A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

21/10/2016 10:21

Sem salário, metade das equipes do tapa-buraco cruza os braços

Empreiteira responsável ficou “famosa” por ser a autora do tapa-buraco “fantasma”

Luana Rodrigues
Trabalhadores fizeram um manifesto na manhã desta sexta-feira (21), na frente do escritório da empresa. (Foto: Divulgação)Trabalhadores fizeram um manifesto na manhã desta sexta-feira (21), na frente do escritório da empresa. (Foto: Divulgação)

Parte dos trabalhadores da Selco Engenharia, que realizam o serviço de tapa-buraco nas vias da cidades paralisaram as atividades na manhã desta sexta-feira (21), em Campo Grande, por conta do atraso no pagamento dos salários de setembro, por parte da empresa. A Selco é uma das empresas contratadas pela prefeitura para fazer o serviço de tapa-buraco na Capital.

Veja Mais
Tapa-buracos congestiona 1 km da Zahran, mas agrada motoristas
Com telhas e tijolos, moradora faz “tapa-buracos” por conta própria

Segundo o Sinticop (Sindicato dos Trabalhadores na Construção Pesada de Mato Grosso do Sul), cerca de 50 trabalhadores da Selco Engenharia fizeram um protesto hoje, em frente ao escritório da empresa na rua 16, no bairro Nova Campo Grande. Atualmente, a empresa mantém 10 equipes, com 12 trabalhadores cada.

De acordo com o presidente do sindicato, os trabalhadores estão sem receber o salário de setembro que deveria ter sido pago no começo de outubro. "Nos últimos meses, esta é uma situação recorrente. A Selco atrasa salários e coloca a culpa na prefeitura dizendo que o município não fez o repasse das verbas. Independentemente disso, é obrigação da empresa pagar em dia os funcionários", afirma.

Segundo Walter, a empresa ficou de regularizar atá a quarta-feira situação na próxima semana, caso não o faça, haverá greve. "Nós já comunicamos a Procuradoria Regional do Trabalho para tomar as providências cabíveis. A Selco já tem 51 autos de infração no Ministério do Trabalho", diz o presidente do SINTICOP.

A prefeitura alega que o repasse de verbas à Selco estão em dia e que o serviço continua sendo realizado normalmente.

Segunda vez – No início do mês de setembro, os trabalhadores já haviam paralisado as atividades após ficarem dois meses sem receber. Os pagamentos referentes aos meses de julho e agosto estavam atrasados, assim como os benefícios de alimentação.

Retaliação – Em junho, 25 funcionários da Selco foram demitidos, após cruzarem os braços em protesto por atraso salarial. Na ocasião, a denúncia que foi uma retaliação e que os trabalhadores não receberam pagamento.

A Selco é ré em ação proposta pela força-tarefa do MPE (Ministério Público Estadual), que apontou irregularidades em contratos entre a empresa e o Município para serviço de tapa-buraco.

O Campo Grande News tentou contato com a empresa pelo telefone, mas as ligações não foram atendidas.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions