A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 25 de Setembro de 2016

06/04/2016 14:30

Apesar da alimentação cara, inflação desacelera e fecha março em 0,74%

Priscilla Peres

A inflação de Campo Grande somou 0,74% em março. O índice é menor que os 0,87% registrados em fevereiro deste ano e bem inferior aos 1,25% do mesmo período de 2015, o que mostra uma tendência de queda da inflação. Nos últimos doze meses, o índice soma 9,95%.

Veja Mais
Ovos de Páscoa ficaram mais caros que a inflação acumulada de 2015
Tarifa de água mais cara pesa e inflação chega a 0,54% em fevereiro

De acordo com o IPC/CG (Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande) medido pelo Nepes (Núcleo de Pesquisas Econômicas) da Uniderp, nos três primeiros meses do ano a inflação acumulada da Capital foi de 3,11%. Já nos últimos 12 meses soma 9,95%, com destaque para altas da Alimentação e Educação.

Em março, o grupo Alimentação teve alta expressiva de 3,20%, devido as influências climáticas e sazonais nos produtos, porém segundo o coordenador do Nepes da Uniderp, Celso Correia de Souza, a tendência é de que a inflação do ano seja menor que a de 2015.

“Com melhorias no clima, na oferta de boi gordo e na produção hortifrutícola, o grupo Alimentação poderá contribuir para frear a inflação. A queda do valor do dólar também é bem-vinda para esse controle”, acredita o pesquisador.

Grupos - Dois segmentos tiveram deflação em março. Saúde (-0,06%) devido a queda no preço de alguns remédios e Habitação (-0,42%) pela redução no preço do serviço de telefonia. O aumento anual dos remédios só deve pesar na inflação de abril, segundo o pesquisador Celso Corrêa.

Os grupos Transportes (0,61%), Despesas Pessoais (0,80%), Educação (0,04) e Vestuário (0,63%) tiveram altas leves.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions