A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 20 de Junho de 2018

25/01/2013 15:15

É hora de controlar os gastos

Por Wilson Pires (*)

O começo de cada ano é o momento em que precisamos controlar os gastos para não prejudicar o orçamento financeiro familiar. Para evitar problemas, este é o momento de usar uma eventual poupança acumulada pela família. Nesta época “brotam” muitas contas para pagar como IPTU, IPVA, matrícula e materiais escolares, dívidas de final de ano (viagens, presentes, festas etc). Mas se não houve um planejamento para economizar, a saída, então, é tomar um empréstimo para não atrasar o pagamento e evitar acúmulo de juros.

O governo tem incentivado a tomada de dinheiro por meio dos bancos públicos, divulgando a redução de suas taxas de juros, o que é bom para o consumidor. Acontece que, mesmo estas taxas ficando mais baixas, ainda são umas das maiores do mundo. Ao pegar dinheiro emprestado, seja em qualquer modalidade, há pagamento de juros e eventuais taxas, corroendo o nosso poder de compra, além de interferir em nossa qualidade de vida, pois ninguém gosta de pensar em dívidas. Se uma dívida for realmente necessária precisamos procurar a menor taxa de juros existente nas diversas modalidades de empréstimos e fazer um planejamento financeiro para saber se elas poderão ser realmente pagas no período contratado.

Os empréstimos consignados e o crédito pessoal são as melhores opções por terem taxas menores. Outra saída para manter as finanças sob controle é evitar o rotativo do cartão de crédito e do cheque especial, já que aplicam altas taxas de juros. Jamais se deve procurar agiotas.

Após se livrar das dívidas de começo de ano, o consumidor deve, imediatamente, elaborar um planejamento financeiro para os meses seguintes. É importante definir prioridades para gastos da família (moradia, saúde, alimentação, transporte, lazer, educação, vestuário entre outras) e listar todas as despesas mensais, buscando cumprir com rigor o que foi estabelecido. E não se esquecer de incluir algum tipo de investimento para que no início de 2014 não seja necessário recorrer novamente a empréstimos.

(*)Wilson Pires é professor do curso de Administração do Centro Universitário da FEI (Fundação Educacional Inaciana

Servidor público da Previdência Social
Os servidores da Previdência Social, em especial aqueles que trabalham no INSS, estão totalmente sem norte, em virtude das mudanças políticas promovi...
A receita da sorte
Somos seres dependentes da repetição. Desde nossos processos biológicos à necessidade de se estipular uma rotina mínima para que a civilização funcio...
Condução coercitiva e os aspectos jurídicos
Em que pese tratar-se de temática absorta pela legislação processual penal desde a década de 40 (especificamente 1942, quando da entrada em vigor do ...
A carne mais barata do mercado é a carne negra
Os números apresentados pelo Atlas da Violência de 2018 mostram a agudização nas tendências do perfil de assassinatos cometidos no Brasil: a vítima é...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions