A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

04/06/2012 10:18

Indiciada por homicídio doloso médica que deu dipirona a paciente alérgica

Paula Maciulevicius

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, uma das provas que sustentou o indiciamento é um vídeo que comprova o péssimo atendimento prestado pela médica

Letícia morreu após quatro idas ao hospital. (Foto: Arquivo/João Garrigó)Letícia morreu após quatro idas ao hospital. (Foto: Arquivo/João Garrigó)

A Polícia Civil de Bonito concluiu o inquérito e indiciou a médica Caroline Franciscato, que aplicou dipirona em uma paciente alérgica, por homicídio doloso. O caso aconteceu em abril deste ano, no hospital João Darci Bigaton, em Bonito.

A profissional aplicou o medicamento mesmo constando no prontuário da paciente Letícia Gottardi Correa, 19 anos, alergia à dipirona.

O delegado responsável pelo caso, Roberto Gurgel de Oliveira Filho dará outros detalhes da investigação que culminaram no indiciamento da médica às 15h de hoje, em uma coletiva na Delegacia Geral da Polícia Civil, em Campo Grande.

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, uma das provas que sustentou o indiciamento, é um vídeo que comprova o péssimo atendimento prestado pela médica.

Caso - Letícia Gottardi Côrrea morreu no dia 7 de abril, após quatro idas ao hospital. No prontuário da paciente constava que a jovem era alérgica à dipirona.

No entanto, os documentos também comprovam que Letícia recebeu, a mando da médica, duas injeções com o medicamento. O resultado preliminar da causa da morte foi choque anafilático.




Esse tipo de profissional tem mais é que responder por suas atitudes. Temos que dar um basta na impunidade para que sirva de exemplo a todos os profissionais da área da saúde, que muitas vezes se esquecem do juramento que fizeram em suas colações de grau.
 
Andreia Garcia Leite em 04/06/2012 11:23:25
Não estamos colocando em evidência as causas de uma pessoa procurar socorro médico. a médica em questão faltou com respeito ao colega que havia realizado o primeiro atendimento .e com a recomendação do prontuário alertando para não usar dipirona .Nós estamos sujeitos à passar por isso ,Deus nos livre e proteja os profissionais sérios mas para os irresponsáveis a justiça seja feita.
 
maria tereza rossi mallmann em 04/06/2012 10:30:30
Indicia-la sim por homicidio, mas a meu ver não doloso (com intenção). Homicidio doloso sem motivo ou raiva extrema da paciente? Acredito que tenha havido omissão da médica em não prestar atenção ao prontuário, mas dizer que foi doloso é muito pesado. O justo seria indicia-la por homicidio culposo (sem intenção). Sejamos justos.
 
claudio duailibi em 04/06/2012 09:06:18
Mesmo ela não ter morrido pela aplicação de dipirona, só pelo fato de estar no prontuario q ela seria alérgica isso já é uma falha médica desculpe ai sociedade se vocês querem acobertar um monstro de baixo de um pano branco .
 
Kêmylla Santos em 04/06/2012 06:40:19
Carlos renato devagar que o andor é de barro antes de condenar as pessoas deveria pensar em que vc deveria fazer para melhorar o sistema as criticas são faceis de realizar
 
LUIS JÚNIOR em 04/06/2012 05:24:13
Já estou de saco cheio de CORPORATIVISMO: MÁFIA DE BRANCO!!! É HOMICÍDIO DOLOSO SIM! Se ela sabia que a universitária era alérgica à dipirona, e, mesmo assim, aplicou diretamente na veia, assumiu o risco e as consequências! Seria o mesmo que dar uma colher cheia de sal a um hipertenso, ou cheia de açúcar a um diabético! Aprendam que vocês (médicos) também se submetem ao nosso Código Penal!
 
Carlos Renato Lopes em 04/06/2012 03:35:58
Concorco com o Antonio, tem muita coisa por tras dessa estória, julgar é muito fácil, mas a classe médica toda afirma que a causa da morte foi outra. É necessário verificar se isso não foi feito para agradar aos familiares e ter em quem colocar a culpa de uma menina que morreu dada inflamação no apêndice!!
 
Vinicius Rodrigues em 04/06/2012 02:43:05
Seria interessante ouvir o sindicato dos médicos, existe médica integrante de seus quadros dizendo aos quatro ventos que a causa da morte não tem relação com o medicamento...
Aliás, seria bom o delegado informar qual foi o resultado da necropsia!!
 
ANTONIO CARLOS ZACARIAS em 04/06/2012 02:11:03
Se essamedica nao queria trabalhar deveria ceder vaga pra outros prque brincar com vida do outros ai deu no que deu,, ela estava ciente q moça era alergica quis testar paciente
sera que ela estudou onde ,,, onde se formou essa Dra ??? pois tirou um avida de uma bela jovem e agora?? ela vai pagar por isso mas vida ela nao pode devolver,,, complicado Saude ,,, ta cada dia pior ,,, ate onde iremos,
 
rosilene leonel em 04/06/2012 01:58:16
QUAL O MOTIVO QUE IMPEDE O CAMPOGRANDENEWS EM INFORMAR O NOME DA MÉDICA? PORQUE SÓ O DA PACIENTE QUE MORREU ESTUPIDAMENTE? AFINAL, ELA FOI INDICIADA POR HOMICÍDIO DOLOSO, OU SEJA, QUE TEVE A INTENÇÃO DE MATAR. PORTANTO..............
OS SENHORES TÊM QUE "MATAR A COBRA E MOSTRAR O PAU"!
 
FERNANDO VALADARES NOVAES em 04/06/2012 01:29:25
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions