A notícia da terra a um clique de você.
News Veículos
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

26/03/2014 23:08

A partir de agora os carros rebaixados estão liberados pelo Contran

Publicada hoje no Diário Oficial a nova resolução

Márcio Martins
DivulgaçãoDivulgação

Ótima notícia para os amantes dos carros rebaixados, O Conselho Nacional de Trânsito (Contran), publicou hoje (26) no Diário Oficial da União a nova resolução que dispõe sobre as regras para regularização de alterações na suspensão de veículos. Traduzindo, agora você que gosta de rebaixar seu carro ja pode fazer tudo dentro da lei, como também levantar seu veículo ou jipe e também empinar a traseira do seu caminhão.

Veja Mais
Telemetria – das pistas para o seu carro
Ford apresenta o Mustang Black Shadow E Blue Edition para A Europa

A nova resolução 479/2014 altera o artigo 6º da resolução 292/2008, que proibia sistemas com regulagem de altura.

A partir de agora os carros rebaixados estão liberados pelo Contran

O que pode agora

As novas regras liberam a alteração do carro tanto com suspensão fixa, que é a que costuma vir de fábrica, quanto com a regulável, que permite controlar a altura do veículo.

Porém, o Contran libera o uso de suspensões reguláveis para veículos com peso bruto total de até 3.500 kg, e a altura mínima do carro em relação ao solo, de 10 centímetros. Ela é medida considerando a parte mais baixa do veículo. Além disso, o conjunto de rodas e pneus não poderá tocar em parte alguma do veículo no momento do esterçamento.

O Denatran estipulou que, para caminhões, em qualquer condição de operação, o nivelamento da longarina não deve ultrapassar dois graus a partir de uma linha horizontal. E vetou alteração na suspensão dianteira, exceto para instalação do sistema de tração
e para incluir ou excluir eixo auxiliar, direcional ou autodirecional.

A partir de agora os carros rebaixados estão liberados pelo Contran

Qual o procedimento para regularizar?

Assim como ocorre com qualquer modificação das características originais de um veículo aceita pela lei, a mudança na suspensão deve ser informada ao órgão de trânsito estadual (Detran), que cobrará uma taxa.

Depois de autorizado o carro deverá ser vistoriado por uma empresa de inspeção credenciada pelo Detran. A alteração também ficará registrada no documento do veículo, onde constará inclusive com a altura em relação ao solo.




Um engenheiro mecânico estuda diversos anos, faz um projeto, entrega ao fabricante faz diversos testes em vários terrenos durante um bom tempo, com carga sem carga e define a geometria da suspensão correta para cada veículo. Daí vem qualquer um de fundo de quintal se sentindo o sabe tudo modifica o veículo sem projeto sem teste e lança a suspensão universal, daí o Boy vai lá e coloca em seu veículos sem também fazer uma revisão na suspensão e sai lá mais um veículo inseguro para viagens, estradas de terra e uso urbano e ainda autorizado pelo Contran. Sinceramente vejo que nosso país só caminha para trás. As leis que visam o bem comum pois um carro fora de controle não afeta somente o condutor mas todos os usuários da via. Não sei onde iremos PARAR.
 
Paulo Moises Honorato Pereira em 28/03/2014 15:43:28
Um engenheiro mecânico estuda diversos anos, faz um projeto, entrega ao fabricante faz diversos testes em vários terrenos durante um bom tempo, com carga sem carga e define a geometria da suspensão correta para cada veículo. Daí vem qualquer um de fundo de quintal se sentindo o sabe tudo modifica o veículo sem projeto sem teste e lança a suspensão universal, daí o Boy vai lá e coloca em seu veículos sem também fazer uma revisão na suspensão e sai lá mais um veículo inseguro para viagens, estradas de terra e uso urbano e ainda autorizado pelo Contran. Sinceramente vejo que nosso país só caminha para trás. As leis que visam o bem comum pois um carro fora de controle não afeta somente o condutor mas todos os usuários da via. Não sei onde iremos PARAR.
 
Paulo Moises Honorato Pereira em 28/03/2014 15:43:20
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.