A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 29 de Setembro de 2016

24/04/2015 20:11

MPE investiga calote de R$ 30 mi da Petrobras em fornecedoras de obras de MS

Michel Faustino

O MPE (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) abriu inquérito para apurar a responsabilidade da Petrobras quanto a inadimplência à vários empresários do município de Três Lagoas, a 338 quilômetros da Capital. A dívida é estimada em R$ 30 milhões.

Veja Mais
Governador afirma que fornecedores da UFN3 vão recorrer à Justiça
Reunião sobre dívidas da UFN3 com fornecedores não foi confirmada

O procedimento foi instaurado pela Promotora Ana Cristina Carneiro Dias, titular da 4ª Promotoria de Justiça da Comarca de Três Lagoas, a pedido da Faems (Federação das Associações Empresariais do Estado) e da ACI (Associação Comercial e Industrial de Três Lagoas).

A empresa vem enfrentando problemas, principalmente quanto ao andamento da obra da UFN 3 (Unidade de Fertilizantes Nitrogenados) em Três Lagoas. Nesta semana a estatal incluiu o empreendimento, parado desde novembro, na lista de projetos postergados "por extenso período".

Conforme matéria publicada pelo Estadão, as notas explicativas divulgadas pela Petrobras ontem, revelam que a UFN 3 foi excluída do teste de "impairment" realizado para determinar o valor recuperável dos ativos no fim de 2014.Também entraram nesta lista, a refinaria Abreu e Lima e o Comperj (Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro).

As informações sobre o projeto postergado são limitadas no relatório e a decisão é explicada pelo histórico do projeto. Isso porque, em novembro a estatal rescindiu contrato com o consórcio contratado para realizar as obras, por descumprimento de contrato. Milhares de funcionários recorreram judicialmente, para conseguir seus direitos rescisórios.

Outras dezenas de empresas fornecedoras das obras, aguardam o pagamento de seus contratos até hoje, dívida estimada em R$ 30 milhões. O consórcio contratado era formado pela empresa chinesa Sinopec e a Galvão Engenharia, investigada na Operação Lava Jato.

No documento divulgado, ainda conforme reportagem do Estadão, a estatal não cita as perdas com o projeto que teve o cronograma prorrogado. A obra está com 82% concluída e avaliada em R$ 3 bilhões.

Governador - Otimista o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) afirmou que "tem certeza" de que a estatal vai retomar o projeto. "Os adubos nitrogenados tem muita demanda em MS e no Centro-Oeste. Não tenho dúvida de que irão retomar as obras", comentou durante lançamento da safra de cana-de-açúcar, em Angélica.

Ele ainda explica que já participou de duas reuniões com a diretoria da estatal, que está buscando empresas para terminar a obra, e acredita que eles irão conseguir devido a visibilidade do empreendimento. "A Pretrobras está passando por um momento de turbulência, mas retomado o ritmo dos investimentos, eles vão votar a tocar a obra".

Reunião sobre dívidas da UFN3 com fornecedores não foi confirmada
Diretores da Petrobras deveríam se reunir na tarde de hoje (13), em Três Lagoas, a 338 quilômetros de Campo grande, para resolver a questão da dívida...
Após duas quedas seguidas, dólar tem alta de 1,05% e fecha a R$ 3,25
Cotado a R$ 3,256 na venda, após dois dias seguidos de baixa, o dólar comercial fechou esta quinta-feira (29) com alta de 1,05%. Com isso, a moeda no...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions