A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


02/09/2011 10:00

Amplavisão

Manoel Afonso

MARA CASEIRO Adaptando-se ao dia a dia da AL. Aculturada, atenta aos debates e ao regimento interno, reconhece: a Casa é política, a razão prevalece sobre a emoção. Confessa ser admiradora do mestre Londres Machado.

A ELEIÇÃO dela é fruto de pioneira articulação numa região de pequenos municípios freqüentados por ‘pára-quedistas’. Ela admite: “a cobrança por benefícios é enorme, mas é preciso ter paciência. Tudo é questão de tempo.”

A CABEÇA do eleitor interiorano é movida a pura emoção. Para ele, eleição não é piquenique e adversário não serve para ser compadre. É o desaguadouro de mágoas e desejos represados ao longo dos anos na comunidade.

A DEPUTADA e seus colegas de AL baseados no interior convivem com a silenciosa torcida adversária pelo insucesso deles. Menos benefícios servirão de argumento no palanque de 2012. Sempre foi...sempre será assim.

NO INTERIOR a eleição não termina com a apuração. A derrota age como um veneno estimulante na defesa de nomes e princípios. Vaidade pura? Desejo de poder? Vontade de servir? Acredito mais nas duas primeiras hipóteses.

O CLIMA eleitoral na capital é diferente, dispersa após os resultados. Os bolsões de resistência são pulverizados pelo cotidiano estressante. O eleitor é mais pragmático e racional; sabe: não há almoço grátis no dia seguinte.

A SUCESSÃO municipal em muitas cidades do interior já começou. Ainda não há faixas e adesivos, mas os pré-candidatos freqüentam com desenvoltura os eventos esportivos, velórios, casamentos e igrejas.

NA VEIA! Só na capital são 400 mil veículos e 100 mil motos. Vai dar o que falar esse projeto do Marcos Trad e Paulo Corrêa ampliando para 5 as parcelas do IPVA e dando 15% de desconto ao pagamento à vista. Aguarde o auê!

BUMERANGUE Os adversários apostavam na condenação de André e Giroto no caso ‘Engecap’, mas o TRF ratificou a absolvição por unanimidade. Assim a musculatura de ambos saiu fortalecida deste episódio. Concorda?

DEPOIS reclamam e até culpam a mídia. 265 deputados absolveram Jacqueline Roriz porque ela não era deputada quando ‘levou’ R$ 50 mil de propina. Conclusão: ladrão de banco antes da eleição, pode ser deputado.

AGORA tudo é culpa dos meios de comunicação. Imprensa não existe para denunciar? Claro que imprensa livre incomoda. Taí o Zé Dirceu p. da vida com a ‘Veja’ que o flagrou recebendo políticos num hotel de Brasília.

PERGUNTO: Os 4 ministros que caíram foram linchados pela mídia ou tinham culpa no cartório? Ora! a imprensa estava certa. O detalhe: eles foram herdados do Governo Lula, que está levando o carimbo de corrupto.

A IMPRENSA fiscaliza, faz o que o legislativo não faz. Aliás, o Judiciário também tem sido obrigado a decidir pelo Legislativo, omisso e conivente. Mas as pesquisas mostram que a opinião pública acredita na mídia.

ESPAÇO para enaltecer a Câmara da capital que quer acabar com a venda de alimentos nocivos nas cantinas das escolas. Uma medida corajosa que forçará inclusive os pais a reverem os hábitos alimentares dos filhos em casa.

POR QUE os filhos não saem de casa alimentados corretamente? Acordaram tarde? Os pais sem tempo para preparar o café? Todinho, salgadinhos, refrigerantes e bolachas são mais práticos, mas engordam e os efeitos são visíveis.

NO PÁTIO das escolas e na ‘saída’ das aulas a visão preocupa. A garotada lenta pelo excesso de peso nem brinca mais como antes. O pior é: em casa estão viciados em jogos eletrônicos e na internet. Exercitar, nem pensar! ‘Balofos’.

AUDIÊNCIA dos sites de notícias na pesquisa encomendada pela TV-MS Record: Campo Grande News lidera: 23,3%; MidiaMax 6%; Notícias MS 5,1%; G1 4,4%; D.Digital 2,1%; C.Estado 1% e C.G Notícias (Prefeitura) 0,9%.

PERA-LÁ... O Jr. Teixeira e o Marcelo Barros querem voltar à Câmara de Dourados? A questão é moral. Vou repetir: já deveriam ter se mudando da cidade à noite, para ninguém ver. A dignidade cada vez mais rara. Não é?

DE NOVO! Ao invés de cortar gastos supérfluos e demitir parte dos 23 mil ‘aspones’ , o Governo quer criar outro imposto destinado à Saúde. Nunca se arrecadou tanto, nunca se pagou tanto imposto como agora. O que fazer?

QUESTIONO: O Brasil vai bem e não temos verba para a saúde? Dinheiro para estádios e obras faraônicas da Copa e Olimpíadas não falta. O cenário é de mutretas chanceladas sob o argumento palaciano de ‘prioridade’.

DILMA falou que temos 16 milhões de famintos. Menos da metade do dinheiro que se gastará nos dois eventos resolveria o problema. Mas Lula pensou em inflar seu ego e aparecer na mídia internacional. Vaidade...pura vaidade.

UM LEÃO! Estive com o vice prefeito Edyl. Lépido, antenado com todos os setores da administração da capital. Impressiona como ele conhece a cidade e seus personagens. Daí, impossível não incluí-lo no rol dos prefeituráveis.

“Em Brasília não há inocentes. Todos são cúmplices!” (Nelson Rodrigues)

Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
DESAFIO Se o presidente Michel Temer (PMDB) não vetar, caso o Senado aprove o projeto bizarro da Câmara, o país irá culpá-lo e perderá o apoio das ru...
Pizzas, os políticos não abrem mão delas
NÁUFRAGO Culpando a TV Globo e o juiz federal Sergio Moro, o ex-deputado Antonio Carlos Biffi (PT) tentou no saguão da Assembleia Legislativa justifi...
Invasores das escolas, a nova aposta do PT
LUZ AMARELA Os casos do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, com as finanças em colapso, estão sendo considerados pelo governador de Mato Grosso do Su...
Junior Mochi, ponto de equilíbrio na Assembleia
NOSTRADAMUS Não tenho seu dom, mas prevejo: o país de 2018 será outro. As delações premiadas da Odebrecht e Andrade Gutierrez cairão como meteorito n...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions