A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

16/07/2012 13:00

Rejeitado pedido de júri para mãe de menor que dirigia em acidente com morte

Aline dos Santos

O pedido partiu da mãe do adolescente José Eduardo Manzione Menegat, que morreu na capotagem do veículo

Conduzido por adolescente de 15 anos, carro capotou em avenida. (Foto: Fernando da Mata/Arquivo)Conduzido por adolescente de 15 anos, carro capotou em avenida. (Foto: Fernando da Mata/Arquivo)

A Justiça rejeitou a queixa-crime que pretendia levar a júri popular Mariza Pacheco, mãe de um adolescente que provocou acidente com morte ao conduzir um Honda City. O veículo é registrado em nome de Mariza.

O pedido partiu de Michele Menegat, mãe do adolescente José Eduardo Manzione Menegat, que morreu na capotagem do veículo. No Honda, ainda estavam outros cinco adolescentes. Na queixa, Michele alega que a mãe do adolescente sabia que ele conduzia o carro. Portanto, a situação se encaixaria em dolo eventual, quando se assume o risco de provocar a morte.

O pedido foi negado pelo juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri, Aluízio Pereira dos Santos. Para o MPE (Ministério Público Estadual), é preciso aguardar o desfecho do termo circunstanciado de ocorrência que apura a entrega do veículo para menor de idade.

Segundo o Ministério Público, a apuração “poderá entender ter havido homicídio por dolo eventual e não apenas entrega não autorizada e, dessa maneira requerer que o aludido feito seja remetido para uma das varas do Tribunal do Júri”.

Entretanto, o advogado Gustavo Passarelli entrou com recurso para revisão da decisão. "As provas que já foram produzidas são mais do que suficientes para que ela responda pelo homicídio", afirma.

Na denúncia feita à Justiça, o advogado da família da vítima argumentou que o adolescente conduziu o veículo a velocidades extremas, chegando a atingir 200km/h.

O advogado afirma ainda que há notícias, também, de que o adolescente teria ganhado o veículo de presente no início do ano passado, quando tinha 15 anos.

O acidente aconteceu no dia 19 de novembro, um sábado, na avenida ministro João Arinos, na saída para Três Lagoas. O grupo de adolescentes participava de um churrasco e parte foi de carro até a uma conveniência para comprar cerveja.




O Judiciário infelizmente perde oportunidades como esta para aplicar com total rigor a Lei, dando exemplo aos demais pais para que não pratiquem as mesmas atitudes. Essa senhora deveria estar presa, juntamente com seu filho assassino. ISSO É BRASIL!
 
Filipe Alberto em 16/07/2012 06:26:57
Ja que menor não fica preso a mã deveria ser reosponsavel sim por que deu um carro para o filho e ainda sabendo o que poderia provocar e aceitou tudo ou melhor concordou né
 
Silvia Mota em 16/07/2012 06:15:09
Continuando.... 50 anos estaria de bom tamanho, e ainda assim sua mãe deveria ficar feliz, pois seu filho estaria preso, porém vivo. Infelizmente isso não vai dar em nada, o advogado vai orientar para que ele continue em liberdade, todo mundo tinha que pagar, quem permitiu que eles estivessem bebendo e a familia que por certo educou mal, e esse tipo de gente cresce achando que estão acima do bem.
 
cristiane prudente em 16/07/2012 04:56:54
Eu tenho dois filhos maior de idade, e nunca deixamos(eu e meu esposo) nossos filhos pegar nosso carro, aliás nem ensinamos a dirigir, somente quando eles completaram a idade correta para tal. Se um adolescente pega o carro de seus pais sem autorização( o que eu acho difícil) é porque não tem respeito por nínguem, digo que ele é que deveria ir para cadeia por uns 50 anos.
 
CRISTIANE PRUDENTE em 16/07/2012 04:52:51
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions