A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 17 de Janeiro de 2019

10/05/2017 12:05

Evangélicos encontram desaparecido após lerem reportagem em portal

Rafael Ribeiro
Sebastião Ferreira do Nascimento foi reconhecido por evangélicos no entorno do Hospital Universitário (Foto: Direto das Ruas)Sebastião Ferreira do Nascimento foi reconhecido por evangélicos no entorno do Hospital Universitário (Foto: Direto das Ruas)

Fiéis de uma igreja evangélica nas proximidades do Hospital Universitário, região sul de Campo Grande, reconheceram um homem com problemas mentais que estava desaparecido e entraram em contato com seus familiares depois de lerem reportagem do Campo Grande News, no início da noite desta quarta-feira (10).

Segundo o trabalhador rural Valdevir Ferreira do Nascimento, 53 anos, seu irmão, Sebastião Ferreira do Nascimento, 55, foi reconhecido por volta das 18h30 por pessoas que viram a foto divulgada no portal e o abrigaram na igreja até que alguém fosse buscá-lo.

“Ainda tem gente de Deus neste mundo. O pessoal estava comovido com a história. A gente agradece de coração a bondade neste momento difícil”, disse Valdevir.


Sebastião estava desaparecido desde a manhã do último domingo (7), quando recebeu alta da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Moreninha III, depois de sofrer uma crise convulsiva.


“Na UPA nos disseram que ele teria de passar uma noite sobre observação médica e que me retornariam a ligação no dia seguinte para eu pegá-lo”, comentou Valdevir. Os dois estavam juntos em uma chácara na região do bairro Itamaracá quando houve a crise.


“Mas no dia seguinte como ninguém me ligou então eu fui até lá e quando eu cheguei, me informaram que ele já tinha tido alta e ido embora. Então eu fiquei desesperado”, completou.


O trabalhador explicou que por conta dos problemas mentais, o irmão faz uso de medicamentos controlados e não sabe ler. A família culpa o despreparo no atendimento da unidade pelo desaparecimento do irmão.


“Como deram alta para um homem que não sabe andar na rua? Pegar um ônibus e nem sabe quantos anos tem ”, questionou o familiar. “Justificaram que tentaram me ligar sendo que não recebi nenhuma ligação. Disseram que ele estava agitado, mas e o policiamento do posto?”


Segundo Valdevir, o irmão diz que perambulou sem rumo e conseguiu pedir orientações apenas de como chegar em um hospital, por isso foi na região do Universitário.

“O pessoal da igreja viu ele nervoso, o acalmou, deu banho, trocou de roupa. Ele está muito mais calmo e feliz, nós também, foram momentos de muita dificuldade”, concluiu.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions