A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

25/03/2012 16:59

Rapaz confessa estupro e diz que olhava menina de 12 anos há tempos

Mariana Lopes

Leandro de Oliveira, 20 anos, foi preso na sexta-feira (23), um dia depois do crime

Leandro de Oliveira poderá pegar até 30 anos de prisão (Foto: Diário Online)Leandro de Oliveira poderá pegar até 30 anos de prisão (Foto: Diário Online)

Acusado de estuprar e matar Françoise Steffani Silva de Oliveira, 12 anos, na última quinta-feira (22), em Corumbá, Leandro de Oliveira, 20 anos, foi preso no dia seguinte ao crime e confessou a violência contra a menina.

De acordo com a delegada Priscila Anuda Quarti Vieira, titular da Delegacia de Atendimento à Infância, Juventude e Idoso (DAIJI), Leandro havia sido detido como suspeito logo após os policiais terem encontrado o corpo.

Segundo o Diário Online, a delegada contou que foi Leandro e a irmã que fizeram a denúncia no final da tarde de quinta-feira, alegando que teriam visto um homem saindo do matagal, onde teria um corpo. Como testemunhas, os dois foram interrogados e, de acordo com a delegada, as informações não eram as mesmas, mas como não havia provas, a dupla foi liberada.

“A princípio, eles disseram que teriam passado pelo local, para ir buscar um medicamento na casa da tia. No dia seguinte, após vários confrontos de informações, a irmã de Leandro confessou que ele era o autor do crime.”, relata a delegada.

No interrogatório do jovem, a delegada disse que a irmã dele havia relatado o que aconteceu e Leandro acabou confessando o estupro. “Ele disse que havia abordado a Steffani, a levado para o matagal e abusado dela", disse a delegada.

Estupro – Leandro confessou à polícia que há tempos observava Steffani e que na quinta-feira encontrou um momento oportuno para abordá-la. Ele viu a garota quando ela retornava da mercearia próxima à casa da mãe, no bairro Popular Velha, e, sob ameaça, a fez subir na bicicleta dele.

Na rua Gaturama, Leandro arrastou a menina para o matagal e a estuprou. “Ele disse dessa forma: ‘caí para cima dela e a estuprei'”, relatou a delegada. Para ela, Leandro disse que Steffani morreu durante o estupro.

Segundo a delegada, a perícia aponta que a menina foi morta por asfixia. "Não houve marcas de dedos no pescoço, logo, a passagem do ar pode ter sido obstruída pelo antebraço do autor”, conta.

Leandro poderá pegar até 30 anos de prisão, pois ele responderá por estupro qualificado pela morte. Ele vai ser encaminhado ao presídio masculino de Corumbá.

Outros crimes – Além de várias passagens pela polícia de quando era menor de idade, Leandro respondendo por outra acusação de abuso sexual à enteada, uma criança de 4 anos. O caso foi registrado há cerca de dois anos, porém, de acordo com a delegada, não há evidências que comprovem que ele tenha realizado a conjunção carnal com a criança.

Arrependimento – A delegada conta que Leandro relatou que no dia do crime, ele chegou em casa e disse à mãe que tinha visto um corpo próximo ao matagal. Depois de algum tempo, ele chamou a irmã, a ameaçou e a levou até o local.

“Como algumas pessoas viram os dois e poderiam identificá-los, ele resolveu fazer a denúncia à Polícia e dizer que havia visto um suspeito, então, nenhuma evidência se voltaria contra ele”, pontuou Priscila Vieira.

Porém, a delegada disse que durante as investigações a irmã de Leandro se arrependeu e relatou o que havia acontecido, colaborando com as investigações da polícia. “Por conta disso, ela não será indiciada, pois está sendo considerada como testemunha do caso", explicou Priscila.

(Com informações do Diário Online)

Menina de 12 anos é estuprada e Polícia Civil já tem suspeito do crime
A violência sexual aconteceu no Jardim Inápolis e a vítima precisou de cirurgia de reconstruçãoVítima de estupro no último dia 20 - segunda-feira de...
Motorista embriagado atropela ciclista e foge sem prestar socorro
Guinovaldo Aguiar Gama, de 53 anos, foi preso em flagrante depois de ter atropelado um ciclista na região central de Itaporã, 227 quilômetros de Camp...



Amilton Almeida, você não será sacrificado, afinal só está embasado na nossa Lei, talvez que a escreveu devesse ser.
Quanto ao bandido, será exemplarmente bem tratado no presídio masculino de Corumbá, que não é um presídio federal, com proteções especiais e separação de celas.
A justiça dos "Homens" é rápida!
 
Eder Lima em 26/03/2012 08:56:00
amilton almeida...........................convenhamos cara!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!pelo amor de deus
o que é isso moço.
que teoria é essa sua ?
que deus tenha piedade de vc.
fique na paz com a sua familia
só deus hj por nois
 
REGIANE SIMAO em 26/03/2012 08:49:00
uma vida inteira de idas e vindas, amigos, viagens, conhecimentos, e demais alegrias!!!!
jogadas ao vento;ao lixo!!!

estou falando dos dois lados........
se é que me entendem..

e tambem lamento...... pelos dois lados.
 
beto junqueira em 26/03/2012 07:26:34
Se esse acusado fosse um criminoso comum,com certeza,estuprava e matava e ficava quieto. Mas como se trata de um doente mental, não aconteceu. Vou ser
secriticado por outros leitores, Mas é o certo. O réu tem que ser absolvido do crime após comprovação pericial e estipulado medida de segurança,podendo passar o resto da vida em um sanatório.Apesar de entenderem que 30 anos é o maximo permitido.
 
Amilton Almeida em 26/03/2012 05:15:21
"Leandro poderá pegar até 30 anos de prisão, pois ele responderá por estupro qualificado pela morte". Do jeito que nossa justiça é frouxa e lenta, pois infelizmente tem recurso para tudo, duvido que esse monstro permaneça muito tempo atrás das grades. Logo logo sera contemplado com "algum benefício legal". Urge a necessidade de maior severidade da lei para crimes de tal natureza.
 
Fernando Silva em 25/03/2012 09:38:44
O problema é que nossa sociedade atualmente está cheia de instituiçoes que defendem bandidos, assassinos, estupradores etc... em outras culturas um lixo humano como esse não tem vez e é severamente punido com a morte. Quem sabe o povo ainda vai acabar abrindo os olhos !!!
 
Angelo Fantin em 25/03/2012 09:37:38
Isso acontece ainda no mundo de hoje por falta de leis capaz de sanar o problema, todo político gosto de adiar, combater para que tenha sempre problema para ganahr voto dos bobos. Há uma solução de imediata e que pode acabar com esse tipo de crime, é simples e o SUS pode fazer. Na familia dos outros sempre há solução democrática e se fosse na sua?
 
luiz alves pereira em 25/03/2012 09:14:06
so deus pra ter missericordia desse cara na cadeia se ele servi de mulherzinha la!!!!!! esse cara e frio e calculista sofre quem e parente da menina
 
mara alves em 25/03/2012 08:34:29
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions