A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

20/04/2013 15:50

Planta que “anda” e casa de isopor; novidades da Decon MS deste ano

Elverson Cardozo
Feira de decoração começou vai até domingo. (Foto: Marcos Ermínio)Feira de decoração começou vai até domingo. (Foto: Marcos Ermínio)

Já pensou ter no quintal de sua residência uma palmeira que anda? E morar em uma casa de isopor? O que acha dessa ideia? Gosta de café? Que tal uma máquina que oferece a bebida aos sabores de 16 países? Muita inovação, tecnologia e criatividade. Mas tudo é possível.

Veja Mais
Rosembaum visita Museu do Índio e diz que cidade têm múltiplas possibilidades
Detalhe charmoso e elegante na residência, papel de parede volta com tudo

Basta ser aberto às inovações, ter dinheiro para gastar e disponibilidade para visitar os stands da 2ª edição da Decon-MS, Feira de Decoração e Construção de Mato Grosso do Sul, que começou nesta quinta-feira (18) e termina no domingo (21).

O Pavilhão Albano Franco, em Campo Grande, onde o evento está sendo realizado, está repleto de novidades. Muitas das curiosidades que atraem os visitantes são movidas pelas estratégias de marketing, mas não deixa de ser verdade.

Socratea Exorrhiza, a palmeira que anda. (Foto: Marcos Ermínio)Socratea Exorrhiza, a palmeira que "anda". (Foto: Marcos Ermínio)

A palmeira que “anda”, por exemplo, demora alguns pares de anos para “caminhar”, mas muda, sim, de posição, de maneira quase imperceptível, é claro. Quem levou a curiosidade aos stands foi a Rosalândia, empresa que trabalha com flores e mudas em Campo Grande.

Originária da Amazônia, Maranhão e Pará, a Socratea Exorrhiza, como a espécie é conhecida cientificamente, “troca de lugar” devido às novas raízes que nascem quando as antigas apodrecem.

Os novos “pés” procuram solo para “pisar”. Nem sempre o espaço escolhido é o mesmo da antiga raiz. Surge aí o movimento silencioso. A explicação é da vendedora Ana Paula, uma das responsáveis por apresentar as novidades da empresa à imprensa, convidados e curiosos.

Aos entusiasmado, ela vai logo avisando: “Assim... Ela demora anos para se locomover”, disse, ao comentar que a façanha só acontece na idade adulta da planta. “Antes ela engatinha”, brincou.

Para ter a planta em casa o cliente precisa desembolsar R$ 600,00. Se chorar, pode conseguir desconto de até 20%.

A “palmeira andante” pode ficar ainda mais charmosa se for plantada no quintal de uma casa de isopor. Seria algo curioso, não?

Por aqui já existe uma residência feita com o material. É o projeto-piloto da Polixpan, empresa paranaense que trabalha com a tecnologia do EPS (Poliestireno Expandido), o isopor, como o produto é popularmente conhecido.

Sócio-proprietário da companhia, Dorivaldo Laguenette, de 56 anos, garante que o imóvel, construindo com material tão leve, não desaba, nem afunda com qualquer impacto. Isso não acontece nem se batida for forte.

Leandro Gonçalves explica que o material é resistente e seguro. (Foto: Marcos Ermínio)Leandro Gonçalves explica que o material é resistente e seguro. (Foto: Marcos Ermínio)

A propaganda assusta, causa receio, mas a explicação é simples. A verdade é que a casa de isopor não é só de isopor. Tem massa, reboco e amarração em aço, aos moldes de uma construção comum.

A diferença da alvenaria para a edificação em EPS é que o meio, o preenchimento das paredes que costumam ser construídas com tijolos, é feito com isopor. Para quem não entende de arquitetura, só isso é suficiente para causar espanto, mas Dorival tranquiliza os visitantes.

O poliestireno expandido, explicou, é “amarrado”, nas duas faces, com mallhas de ferro. Só depois é que o mestre de obras reboca e pinta a parede, que fica igual a qualquer outra. Essa amarração, que funciona com barreira e sustentação, garante a segurança necessária e elimina o medo de um possível desabamento ou quebra a qualquer impacto.

Aliás, se comparado às construções convencionais, fazer um buraco na parede de isopor seria uma tarefa para lá de exaustiva, isto porque, para “quebrar”, seria necessário eliminar a barreira de aço, ou seja, dar um jeito de serrar cada barra que faz parte da “malha” de amarração.

“A parede de tijolos é simplesmente um material de enchimento”, afirmou, na hora de defender o uso da técnica. “A malha de aço vira uma grande”, completou o sobrinho, sócio-proprietário na empresa, Leandro Gonçalves, de 50 anos. O poliestireno, explicou, pode ser utilizado em paredes, molduras, lajes, muros, entre outros projetos.

A parede com isopor. (Foto: Marcos Ermínio)A parede com isopor. (Foto: Marcos Ermínio)

Mas um aviso: o custo final de uma obra feito com esse material é o mesmo de uma casa de alvenaria. A vantagem é que, além do peso final do imóvel, quem opta pelo isopor tem a obra concluída em menos tempo, de 30 a 45 dias.

Além disso, existe o benefício do isolamento acústico, que fica em torno de 50%, e o equilíbrio da temperatura. Com o material, o calor de fora não passa para dentro e vice versa.

Planta que "anda, casa leve feito isopor... Quem tal usar portas de alumínio que imitam madeiras? A tecnologia está disponível no stand da Alumix, outra empresa que expõe na Decon.

Integrante do departamento técnico de desenvolvimento de novos projetos, Diogo Marcelino explica que o material, além de leve, não sofre alterações climáticas, como o empenamento, é de fácil limpeza e raramente precisa de manutenção. O aspecto de madeira, que garante sofisticação, é decorrente da pintura. “É um pó cozido em forno de alta temperatura”, explicou.

Decoração – Fora as novidades pensadas para casa, a feira também reúne as últimas tendências do mercado de decoração. No stand do artista plástico Isaac de Oliveira, conhecido por pintar as cores e a natureza da região do Pantanal, a opção é decorar os ambientes com peças que trazem a impressão de suas obras.

Stand do artista plástico Isaac de Oliveira. (Foto: Marcos Ermínio)Stand do artista plástico Isaac de Oliveira. (Foto: Marcos Ermínio)

São xícaras, bandejas, suportes para panos, blocos de anotações e até tecidos inteiros que mostram a alegria característica dos trabalhos do artista. Mas não é só isso. Tem os quadros.

À disposição do público, opções que saltam aos olhos, como a arara azul, a garça e o tuiuiú, fora a beleza das flores, a exemplo do copo de leite, margarida, girassóis e os conhecidos ipês.

Para quem prefere um visual mais retrô na hora de decorar a casa, a dica é a máquina de café da marca Nespresso. O equipamento, que está sendo comercializado pela MovStore, funciona com “cápsulas” que oferecem 16 sabores diferentes. Cada uma com o "gosto" de um país.

Máquina de café que custa R$ 1.295,00. (Foto: João Garrigó)Máquina de café que custa R$ 1.295,00. (Foto: João Garrigó)
As cápsulas com os 16 sabores dos países. (Foto: João Garrigó)As cápsulas com os 16 sabores dos países. (Foto: João Garrigó)

Lançado em São Paulo a cerca de 10 dias, o aparelho chegou a Campo Grande na quarta-feira (18), especialmente para feira de decoração. Em pouco tempo, já se tornou um dos produtos mais procurados pelos clientes. Para conseguir uma dessas e preciso ter R$ 1.295,00.

A cartela de sabores, as “cápsulas com o pó”, são fabricadas pela Nestlé e vendidas separadamente. Cada unidade custa, em média, R$ 2,00 e pode ser encomendada pelo site da empresa.

Funcionalidade e tecnologia - Na Decon também há opções para melhorar o dia a dia dos empresários. Quem trabalha em conveniências, por exemplo, pode lucrar com a máquina de gelo. Na Panan, o equipamento sai por R$ 9.795,00. 

A empresa trabalha com o produto há 10 anos. A novidade apresentada nesta edição da feira está na automatização do equipamento que avisa, por exemplo, quando falta água ou manutenção na parte elétrica.

Para quem “pega no pesado”, vale a pena visitar o espaço do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial de Mato Grosso do Sul), que levou ao salão um simulador de retroescavadeira. O projeto faz parte de um sistema de capacitação que será implantando em todas as unidades da entidade no Estado.

Simulador de retroescavadeira. (Foto: Marcos Ermíio)Simulador de retroescavadeira. (Foto: Marcos Ermíio)

Os cursos devem começar no segundo semestre deste ano, mas os instrutores, 12 no total, já foram capacitados. Com auxílio da máquina, eles vão orientar os alunos na utilização dos veículos.

Ao todo, o Senai criou cinco simuladores: de retroescavadeira, motoniveladora, trator de esteira, escavaeira e caminhão basculante.

Vinte por cento do curso, que tem carga horária de 160h, é feito na máquina, no computador. O aluno é testado à medida que passa dos níveis propostos pelo programa.

Essas são apenas algumas novidades da feira, que vai até domingo. Aproveite. Visite a Decon-MS. No final de semana o espaço estará aberto das 10h às 22h. A entrada é gratuita. Outras informações podem ser obtidas no site www.deconms.com.br

Serviço – O Centro de Convenções e Exposições Albano Franco fica na avenida Mato Grosso, 5017.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.