A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 28 de Fevereiro de 2017

22/12/2015 10:45

E Deus criou a mulher...

Por Heitor Freire (*)

A mulher, esse ser magnífico que encanta constantemente a todos nós, é cantada, disputada, elogiada, aclamada por todos os meios possíveis e imagináveis, por todos os homens, em todos os tempos. Ela realmente merece. É ela a nossa grande inspiradora.

O nosso objetivo sempre é impressionar uma mulher. Todos os nossos trabalhos, atividades, conquistas são realizados com uma finalidade única: a mulher. Tanto para o bem como para o mal. Na França quando acontece qualquer delito, a primeira providência da polícia é: “Cherchez la femme”.

Tudo gira, desde o princípio, em torno dela. Grandes personagens da literatura e da música também cantaram e aclamaram a mulher em suas manifestações.

A metáfora da criação divina da mulher retrata com muita precisão a sua finalidade: ela foi criada a partir da costela do homem, para estar ao seu lado. Não de um osso da cabeça, para lhe ser superior e nem de um osso do pé para lhe ser inferior.

Giuseppe Verdi, em sua ópera Rigoletto, compôs uma ária, “La donna è móbile” em que representa com muita verve a figura da mulher:
“Como pluma ao vento,”
“Muda de sotaque e de pensamento...”
Victor Hugo escreveu um poema antológico dedicado ao homem e à mulher:
“O homem é a mais elevada das criaturas./ A mulher é o mais sublime dos ideais./ Deus fez para o homem um trono; / Para a mulher, um altar.

...

O homem é o código; a mulher, o evangelho./ O código corrige; o evangelho aperfeiçoa.
O homem é o templo; a mulher, um sacrário.
Ante o templo, nos descobrimos; / Ante o sacrário ajoelhamo-nos.
O homem pensa; a mulher sonha. /Pensar é ter cérebro; /Sonhar é ter na fronte uma auréola.
...

Enfim...
O homem está colocado onde termina a terra;
A mulher, onde começa o céu...”
Nesta minha faina eterna de admirador, cantador e exaltador da mulher eu acabo, até por força da lei da atração, a receber constantemente informações a respeito da mulher, que vou colecionando e arquivando para uso posterior. Nessa prática, recebi do amigo Pérsio Ailton Tosi, um manuscrito que ele, escarafunchando papéis antigos, encontrou de autoria do seu falecido pai, Gabriel Tosi, que escreveu o poema que transcrevo a seguir “ipsis litteris”:

“E DEUS CRIOU A MULHER...
Deus tomou a redondeza da terra e a ondulação da serpente
o enlaçamento da trepadeira e o tremer da erva
a esbelteza do caniço
a ligeireza da folha e o
aveludado do pêssego.
O olhar lânguido da corsa
e a inconstância da brisa
o pranto da brisa e a
alegria do raio do sol.
A doçura da penugem que guarnece a
garganta dos passarinhos e
a dureza do diamante
o gelo da neve e o calor do fogo
o sabor do mel e a crueldade do tigre.
O cacarejar do galo e o
arrular da rola.
Misturou tudo isso e
Fez a mulher.
Ela era bela e graciosa
mais bela que o íbis e a gazela.
E Deus orgulhoso de sua obra
admirou-a e a deu de presente ao homem”.
Enfim, é mais um canto de louvor eterno para ela: Sua Excelência, a Mulher.

(*) Heitor Freire é corretor de imóveis e advogado

A bolha da saúde brasileira está prestes a explodir
A crise econômica e o crescente índice de desemprego da população brasileira refletiram diretamente no setor da saúde. Recente estudo revelou que mai...
Marchinhas do coração
Sei que existem as marchinhas preferidas do coração. São as do passado ou do presente, mas não é delas que quero falar, e, sim, do sofrido coração br...
Reforma da Previdência: aprofundando o deserto na vida dos trabalhadores
O cinema enquanto “sétima arte” muitas vezes busca retratar realidades cotidianas na telona. Não foi diferente o filme “Eu, Daniel Blake”, ganhador d...
O dilema das prisões brasileiras
No último mês de janeiro assistimos, estarrecidos, às rebeliões nos presídios de Manaus, Boa Vista e Natal. As cenas de corpos sem cabeças chocaram a...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions