A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019

08/12/2014 11:57

Com R$ 5 mihões investidos, governador inaugura central de regulação

Priscilla Peres e Leonardo Rocha
Autoridades ligadas a saúde participaram da inauguração nessa manhã. (Foto: Marcos Ermínio)Autoridades ligadas a saúde participaram da inauguração nessa manhã. (Foto: Marcos Ermínio)
Central está localizada na avenida Afonso Pena com a rua Bahia. (Foto: Marcos Ermínio)Central está localizada na avenida Afonso Pena com a rua Bahia. (Foto: Marcos Ermínio)

O governador do Estado, André Puccinelli (PMDB), entregou na manhã desta segunda-feira (8) a reforma e ampliação do complexo de regulação do Estado, que contou com investimento de R$ 5,630 milhões. O sistema vai gerenciar todo o atendimento de saúde na macrorregião de Campo Grande, que engloba 34 municípios.

Por meio de recursos como internet e telefone, o complexo de regulação vai funcionar como uma ponte entre o usuário e o prestador de serviço, dando tratamento adequado no local oportuno e mais próximo das residência do paciente. Priorizando a logística, o sistema vai mostrar em qual unidade mais próxima tem o especialista que a pessoa do interior precisa.

Puccinelli explica que através dessa regulação, a macrorregião de Campo Grande terá mais qualidade no atendimento. "Esse regulação será feita por web, telefone, e definindo onde estará as especialidades. Por exemplo, se alguém quiser fazer um parto na Capital, mas mora em Dourados, ela fará o parto lá, pois Dourados faz parte de outra macrorregião, não precisa vir pra cá".

Mato Grosso do Sul é um dos primeiros do país a implantar esse sistema e de acordo com dados do Ministério da Saúde, o Estado está entre os cinco mais melhor atendimento na saúde.

Do total dos mais de R$ 5 milhões investidos, 20% foram recursos do Estado e o restante fruto de parceria com o Governo Federal. Já a prefeitura de Campo Grande fará o gerenciamento dessa regulação. "No entanto, nós vamos ajudar com servidores e qualquer outra pendência que surgir ao longo do caminho. Tenho certeza que o próximo governador não se furtará a continuar esse projeto", afirma André.

Robson Fukuda, gerente de supervisão médica do complexo, lembra que a obra começou em 2011 e que deve estar pronta para utilização, no primeiro trimestre de 2015. "Esse serviço já é feito em Campo Grande de forma espalhada, por três locais, sendo no jardim São Lourenço, na Sesau e na Upa Universitário".

Fukuda espera que esse complexo melhore o acesso dos usuários, tanto na consulta como no exame. "Temos a obrigação de organizar esse serviço. Atualmente trabalham 150 servidores nessa parte acredito que o número vai triplicar". Para ele, a principal dificuldade é em relação as ofertas baixas em hospitais, pois é necessário fazer essa organização.

O governador lembra que em 2007 assinou um pacto com os 78 municípios zelando pela saúde. "Muitas cidades do interior só fazem o atendimento laboratorial, outras fazem de média complexidade, e de alta só tem na Capital, Dourados, Três Lagoas e a partir desse ano em Corumbá".

Gimar Olarte (PP), prefeito de Campo Grande, disse que "só tem a agradecer ao governo estadual pela obra" e que sua gestão vai trabalhar para colocar em funcionamento o local.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions