A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 25 de Setembro de 2016

06/11/2014 16:12

Indústria de MS emprega 141 mil e lidera exportação no Centro-Oeste

Marta Ferreira
Setor emprega 22% da força de trabalho no Estado. (Fotos: Divulgação)Setor emprega 22% da força de trabalho no Estado. (Fotos: Divulgação)

Estudo divulgado hoje em Brasília, pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), mostra avanço do setor em Mato Grosso do Sul. O setor, que tem 5.991 empresas, 1,2% do total do Estado, emprega 141 mil trabalhadores, respondendo por 22,2% do mercado formal sul-mato-grossense. O Estado lidera a exportação de produtos industrializados no Centro-Oeste.

Veja Mais
Pesquisa revela que areia de MS tem qualidade para uso em indústrias
Representantes de banco chinês visitam área onde vai ser instalada indústria

Do total de empresas da indústria, 73,8% são microempresas, 20,2% são pequenas empresas, 4,6% são médias empresas e 1,4% é de grandes empresas. Os dados fazem parte do Perfil da Indústria nos Estados 2014, que foi divulgado durante o 9º ENAI (Encontro Nacional da Indústria) em Brasília.

Conforme os dados divulgados, o setor industrial pagou R$ 420 milhões de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) em 2013, montante que representa 0,4% da arrecadação nacional de ICMS na indústria.

Na região – O estudo coloca, ainda, Mato Grosso do Sul como a maior receita de exportação de industrializados, num montante total de US$ 1,9 bilhão. Goiás aparece em 2º com US$ 1,7 bilhão, Mato Grosso em 3º com US$ 912 milhões e o Distrito Federal em 4º, com US$ 4 milhões.

Os montantes considerados não incluem o Complexo Frigorífico, o processamento de grãos, oleaginosas e o minério. Conforme os dados, Mato Grosso do Sul tem PIB (Produto Interno Bruto) Industrial de R$ 9,8 bilhões, o equivalente a 1% da indústria nacional. Considerando a economia estadual, o setor representa 19,8%, a 2ª maior fatia do Centro-Oeste, atrás somente de Goiás, que tem PIB Industrial de R$ 25,8 bilhões, equivalente a 23,2% da economia goiana.

Os segmentos com maior participação no PIB Industrial sul-mato-grossense são o de alimentos (51,8%), fabricação de coque, um subproduto do ferro, de derivados de petróleo e de biocombustíveis (8,6%) e fabricação de celulose, papel e produtos de papel (7,7%).

Crescimento - Para o presidente da Fiems, Sérgio Longen, a indústria de Mato Grosso do Sul vem se consolidando dia a dia e, nessa condição, os números começam já a aparecer no Centro-Oeste e também em nível nacional. “O Estado está se preparando e se consolidando também no suporte para que esse setor avance. Para nós, é gratificante sermos reconhecidos em nível nacional com um projeto de desenvolvimento de um importante setor do Brasil e, em especial, do nosso Estado”, pontua.

Longe ressalva que, se a indústria cresce rápido precisa de apoio mais rápido ainda.
Na avaliação dele tanto os empresários, como a classe política, têm avançado em projetos e propostas para o fortalecimento da indústria. “Os números refletem o resultado desse trabalho. É muito importante para nós também termos o nosso Estado no cenário nacional como uma grande frente de desenvolvimento, colaborando para o crescimento da atividade”, reforçou.

Presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, observa que Mato Grosso do Sul tem vocações muito importantes. Ele cita a boa localização, no País, devido à proximidade de mercados consumidores, como São Paulo, além da fronteira grande com países da América do Sul, como Paraguai e Bolívia. “O Estado também tem vantagens competitivas e comparativas com florestas e agroindústria, biotecnologia e isso faz a diferença”, analisou.

Maior parte das indústrias de MS é de pequeno porte. As de grande porte representam pouco mais de 1% do total. Maior parte das indústrias de MS é de pequeno porte. As de grande porte representam pouco mais de 1% do total.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions