A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

19/02/2013 06:27

Nova decisão mantém preso motorista que matou jovem em táxi

Nadyenka Castro
Diogo Machado Teixeira falou sobre o acidente à imprensa. (Foto: Luciano Muta) Diogo Machado Teixeira falou sobre o acidente à imprensa. (Foto: Luciano Muta)

O administrador de fazenda Diogo Machado Teixeira, 36 anos, vai continuar na prisão. Ele teve o pedido de liberdade provisória negado no fim da tarde dessa segunda-feira pelo juiz Aluizio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri.

Veja Mais
Inquérito sobre morte em táxi vai indiciar motorista por 4 crimes
Defesa vai ao TJ para libertar condutor que matou passageiro de táxi

Diogo dirigia a camionete Mistubishi L-200 que colidiu com um táxi, no cruzamento da avenida Afonso Pena com a rua Bahia. O acidente matou José Pedro Alves da Silva Júnior, 22 anos, passageiro do carro de passeio, e deixou ferido o taxista Sebastião Mendes da Rocha, 51 anos, e o outro ocupante do automóvel, Ramon Rudney Tenório Souza e Silva, 21 anos.

O condutor da camionete foi preso em flagrante, sendo convertido em prisão preventiva pela juíza de plantão. Na mesma data, a defesa do motorista ingressou com pedido de liberdade, alegando que Diogo é o réu é primário, possui boa conduta, tem personalidade voltada para o trabalho e respeita a lei.

O magistrado argumentou que os fundamentos e requisitos, quando da conversão da prisão preventiva, ainda se encontram presentes, não havendo qualquer fato novo que justifique a conversão de liberdade provisória.

De acordo com o juiz, “há indícios de que, além de dirigir em estado de embriaguez, ultrapassou semáforo vermelho, às altas horas da madrugada, numa das principais avenidas desta Capital, de fluxo intenso, vindo a colidir ‘em cheio’ com o veículo táxi, matando um e lesando gravemente os outros passageiros, que, até onde se sabe, ainda se encontram internados na Santa Casa, o que pode, em tese, caracterizar homicídio e tentativas de homicídio por dolo eventual”.

Aluizio dos Santos também reforça dizendo que as imagens das câmeras instaladas nas imediações do local do acidente revelam todo o ocorrido. O magistrado também acrescenta que “este fato notoriamente causou repercussão pública, mormente num momento em que há esforço coletivo, inclusive, a nível nacional, para que o ‘trânsito seguro seja um direito de todos’.

O delegado responsável pelo caso, Wellington de Oliveira, pretende encerrar o inquérito nesta terça-feira. Diogo deve ser indiciado por quatro crimes: homicídio doloso com dolo eventual contra José Pedro, duas tentativas de homicídio em relação ao taxista
e ao passageiro Ramon, além de dirigir embriagado, já que o teste do bafômetro constatou 0,59 mg/l.

A Polícia ouviu os depoimentos da vítima do acidente, Ramon Rudney e da passageira do táxi que para logo depois da batida para prestar socorro. Nenhum dos dois soube dizer se o semáforo tanto na rua Bahia, como na avenida Afonso Pena, cruzamento do acidente, estavam fechados.

Na sexta-feira (15) prestaram depoimento os ocupantes do Honda Civic preto que aparece nas imagens da câmera de segurança de um restaurante, ao lado da caminhonete e fugindo após a colisão. O motorista Fábio Gomes de Oliveira, 29 anos, negou envolvimento na batida e um possível racha, que chegou a ser levantado e confirmou que o semáforo estava fechado para a caminhonete.




parabens juizes de campo grande vc sao otimos, isso faz nos povos brasileiros acreditar em voces que DEUS ABENÇOA SEMPRE A SUAS SABEDORIAS ele tem que ficar preso sim .
 
patrik andrade filho em 19/02/2013 11:02:10
Concordo com a decisão do Dr. Aluizio Pereira dos Santos,por mais que o Diogo Machado seja réu é primário e tenha residencia fixa e tals não justifica seus atos.Poderia ter sido algo mais grave,com mais veiculos,portanto ele tem que pagar pelos seus erros sim.
 
Wagner Lopes em 19/02/2013 10:27:08
Prisão ilegal!? Como assim caro Hermes Mamilo? Presta atenção. Tem que punir mesmo, a justiça tem que ser feita, não deve ser benificiado por qualquer meios ( influências ). Ele assumiu esse risco a estar dirigindo após ter consumido alcool. O que mais deve ser apresentado para você mudar sua opinião. Chega de injustiças com os que sofrem com esse trânsito.
 
Adriano Volpini em 19/02/2013 09:49:06
Parabens ao Juiz.....as coisas tem que começar a mudar...e leis serem cumpridas ..pelo menos até agora está sendo .....vamos ver se continua !!!!!
 
rogerio carvalho em 19/02/2013 09:20:23
Pelo que se tem em direito processual penal, a gravidade do delito não é justificativa para a manutenção de prisão cautelar quando o indiciado não tem antecedentes, é primário, tem residência fixa e pelo que se tem notícia da mídia possui ocupação lícita (administra fazendas). Mais uma prisão ilegal!
 
Hermes Manilo em 19/02/2013 08:35:29
Parabéns Dr. Aluizio Pereira dos Santos, o senhor é fera! Tem o meu respeito e minha admiração.
 
João Márcio Escobar em 19/02/2013 07:20:05
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions