A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

23/02/2011 16:07

Em nota, associações de PMs pedem a Puccinelli revogação de medidas da Sejusp

Marta Ferreira

Nota divulgada nesta tarde por três associações que representam os policiais militares de Mato Grosso do Sul pede ao governador do Estado, André Puccinelli (PMDB), que sejam revogadas duas resoluções baixadas ontem pela Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública), estabelecendo regras para o trabalho da Corporação.

As medidas provocaram polêmica principalmente em dois pontos: ao estabelecer que presos só poderão ser entregues a delegados de Polícia Civil e ao restringir o trabalho do Serviço de Inteligência da PM à atuação de policiais da Corporação.

Assinam a nota a Associação de Cabos e Soldados da PM/BM/MS, a Associação Beneficente de Sub-Tenentes e Sargentos da PM/BM/MS e a Associação dos Oficiais da PM/BM/MS.

Confira abaixo a íntegra do texto:

As Associações de Cabos e Soldados, Subtenentes e Sargentos e de Oficiais da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso do Sul, vêm a público se manifestar sobre o teor das Resoluções 541 e 543, editadas pela Secretaria de Estado e Justiça e Segurança Pública, publicadas no Diário Oficial n. 7.894, que dispõe sobre o encaminhamento pela PM de presos em flagrante para a autoridade policial, bem como sobre a normatização de atuação de setores de inteligência da Polícia Militar.

Considerando que o Comandante Geral da PM/MS, elaborou e implantou um projeto de policiamento, ouvindo vários segmentos da sociedade civil organizada, entidades representativas de classe e principalmente os integrantes da instituição, que vem diminuindo significativamente os índices de violência e criminalidade no Estado de Mato Grosso do Sul;

Considerando que as resoluções publicadas vêm de encontro aos investimentos realizados pelo Governo do Estado nos últimos anos na área de segurança pública;

Considerando que a maioria das determinações contidas nas Resoluções, já são cumpridas rigorosamente pelos Policiais Militares em serviço e que da forma como foram editadas prejudicam o atendimento das ocorrências;

Considerando que as Resoluções foram elaboradas de forma unilateral, sem a participação direta dos dirigentes e representantes da PMMS, causaram um mal estar entre as instituições, prejudicando a integração entre as policias;

Considerando que o teor das Resoluções causa ingerência nas práticas policiais, gerando morosidade no atendimento da população que necessita do atendimento emergencial, em razão do engessamento no encaminhamento das ocorrências para as Delegacias de Polícia;

Considerando que as Resoluções são contrárias ao anseio popular e desconectadas da realidade do policial que efetivamente trabalha nas ruas, aliado fundamental da sociedade no combate a violência e a criminalidade.

Por fim, as Associações aqui representadas são unânimes em solicitar ao Governador do Estado, André Puccinelli, a revogação imediata das Resoluções nº 541 e 543 editadas pelo Secretário de Justiça e Segurança Pública do Estado de Mato Grosso do Sul.

Assinam:

Associação de Cabos e Soldados da PM/BM/MS

Associação Beneficente de Sub-Tenentes e Sargentos da PM/BM/MS

Associação dos Oficiais da PM/BM/MS




Senhores, com todo respeito, isso vai virar uma bagunça sem tamanho! Imaginem só, é visivel nestes comentarios a guerrinha de poder entre as policias, a PM vai chegar com o preso, passar para o delegado de plantao, que vai demorar para fazer os seus procedimentos, e nesse meio tempo os PMs, estarao presos a esta ocorrencia deixando a area desguarnecida, sem chance de dar certo. Essas regras ja nasceram mortas.
 
Wladimir Silva em 28/02/2011 08:20:02
Que falta de entendimento de ambos os lados. A PM.2 não investiga, já que isso é serviço da Policia Judiciária. O serviço prestado pela PM.2, é o serviço de inteligência, que vai municiar os trabalhos de Policia Militar. de resto é somente cumprir a constituição. Policiais que realmente trabalham, vão continuar trabalhando e com certeza quem trabalha com denodo, não leva essas picuinhas p/ o serviço. O que acontece é que na capital existem recurssos sobrando e isso vira uma fogueira de vaidades entre alguns elementos das corporações. Veja se no interior, os servidores de ambas instituições, vão brigar por isso ou por aquilo. Ou eles se unem, ou não conseguem trabalhar. BRIGA ENTRE AS DUAS INSTITUIÇÕES, SOMENTE AUMENTA O DESCRÉDITO SOBRE O SERVIÇO POR ELAS PRESTADOS.
 
Valter Antunes Oliveira em 24/02/2011 12:16:24
Senhores policiais militares,se vocês olharem por outro ângulo verão que esta mudança terá o seu lado bom;Vocês já imaginaram o tanto de transtorno que irão se livrar não levando o preso para uma OPM?.Pelo que entendi uma vez dada voz de prisão o destino é delegacia, quanto ao BO PM a elaboração será feito posteriormente em uma OPM,ao chegarem em uma DEL.POLICIA para entrega do preso certamente o delegado responsável dará um recibo de entrega do preso e também uma cópia do BO PC.Quanto a isso não sei porque estas polêmicas.O serviço continuará a mesma coisa,eu creio que esta ordem de não investigar foi para a PM 2.Mesmo assim uma vez investigando um PM,por ventura não haverá outros envolvidos?e se esses envolvidos não forem policiais?,com certeza haverá um procedimento à ser adotado
 
nilson franco de oliveira em 24/02/2011 09:41:20
Muito bonita suas palavras senhor José Silva, mas se a PC realmente trabalhasse mais, vemos corpo mole por parte de alguns é lógico, nao estamos na época da ditadura, mas creio que deveriamos somar força, todavia vejo apenas a PM, fazendo um pouco de cada função para que a população sofra menos, somente que vai numa DP que sabe o que estou falando da morosidade, ma-vontade, cara feia no atendimento, etc, ufa só de lembrar já da ansiedades, nao quero dizer que o atendimento da PM é uma maravilha mas afirmo que é bem melhor, podemos até fazer uma enquete, que vença o trabalho...
 
Pedro Paulo Diniz em 23/02/2011 09:38:47
Acho que Mato Grosso do Sul não é Brasil, porque as normas editadas pelo senhor secretario, está dentro da constituição Brasileira, o que está em desencontro é as alegaçoes das associações que fere a carta magna desse pais. a ditadura acabou faz muito tempo.
 
jose silva em 23/02/2011 05:20:06
Essas assossiaçoes deveriam fazer o seguinte, ja que nao querem apresentar o preso ao delegado, que é quem prende, façam o flagrante, presidam o inquerito, apresentem a denuncia e por, julguem logo, rsrsrsrsrsrsr.
 
antonio carlos em 23/02/2011 04:56:05
Onde vamos parar, representantes de um orgão de segurança são contrários ao que rege a Constituição Federal e o Código do Processo Penal.
Os três poderes, inclusive o executivo, que se vire para as instituições de segurança cumprirem seu papel.....
 
Marco Antonio em 23/02/2011 04:36:06
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions