que falta consciência de condutores zelar pelo fluxo regular no trânsito. Percebe-se que tem condutores dirigindo descompromissado e desatento bem como a inexperiência em conduzir veiculos também interfere. Penso que os orgãos de fiscalização de trânsito deveria aferir diariamente os condutores que estão conduzindo de maneira inadequada seus veiculos.
 
IREOMAR SOUZA FERREIRA em 07/05/2013 10:07:28
Vamos falar a real, mesmo você sendo um deles. O que atrapalha e estraga o transito é: dirigir na mão errada sem saber aonde vai, dirigir atendendo celular, dirigir olhando numero de casas ou batendo papo com o passageiro. Ainda tem o problema de ser a 50 por hora e o cara vai a 30/h. Há também a falta de sinalização e nome de ruas e avenidas, informações, não tem em CG. Cidade moderna para ruralista. Nós somos os culpados, errados e causadores do acidente em grande parte.
 
luiz alves em 07/05/2013 09:52:30
A cidade teve um grande aumento da frota de veículos nos últimos 10 anos e em termos de investimento pelos administradores passados foi 0, não sei para onde vai o IPTU arrecadado.
 
João Crisóstomo de Campo Grande - MS em 07/05/2013 09:49:35
vários fatores contribuem para a lentidão no transito de campo grande, a meu ver, o descaso do transporte publico; as vias mal projetadas; a facilidade na aquisição do veículo e condutores, na grande maioria, que desobedecem as regras de transito e boa convivencia. Investir no tp seria um atrativo para diminuir o fluxo de veículos particulares nas vias, haja visto q não gasta-se somente combustível para manter o bem, seria uma opção para as pessoas, porém o descaso com o ser humano é tão grande que os indivíduos estão a passos largos se trancando no individualismo. Quanto as vias, principalmente onde o fluxo é maior, a sinalisão está quase sempre precária, para não dizer mal sinalizada, onde foi construída rotatórias deveriam ser elevados viadutos,não somos mais interioranos....
 
jurema cabral em 07/05/2013 09:43:27
Estranho que aconteçam engarrafamentos no trânsito de uma cidade com ruas e avenidas tão largas. Será por que aqui tudo é possível? Como, por exemplo, parar em fila dupla para pegar os filhos nas escolas, converter à esquerda em vias com trânsito em 2 sentidos, falar em celular, etc.. Ou será por que não existe engenharia de trânsito na cidade? Ou será por que não existe fiscalização de trânsito na cidade?
Existem, sim, muitas campanhas para conscientizar os motoristas (essas recebem verbas públicas e por isso são mais interessantes!).
 
ricardo rodrigues em 07/05/2013 09:33:51
O transito está com um fluxo maior isso não tem como negar, mas ajudaria e muito se pessoas lembrassem por exemplo que existe outros trajetos para o mesmo destino, e que em muitos casos o caminho mais longo é o mais curto (em questão de tempo) e mais econômico também, pois, não tem que toda hora engatar a primeira.
Isso sem contar os displiscente do transito.
 
Marcio Brunholi em 07/05/2013 09:31:54
CAMPO GRANDE NECESSITA URGENTE DE VIADUTOS PARA FLUIR MELHOR O TRÂNSITO EM ALGUNS CRUZAMENTOS. A visão de cidade de interior "já era"!
 
Paulenir de Barros em 07/05/2013 09:30:54
O dia que todos os motoristas de Campo Grande tomar ciência, que o número de veículos aumentou (triplicou), e o tempo de ir de casa ao serviço dobrou, pois agora a velocidade limite em nossas ruas é de 50 km/h, o número de acidentes em nossas ruas diminuirão pela metade. Assim nosso transito voltará a ser tranquilo como era antigamente.
 
sidnei arioza em 07/05/2013 09:26:19
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions