A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 18 de Abril de 2019

14/01/2019 17:56

Lixão clandestino na BR-262 fica em área de preservação ambiental

Prefeitura enviará uma equipe para fazer levantamentos e verificar toda a situação do local

Liniker Ribeiro
Lixo encontrado em terreno às margens da rodovia BR-262 (Foto: Kisie Ainoã) Lixo encontrado em terreno às margens da rodovia BR-262 (Foto: Kisie Ainoã)

A prefeitura da Capital confirmou que a área do terreno às margens da BR-262, que dá acesso à saída para São Paulo, pertence a uma APP (Área de Preservação Permanente). O local virou um lixão a céu aberto e vários montantes de lixo estão expostos ao sol e a chuva. Quem mora na região, afirma que, de vez em quando, até mesmo fogo é colocado nos resíduos jogados na região.

Conforme informou o executivo municipal, por meio da assessoria de imprensa, uma equipe da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) será encaminhada ao local para fazer levantamentos e verificar toda a situação.

A área, localizada próximo ao Aterro Sanitário, foi tomada por lixo orgânico – como restos de comidas – garrafas, entulhos, móveis, eletrodomésticos e até mesmo carcaças de veículos, principalmente partes de motocicletas – são encontrados no local.

 

Fumaça provocada pelo fogo colocado em montante de lixo, conforme registro do Campo Grande News na última sexta-feira (Foto: Henrique Kawaminami)Fumaça provocada pelo fogo colocado em montante de lixo, conforme registro do Campo Grande News na última sexta-feira (Foto: Henrique Kawaminami)

“Isso acontece direto, chegam de carro e até de caminhão, pelo menos duas ou três vezes por semana”, revela um administrador de fazenda de 27 anos, que prefere não se identificar. “Não sei dizer quem é que vem aqui para jogar lixo, mas um tempo atrás, até lá do outro lado, próximo da Gameleira, meio que entraram ali para fazer um novo lixão”, complementa.

Solurb - Produtos industrializados estão de monte no novo lixão. Até mesmo sacos de lixo, que aparentam ser de uso exclusivo da coleta coletiva da Capital, podem ser encontrados no local. Questionada, a Solurb informou, por meio de nota, que não tinha conhecimento da situação relatada pela reportagem.

“Afirmamos que todos os resíduos classificados como rejeito no processo de reciclagem, realizado na Unidade de Triagem de Resíduos, são encaminhados diretamente ao aterro sanitário, dando assim o destino correto a esses resíduos”, complementa a nota.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions