ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, DOMINGO  25    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Homem que espancava filhos manteve durante 15 anos mulher em cárcere

Viviane Oliveira e Graziela Rezende | 19/12/2013 12:34
Lugar onde a família vivia, no bairro Aero Rancho. (Foto: divulgação/PM)
Lugar onde a família vivia, no bairro Aero Rancho. (Foto: divulgação/PM)
Local onde a família fazia as necessidades fisiológicas. (Foto: divulgação/PM)
Local onde a família fazia as necessidades fisiológicas. (Foto: divulgação/PM)

O servente de pedreiro Ângelo da Guarda Borges, 58 anos, espancava a mulher e os filhos e manteve durante 15 anos a esposa em cárcere privado, segundo informação da delegada titular da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), Rosely Molina. O caso foi descoberto na manhã de ontem (18), em uma casa na Rua Alagoinha, no bairro Aero Rancho em Campo Grande.

As vítimas são: a mulher do acusado, de 44 anos e os filhos de 15, 13, 11 e 5 anos. A Polícia chegou até o local depois de uma denúncia anônima. A família, que vivia em situação desumana, não tinha água encanada, fazia as necessidades fisiológicas em um buraco no chão e tomava banho no quintal.

De acordo com Rosely, uma das delegadas que vai investigar o caso, no começo, as crianças não queriam falar das agressões. Um deles disse “eu não quero que o meu pai seja preso, mas também não quero continuar vendo a minha mãe sendo maltratada por ele”.

Depois da denúncia, a Polícia aguardou às 11h de ontem para fazer a prisão de Ângelo, horário que ele chegava do serviço para almoçar. Mesmo com a Polícia no local, a mulher estava com medo de apanhar do marido porque o almoço não estava pronto. “Por conta do nervosismo, a pressão da mulher subiu muito e ela teve que ser encaminhada pelo Corpo de Bombeiros até um posto de saúde”, conta a delegada.

No caminho da casa para a delegacia, as crianças pareciam admiradas por ter contato com o mundo externo. Lá, elas receberam almoço e guloseimas, como pirulito, bala e bolacha recheada.

Delegada Rosely Molina, que vai investigar o caso. (Foto: Marcos Ermínio)
Delegada Rosely Molina, que vai investigar o caso. (Foto: Marcos Ermínio)

Os vizinhos já sabiam das agressões, mas não denunciavam com medo de represálias. A mulher contou que viveu durante 20 anos com Ângelo, sendo agredida e recebendo ameaças de morte. A última agressão, contra a mulher, foi por conta de um pão que ela ganhou da vizinha.

No depoimento, a mulher disse que as agressões pioravam no fim de semana, quando o homem bebia. Ângelo nega as agressões e disse que batia nos filhos porque não queria que virassem bandidos.

Durante depoimento, a delegada disse nao tet percebido nenhum distúrbio em Ângelo, apenas um autoritarismo exacerbado e a certeza de que os filhos e a mulher eram propriedade dele.

Ângelo está detido no 4ª Delegacia de Polícia e vai responder por cárcere privado, lesão corporal e ameaça. A mulher e as crianças estão eu um abrigo.

Nos siga no Google Notícias