A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

04/02/2018 08:37

Morto a tiros no Los Angeles já teria sido vítima de tentativa de homicídio

Suspeito de atirar contra Alyson na noite de ontem também seria autor da tentativa em quadra de futebol

Liniker Ribeiro e Mirian Machado
Frente da casa onde homem de 33 anos foi morto a tiros (Foto Saul Schramm)Frente da casa onde homem de 33 anos foi morto a tiros (Foto Saul Schramm)

Com as marcas de sangue mais evidentes na grama com a luz do dia, quem presenciou o crime que acabou na morte do pedreiro Alysson Ribeiro Miranda, de 33 anos, na noite de ontem (03), afirma ter sido minutos de desespero. Caso aconteceu por volta das 21h, na rua Luis Vasconcelos, esquina com Cassim Contar, no Jardim Los Angeles, mas não teria sido a primeira tentativa.

"Foram muitos tiros, eu sai correndo, gritando, mas ninguém saiu na rua para ajudar", afirma a esposa da vítima, que pediu para não ser identificada, bastante abalada. Segundo ela, Alyson havia saído para visitar a mãe, que também mora na região, e voltava para casa quando foi surpreendido no portão.

A mulher revelou ao Campo Grande News, não ter sido a primeira vez que o suspeito teria atirado contra a vítima. "Ele já tinha tentado matar meu marido uma vez, em uma quadra de futebol, mas os tiros não o acertaram".

Na noite de ontem, o suspeito, identificado apenas como Giló, teria chegado ao local em uma motocicleta de cores branca e vermelha, e atirou ao menos sete vezes contra o pedreiro. A neta da vítima, de cinco anos, também presenciou tudo, afirma a mulher. "Ela está bastante abalada, ainda chama por ele, que era como uma pai para ela. Já eu, ainda não consegui dormir, estou em choque", relata a esposa.

Ela acredita ainda que o crime tenha sido motivado por vingança, uma vez que o irmão de Alysson, que também foi assassinado anos atrás, teria matado o irmão do suspeito. De acordo com ela, o esposo vinha sendo ameaçado por Giló e muitas pessoas pelo bairro sabiam que o autor procurava por ele.

"Ele era avisado disso por onde andava, até mesmo quando foi cortar o cabelo falaram que o Giló procurava por ele", relatou a esposa. A casa onde Alyson morava com a família estava sendo reformada por ele, já havia trocado as janelas e, segundo a esposa, faltava apenas terminar de pintar o imóvel. "Acabou minha alegria", conclui ela.

Caso - Crime aconteceu por volta das 21h em frente da casa da vítima. Ao menos sete disparos de arma de fogo foram efetuados contra Alyson, provocando quinze perfurações pelo corpo dele.

Os tiros atingiram o pescoço, tórax, ombro direito, na cabeça e na mão direita, costas e nuca da vítima. Alyson já teria tido passagens pela polícia, uma delas tendo sido em novembro de 2012, após ser flagrado na companhia de um jovem de 19 anos que estava armado. Na época, quatro mandados de prisão em aberto haviam sido expedidos contra ele.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions