A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

28/08/2013 06:08

Diretor da Feira Central nega censura a grupos e pede respeito aos artistas

Ângela Kempfer
Cortejo que deu origem à confusão de domingo.Cortejo que deu origem à confusão de domingo.

“Uma noite lamentável” resume a avaliação de diretores da Feira Central de Campo Grande sobre o bate-boca seguido de denúncia nas redes sociais protagonizadas por artistas e seguranças no último domingo.

Veja Mais
Cantores sertanejos acusam ativistas de atrapalhar show na Feirona
Artistas são barrados na entrada da feira e criticam rumos da cultura na cidade

Dois dos grupos populares mais conhecidos da cidade dizem que foram barrados, com direito a portão fechado na cara. Teatro Imaginário Maracangalha e Cordão Valu tentaram fazer um cortejo cultural, mas foram impedidos e acusam a Feira de censura e truculência.

Já um dos diretores garante que a história é bem diferente e que só não houve autorização imediata porque uma dupla sertaneja fazia show no mesmo horário e seria um desrespeito com os cantores a passagem do cortejo com o barulho de tambores e cantos.

“Os artistas tem o discurso do respeito, mas a dupla foi desrespeitada. Não temos problema nenhum com esses grupos, mas não podemos permitir que um interfira na apresentação de outro”, defende um dos me3mbros da Associação da Feira Central, Rodrigo Kampa.

O empresário argumenta que “a Feira não é um espaço público e sim misto. É administrado por associação de caráter privado. Mas sabemos que em essência é um espaço cultural e sempre vai estar aberto a isso, desde que seja de forma organizada.”

Além de feirante, ele também é compositor há 15 anos em Campo Grande, por isso diz que pode se colocar na pele de ambos os lados. “Se não houver um agendamento, uma organização, o que era para ser manifestação cultural e artística vira bagunça”, adverte.

Mas Rodrigo não vê equívocos por parte dos seguranças da Feira. “Eles têm a orientação de barrar manifestações não agendadas. Temos famílias, temos organização para garantir segurança de todos. Não dá para todo mundo fazer o que quer. Já pensou, se no meio de uma peça de teatro alguém passar batucando? Não é porque o movimento é de artista que tem de ser caótico”, argumenta.

Depois de embate entre artistas e os seguranças, o cortejo acabou liberado. Segundo Rodrigo, no fim das contas, os maiores prejudicados foram os sertanejos que estavam no palco. “A dupla teve de parar o show. É um constrangimento”.

Ele lembra que nunca houve qualquer problema com o Bloco Valu e o Maracangalha. “Todo o Carnaval eles passam por aqui, desfilam livremente. O Fernando Cruz (ator) já fez vários espetáculos na feira”, diz Rodrigo sobre o líder do grupo Maracangalha.

Para os grupos, ele pede bom senso. “O cortejo já havia sido organizado há muito tempo e alguém poderia ter entrado em contato para que não houvesse conflito de horários. Seria muito bem-vindo, desde que em outro momento que não interferisse no show”, assegura.




Depois de serem vaiados pela população se sentiram mal e liberaram....
 
Guilherme Zanchett em 28/08/2013 13:11:27
Mas nao tinha que ter deixado entrar nem depois, sei que existe muito seguranca que chega querendo intimidar, mas tambem sei que existe um povo folgado que junto da sua trupe fica pior ainda, ai o seguranca é obrigado a agir de forma mais dura, deixando entrar hoje vao achar que podem entrar a qualquer hora e atrapalhar quem estiver se apresentando, só deviam permitir a entrada de artistas pré agendados, nao agendou antes, sinto muito, nao entra e ponto, a feira é municipal, assim como a prefeitura, hospital, etc, mas vai entrar na forca e fazer baderna lá, é direto pra cadeia pra esclarecer os fatos e tomar um chá de cadeira.
 
maximiliano nahas em 28/08/2013 12:55:41
anos atrás quando a feirona saiu da rua fui comer meu sobá junto com minha mãe e minha chiuaua. entramos pelo estacionamento, achamos a barraca da Níria, pedimos nossa comida e comíamos felizes quando um segurança da feira nos abordou grosseiramente informando que minha cachorra não podia ficar ali. detalhe: a cachorra estava no colo e não no chão fazendo qualquer sujeira. pela entrada do estacionamento não havia nenhum aviso sobre a proibição. a dona da barraca não reclamou e nos serviu. o segurança se plantou ao lado da mesa enquanto terminamos de comer e pagamos. foi mais grosseiro ainda pedindo que não demorássemos a sair e ficou nos seguindo até que saímos. na boa, mais fácil acreditar na truculência e despreparo da feira que na dos artistas, que vejo cortejando nas ruas, nas praças.
 
Fabíola Marques em 28/08/2013 11:54:54
Respeitem para serem respeitados.
 
RODRIGO FERREIRA em 28/08/2013 11:24:13
Desde quando baderna é Cultura. Foi total falta de respeito e educação por parte desses grupos. Estava acontecendo uma apresentação e tiveram que parar para que esse grupo passasse. Não respeitaram os artistas que já estavam apresentando e nem as famílias e clientes que lá estavam. Faltou respeito, educação e responsabilidade por parte desses grupos.
 
Wilson Leite em 28/08/2013 11:18:57
Comungo com o mesmo pensamento: foi desrespeitoso o comportamento do grupo que entrou na feira no momento da apresentação da dupla que ali se apresentava e essa atitude vindo de outros artistas é ainda mais imperdoável.
 
Marcelo Mendes em 28/08/2013 10:23:49
Endosso as palavras do Diretor da Feira Central Rodrigo Kampa. Tanto em definir ter sido "uma noite lamentável" e que a Feira Central, sempre esteve aberta à manifestações culturais. Falo como Presidente da Liga das Escolas de Samba de C.Grande, as Escolas de Samba já se apresentaram em épocas próximas ao Carnaval, por meio de solicitação e entendimentos com a direção da entidade, com datas e horários definidos. Este mal entendido há de ser superado, pois a Silvana ( Cordão da Valú) e o Fernando Cruz (Teatro Imaginário Maracangalha), são pessoas que tem dado uma enorme contribuição, aos Movimentos Culturais da nossa capital.Como diz o velho ditado: "È conversando que se entende".
 
Eduardo de Souza Neto em 28/08/2013 10:14:01
SOU FÃ E SAIO TODO CARNAVAL NO CORDÃO DO VALU E ACHO QUE ELES PODERIAM PASSAR NO INTERVALO DO SERTANEJO, DAI BARRAR E CONSTRANGER QUEM QUER QUE SEJA É INACEITÁVEL, A FEIRA É MUNICIPALLLLLLLLLL. TANTO A FEIRA QUANTO O CORDÃO DO VALU PRESTÃO SERVIÇO AO PUBLICO. LAMENTAVEL O EPISODIO.
 
GEIZE KIRNEW em 28/08/2013 09:54:54
E ai ....entrou na base da força fez sua passeata ....... e ai ? aconteceu o que ....? será que o povo ficou feliz ? ......tiraram o que de tudo isso ?
 
ROGERIO CARVALHO em 28/08/2013 08:59:25
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.