ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUARTA  26    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Passageiros ficaram mais de 2 h sob ameaça durante assalto em ônibus

Por Paula Vitorino | 22/03/2012 13:08

Vítimas disseram que entregaram até o último centavo

Ônibus foi roubado nesta madrugada.
Ônibus foi roubado nesta madrugada.
Depois de madrugada de pânico, passageiros esperam em frente a Delegacia para voltar para casa. (Fotos: Marlon Ganassin)
Depois de madrugada de pânico, passageiros esperam em frente a Delegacia para voltar para casa. (Fotos: Marlon Ganassin)

Uma madrugada de pânico. É assim que os 25 passageiros de um ônibus intermunicipal definem o assalto ocorrido dentro do veículo, por volta das 2h40 de hoje. Eles contam que ficaram sob a mira da pistola utilizada pelo assaltante, que fez constantes ameaças de morte.

O ônibus fazia o itinerário São Paulo/ Rondonópolis e passava por municípios de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. A maioria dos passageiros voltava de tratamento médico no interior paulista.

De acordo com o relato das vítimas, o assaltante embarcou no ônibus como um passageiro comum, no ponto de Presidente Prudente (SP). Ao longo da viagem, por volta das 2h40, ele foi até a frente do ônibus e anunciou o assalto, apontando uma pistola.

“Achei que era uma brincadeira quando falou de assalto, mas depois que vi a arma fiquei paralisada”, diz Isabel Francisca, de 60 anos, que seguia para Mato Grosso após tratamento no interior de SP.

O ladrão mandou todos os passageiros ficarem quietos e colocarem os objetos de valor dentro uma sacola, fornecida por ele. Aparentando tranqüilidade, o homem percorreu o ônibus recolhendo os objetos e, não satisfeito com o volume roubado, fez novas ameaças.

Ele disse as vítimas que tinha mais dois comparsas dentro do ônibus, além do apoio de homens fortemente armados, que seguiam o veículo, e que iria levar o ônibus para uma estrada vicinal, revistar todos e caso encontrasse algum pertence escondido iria matar a pessoa. O ladrão ainda afirmou que era membro da facção criminosa PCC. Após as ameaças, o bandido passou novamente recolhendo objetos com a sacola.

Os passageiros contam que ficaram desesperados e deram até o último centavo que tinham. “Todos ficaram desesperado por causa do medo dele nos levar para um mato e matar todo mundo”, diz a passageira Zenilda Cordeiro, de 41 anos, que viajava com a filha e a neta, de 3 anos.

Ela conta que a filha chorava muito e ficou desesperada por causa da criança, que faz tratamento cardíaco em SP. Ela dizia para o bandido ter compaixão da filha e o homem não chegou a se alterar, mas pediu várias vezes para a mulher ficar quieta porque se continuasse chorando ele iria ficar nervoso também.

Durante o assalto o ônibus passou por um posto de fiscalização e o bandido mandou os passageiros fecharem a janela e não tentarem avisar ninguém, sob a ameaça dos comparsas matarem todos.

A ação criminosa durou cerca de 2 horas. O bandido desceu no trevo de Nova Alvorada do Sul e mandou o ônibus não parar no ponto do município. Com isso, o veículo seguiu direto para Campo Grande, onde os passageiros procuraram a Polícia, por volta das 5h30.

Sem nenhum centavo no bolso e longe da família, os passageiros esperam ansiosamente para continuar seguindo viagem e reclamam da falta de informação. “A gente está sem comer e ainda não sabemos quando vamos voltar para casa”, diz Zenilda.

A Polícia Civil informou que os passageiros estão sendo liberados logo após o registro do boletim de ocorrência, que é fundamental para avaliar os produtos roubados e concentrar o maior número de informações que possam levar até o criminoso.

Aventureiro - O delegado responsável pela investigação em Campo Grande, da Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos), Fábio Peró, disse acreditar que o bandido “é um aventureiro”.

Sobre as informações de que tinha comparsas fortemente armados e era membro do PCC, o delegado acredita que o bandido estava blefando e agiu sozinho o tempo todo. “No máximo tinha alguém para dar suporte na fuga”, diz.

A avaliação é com base no depoimento das vítimas, que não chegaram a avistar veículo seguindo e relataram que o bandido tremia muito e, apesar da tranqüilidade aparente, demonstrava nervosismo durante a ação.

O delegado ainda informou que tem dois suspeitos, com base na lista de passageiros do ônibus. Um deles é do Paraná e o outro da Bahia. No entanto, Peró ressalta que os dados fornecidos pelos passageiros ainda precisam ser checados.

O bandido foi identificado como negro alto e magro. O caso será investigado pela Polícia Civil de Nova Alvorada do Sul.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário