A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

19/10/2012 20:07

Uso da cadeirinha reduz acidentes com mortes de crianças

Nícholas Vasconcelos
A pequena Valentina de três anos vai na cadeirinha desde do carro da mãe depois da escola. (Foto: Minamar Júnior)A pequena Valentina de três anos vai na cadeirinha desde do carro da mãe depois da escola. (Foto: Minamar Júnior)

A obrigatoriedade do uso da cadeirinha infantil reduziu em 23% o número de mortes de crianças em até 10 anos em acidentes de trânsito, segundo pesquisa do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). O estudo divulgado essa semana avaliou o primeiro ano da Lei e apontou que o equipamento foi responsável por uma redução de 15% no número de óbitos de menores de 10 anos no país, a partir das informações do Sistema de Informação de Mortalidade do Ministério da Saúde.

Veja Mais
Mototaxistas e taxistas se juntam e percorrem Afonso Pena contra Uber
Homem que morreu atropelado tinha 51 anos e foi identificado pela mãe

Segundo a pesquisa, de setembro de setembro de 2009 a agosto de 2010, foram registradas as mortes de 296 crianças. Já entre setembro de 2010,quando a lei passou a valer, e agosto de 2011, o número caiu para 227. De acordo com o Ipea, em seis anos, é a primeira vez que há registro de queda.

Nas ruas de Campo Grande, o uso da cadeirinha é consenso entre os que transportam os pequenos. A jornalista Marithe Cogo, 30 anos, conta que sempre transporta a filha Valentina, de 3 anos, com o uso da cadeirinha, e que tanto no carro dela quanto o do marido têm o equipamento. “Eu já sofri uma batida traseira,você sente o impacto e que pode ir pra criança se não estiver na cadeirinha”, detalha.

O levantamento do Ipea apontou que nos cinco anos anteriores à obrigatoriedade, houve aumento gradual do número de mortes. De 1°de setembro de 2005 até 31 de agosto de 2006 foram 238 mortes; enquanto de 1° de setembro de 2009 até 31 de agosto de 2010 foram 296 óbitos.

 De acordo com a resolução, crianças de até 12 meses devem ser transportados no bebê-conforto. De um a quatro anos, têm de seguir em cadeirinhas e entre quatro e sete anos e meio, o ideal é que utilizem o assento de elevação.

A sensação de segurança também é apontada como uma das garantias para quem usa a cadeirinha, como diz a diretora de escola Eliete Barros, 50 anos, que havia ido buscar o neto Theo Barros, de 1 ano e quatro meses na escola. “Eu tenho no meu carro, no carro da minha filha e a certeza da segurança quando carrego”, contou.




Olá! Parabéns Marithe! Todos os dias vejo pais negligenciando esta regra que sabemos ser eficaz na proteção dos nossos filhos e crianças que transportamos. Eu fico indignado ao ver pais e avós colocarem filhos e netos no banco da frente, no colo do adulto e sem cinto no adulto. Se não tivesse exemplo de salvamento de crianças em cadeirinhas, se crianças tivessem morrido devido ao seu uso, etc...ainda ia lá. Parece que só se usa cadeirinha para se aparecer para o fiscalizador tarado por multar infrator. Na verdade a multa é um recurso educacional que tenta alertar sobre o risco à vida. A criança pode chorar sem saber o motivo, mas se você chorar o motivo pode ser irreversivel, e você sabe. FIM DE SEMANA TAMBÉM SE MORRE POR NÃO CUIDAR DA SEGURANÇA. Éder.
 
Éder Vera Cruz em 21/10/2012 14:28:53
Adorei participar da matéria com a minha filha...obrigada Nicholas!
 
Marithe Cogo em 19/10/2012 21:28:51
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions