A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

20/02/2015 09:07

Com presidente interino, Câmara empossa três novos suplentes

Outros dois suplentes serão empossados na sessão de segunda-feira e Legislativo deve abrir processo de cassação dos afastados

Helio de Freitas, de Dourados
Reunião na Câmara em que foi apresentado ofício do juiz local comunicando afastamento de mais cinco vereadores (Foto: Jota Oliveira/Naviraí Notícias)Reunião na Câmara em que foi apresentado ofício do juiz local comunicando afastamento de mais cinco vereadores (Foto: Jota Oliveira/Naviraí Notícias)

Mais três suplentes foram empossados ontem na Câmara de Naviraí, cidade a 366 km de Campo Grande. Claudio Cesar Paulino da Silva (PTdoB), Manoel Messias de Assis (PTdoB) e Alexandre Orion Reginato (PSDB) tomaram posse durante reunião na sede do Legislativo, comandada pelo presidente interino Benedito Missias de Oliveira (PR). Outros dois suplentes, Márcio Albino e Josias de Carvalho, que não estavam presentes na reunião de ontem, serão empossados na sessão segunda-feira, dia 23.

Veja Mais
Juiz revoga prisão domiciliar de três réus da Operação Atenas
Juiz acata recurso do MP e mais cinco vereadores viram réus por corrupção

Os cinco suplentes substituem os vereadores Moacir Aparecido de Andrade, Jaime Dutra (PT), José Odair Gallo (PDT), José Roberto Alves (PMDB) e Mário Gomes (PTdoB), afastados na semana passada depois que o juiz Paulo Cavassa de Almeida acatou recurso do Ministério Público e os transformou em réus por organização criminosa na ação penal da Operação Atenas. A denúncia tinha sido rejeitada em outubro do ano passado pelo juiz substituto, Eduardo Magrinelli Junior.

Na reunião de ontem, o procurador jurídico da Câmara leu o ofício em que Paulo Cavassa de Almeida comunica sobre a situação dos cinco vereadores e informa que eles estão afastados do mandato e proibidos de se aproximarem a menos de 200 metros do Legislativo. O magistrado detalhou as denúncias do MP contra Moacir, Jaime, Gallo, José Roberto e Mário Gomes, feitas com base na investigação da Polícia Federal.

Moacir Andrade presidia a Câmara desde outubro, quando o então titular do cargo, Cícero dos Santos, o Cicinho, foi preso acusado de comandar o esquema de desvio de recursos e de diárias fraudulentas, cobrança de propinas e extorsão.

Assim como outros oito vereadores, esses cinco são acusados de fazer parte do esquema de corrupção desvendado pela Polícia Federal após a denúncia de um empresário local, chantageado a dar dinheiro ao grupo, liderado por Cícero dos Santos, para conseguir o alvará de um posto de combustíveis. A PF apurou vários outros casos de extorsão e recebimento de diárias fraudulentas do Legislativo.

Eleitos fora da Câmara - Os cinco vereadores afastados na semana passada eram os últimos eleitos em 2012 que ainda permaneciam nos cargos. Cinco tinham sido presos pela PF no dia 8 de outubro – Cicinho, Adriano José Silvério, Carlos Alberto Sanches, Solange Melo e Marcus Douglas Miranda. Os três primeiros foram cassados no dia 12 de janeiro e os outros dois renunciaram.

Três vereadores foram afastados no início de novembro, substituídos por suplentes e atualmente enfrentam processo de cassação por quebra de decoro – Elias Alves (Pros), Gean Carlos Volpato (PMDB) e Vanderlei Chagas (PR).

Na sessão da próxima segunda, além da posse de dois suplentes, a Câmara deve instaurar mais uma Comissão Processante, que na prática é um processo de cassação de Moacir Andrade, Jaime Dutra, Odair Gallo, José Roberto e Mário Gomes por quebra de decoro.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions