A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

07/01/2012 13:22

Moradores pedem quebra-molas onde homem morreu atropelado no Talismã

Paula Maciulevicius

Vítima voltava para casa com carrinho cheio de frutas quando foi atingida por carro. Motorista fugiu sem se quer prestar socorro

Na mesma pista onde as bananas estão, veículos passam a toda. Perigo para pedestres que passam com carrinhos lotados. (Foto: João Garrigó)Na mesma pista onde as bananas estão, veículos passam a toda. Perigo para pedestres que passam com carrinhos lotados. (Foto: João Garrigó)

No local cenário de mais um atropelamento, as frutas que “seo” José Antônio Leonardo Vasconcelos, de 48 anos, carregava, ficaram ao chão. Ele voltava do Ceasa para casa com o carrinho cheio quando foi atingido por um carro e morreu na hora. O motorista se quer parou para prestar socorro.

Na mesma pista onde as bananas estão, carros e caminhões passam a toda. Perigo constante para a vizinhança e pedestres como “seo” José Antônio, que passam com carrinhos lotados.

O acidente foi na noite de ontem, na esquina da rua Araçá com a Serra da Bodoquena, do bairro Jardim Talismã. Segundo os moradores o local é bem iluminado e o que faltou foi atenção do condutor. A vítima e o motorista do carro seguiam pela rua Araçá sentido bairro.

“Acredito que o rapaz falava ao celular e não viu. Só que quando atropelou ele fugiu. Daí foi até lá e deu a volta, o pessoal correu tudo atrás” comenta o vizinho Deocélio de Sousa, 41 anos.

O motorista que fugiu sem ao menos prestar socorro conduzia, segundo moradores, um Gol branco, da empresa GP Pneus. O Campo Grande News tentou contato com o estabelecimento, que confirmou estar à par do ocorrido, mas não quis comentar sobre o acidente.

Morador aponta onde carro atropelou a vítima. Os dois seguiam na mesma direção. (Foto: João Garrigó)Morador aponta onde carro atropelou a vítima. Os dois seguiam na mesma direção. (Foto: João Garrigó)

A rua virou acesso para motoristas que vem da região do Nova Lima para o Centro. A pedido da vizinhança, placas de proibido estacionar caminhões foram colocadas. O trecho do atropelamento não possui placa que indique velocidade máxima permitida e nenhum redutor de velocidade.

“Aqui precisava de um quebra-molas. O pessoal vira e já não respeita mais, vem em alta velocidade. O que junto de gente, de carro, todo mundo estava aqui ontem, mas não teve o que fazer”, acrescenta Deocélio.

A primeira a socorrer José Antônio foi a moradora da casa em frente ao ponto do atropelamento. “Estava lá dentro quando escutei a pancada e corri. Só vi o carrinho dele de lado e o corpo estirado no chão. Quando fui chamar pelo irmão dele, ele já estava botando sangue pela boca”, conta Maria Aparecida Amâncio, 46 anos.

O relato dela não foge do que as testemunhas do acidente narram. “Do jeito que ele bateu, foi passando com tudo. Continuou, fez a volta e os carros que vinham atrás correram atrás dele”, diz.

Além de presenciar inúmeros acidentes, a casa de dona Maria Aparecida já foi palco de muitas batidas. O portão ainda não está arrumado e ela briga na Justiça há dois anos com o último motorista que entrou com o carro para dentro da casa dela.

“Já bateram cinco vezes aqui. Precisava de quebra-molas, um redutor de velocidade, qualquer coisa. Esse de ontem, estava correndo muito”, completa.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, José Antônio Leonardo Vasconcelos sofreu politraumatismo e morreu na hora.

Motorista foge após atropelar e matar homem no Coronel Antonino
José Antônio Leonardo Vasconcelos, de 48 anos, morreu após ser atropelado por um VW Gol na noite desta sexta-feira (06) no bairro Coronel Antonino, r...
Promotoria e prefeitura firmam acordo para recuperar área de preservação
Foi celebrado entre o MPE (Ministério Público Estadual) e a prefeitura de Campo Grande acordo para recomposição da vegetação nativa da área de preser...
Concurso recebe inscrições para 83 vagas técnico-administrativas
Seguem abertas as inscrições para o concurso que oferece 83 vagas para técnico-administrativos em Educação na UFMS (Universidade Federal de Mato Gros...
Vice-governadora visita projeto em que detentos reformam escolas
O projeto "Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade", desenvolvido pelo Poder Judiciário estadual, foi conhecido e elogiado na sexta-feira (...


O que vamos ouvir de quem tem competência para antecipar e precaver o contribuinte sobre esta ocorrências? Lamentar a vuiva não vai resolver. Fatos como este,é delator da imcompetência dos que se dizem "profissionais" em planejamento e engenharia de tráfego. Precisava disto ou daquilo. Há nisto outro delator da "omissão".Isto quer dizer : não estão cumprindo com a missão que lhe é competente. Amém
 
Almerindo de Oliveira em 07/01/2012 10:50:05
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions