A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

11/08/2015 10:07

Em greve, servidores bloqueiam rodovia e dificultam acesso de carros

Protesto de administrativos e professores da UFGD começou às 6h no trevo de acesso à cidade universitária; greve dura 74 dias

Helio de Freitas, de Dourados
Grevistas da UFGD bloqueiam rodovia para entregar panfletos sobre movimento nacional (Foto: Eliel Oliveira)Grevistas da UFGD bloqueiam rodovia para entregar panfletos sobre movimento nacional (Foto: Eliel Oliveira)

Para pressionar a presidente Dilma Rousseff (PT) e o Ministério da Educação, servidores administrativos e professores da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), em greve há 74 dias, bloqueiam na manhã desta terça-feira (11) a Avenida Guaicurus, que liga o Centro à cidade universitária e ao aeroporto de Dourados, a 233 km de Campo Grande.

Veja Mais
HU começa da “estaca zero” projeto de unidade para atender mulheres e crianças
Sem repasse, UFGD completa 10 anos em crise e suspende pagamentos

A greve começou no dia 28 de maio e segue paralisação nacional dos servidores das universidades federais brasileiras. Os professores também estão parados e em Dourados o movimento prejudica inclusive o atendimento de pacientes no HU (Hospital Universitário), onde, além dos administrativos, parte dos médicos também aderiu. O calendário acadêmico da UFGD foi suspenso há duas semanas.

Durante o protesto, os grevistas entregam panfletos aos condutores e liberam o tráfego a cada dez minutos. Até 9h o congestionamento chegava a dois quilômetros. O bloqueio foi montado no trevo que dá acesso ainda aos distritos de Picadinha e Itahum.

Reivindicações – A campanha salarial unificada dos servidores públicos federais, lançada em março de 2015, defende reajuste linear de 27,3%, política salarial permanente com correção das distorções e reposição das perdas inflacionárias, data-base em 1º de maio, direito de negociação coletiva e paridade salarial entre ativos e aposentados.

Além da campanha salarial, os servidores protestam contra os cortes no orçamento da educação. Na UFGD, segundo informações da reitoria, do orçamento de 2015 ainda não foram liberados 28% do custeio (despesas de funcionamento, administrativas e bolsas) e 75% dos recursos destinados a investimentos (construções, aquisição de equipamentos e livros).

Agosto vermelho – De acordo com o comando de greve, agosto será o mês de luta e mobilização nacional dos técnicos administrativos em educação do Brasil. Para reforçar a greve, o mês intitulado “Agosto Vermelho”, começou com a Caravana Nacional pela Educação que ocorreu nos dias 5 e 6 agosto e reuniu milhares de servidores de todo país em Brasília.

Alunos, professores e técnicos administrativos da UFGD participaram, no dia 6, da Marcha Unificada dos Servidores Públicos Federais. A greve dos técnicos administrativos em educação atinge 67 universidades e instituições federais.

Protesto no trevo de acesso ao aeroporto e à cidade universitária provocou congestionamento (Foto: Eliel Oliveira)Protesto no trevo de acesso ao aeroporto e à cidade universitária provocou congestionamento (Foto: Eliel Oliveira)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions