A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

01/12/2016 07:25

Tenente-coronel matou marido por legítima defesa, conclui investigação

Viviane Oliveira
Tenente-coronel em uma das fotos que posa ao lado de Vadeni (Reprodução/Facebook).Tenente-coronel em uma das fotos que posa ao lado de Vadeni (Reprodução/Facebook).

A Polícia Civil encerrou inquérito sobre a morte do major Valdeni Lopes Nogueira, 47 anos, e concluiu que a tenente-coronel Itamara Romeiro Nogueira, 47 anos, ambos da Polícia Militar, cometeu o crime por legítima defesa. O inquérito contendo 323 folhas foi encaminhado ao Poder Judiciário.

Veja Mais
“Matou pra ficar com que era dele”, diz irmão de major morto por PM
Cena do crime na morte de major não foi preservada

Conforme o delegado Cláudio Graziani Zotto, da 7ª delegacia, durante as investigações foram colhidos depoimentos de familiares, amigos, vizinhos, profissionais da PM e dos técnicos que socorreram Valdeni.

No entendimento do delegado, após elementos coletados, realização da reprodução simulada e juntado todos os laudos, os fatos se deram como narrados pela tenente-coronel, ou seja, por legitima defesa. O crime ocorreu no dia 12 de julho deste ano, na casa do casal, na Rua Brasil Central, no Jardim Santo Antônio. Itamara responde pelo assassinato do marido em liberdade, desde o dia 19 de julho.

Movimentação na casa do casal no dia em que ocorreu o crime (Foto: Alcides Neto)Movimentação na casa do casal no dia em que ocorreu o crime (Foto: Alcides Neto)

Caso - A tenente-coronel matou o marido com dois tiros, depois de uma discussão. Valdeni chegou a ser socorrido, mas morreu na Santa Casa. A policial afirmou à Justiça que foi vítima de violência doméstica que já ocorria há tempos. Em depoimento, Itamara relatou que foi agredida com socos e tapas, ameaçada de morte pelo marido e agiu em legítima defesa.

Conforme o advogado de defesa da tenente, José Roberto Rosa, as discussões seguidas de agressões se intensificaram nos últimos meses e, no dia do crime, o motivo da desavença entre o casal foi uma viagem que eles fariam na madrugada para o Nordeste. A família do major contesta a tese de legítima defesa.

Em uma das entrevistas concedidas ao Campo Grande News, Valdeci Alves Nogueira, irmão da vítima, disse que iria aguardar o encerramento do inquérito, para depois tomar as atitudes necessárias. “É claro que nós vamos questionar juridicamente contra a liberdade dela e contra tudo que pudermos. É uma questão de justiça”. 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions