A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

05/03/2011 08:03

Nível do rio registra 9,9 metros e situação segue crítica em Aquidauana

Fabiano Arruda

Transição para Anastácio está impedida para veículos

Foto aérea mostra altura no rio Aquidauana, que forçou o fechamento das duas pontes(Foto: Rhobson Lima/O Pantaneiro)Foto aérea mostra altura no rio Aquidauana, que forçou o fechamento das duas pontes(Foto: Rhobson Lima/O Pantaneiro)

A medição do Corpo de Bombeiros, feita nesta manhã no rio Aquidauana, registrou 9,9 metros.

Ontem, a régua de medição, que tem 10 metros, segundo os bombeiros, simplesmente sumiu com a alta do nível do rio.

A corporação informa que desde ontem à tarde não chove na região.

Mas a situação segue crítica. A transição entre Aquidauana e Anastácio está impedida para veículos por conta do fechamento das duas pontes.

O trânsito está liberado apenas para pedestres, graças a uma passarela construída pelo Exército. Cerca de 50 militares auxiliam os bombeiros no município.

A expectativa do Corpo de Bombeiros de Aquidauana é que, com a trégua da chuva, o nível do rio possa baixar significativamente agora à tarde.

Até agora, cerca de 240 famílias ribeirinhas tiveram que deixar suas casas por conta da cheia.

A maior parte desse número abandonou seus lares por conta própria e foi procurar abrigo na casa de familiares.

Os ribeirinhos atendidos pelos bombeiros e pela Prefeitura de Aquidauana foram alojados no ginásio Poli Esportivo, na igreja do bairro Alto e na Escola Cândido Mariano. No total, até agora, são 47 famílias instaladas nos locais.

Só ontem, os bombeiros atenderam pelo menos 150 ocorrências. A corporação acredita que, entre Anastácio e Aquidauana, há pelo menos 400 ribeirinhos.

As famílias desalojadas só poderão voltar para suas casas dias depois do nível do rio baixar. A marca normal é de 3,5 metros.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions