ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, SEGUNDA  30    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Prefeitura abre inscrição para 30 lotes de R$ 40 mil no Bosque das Araras

Sorteio para financiar os terrenos por meio de projeto de habitação de interesse social ocorre em dezembro

Por Izabela Sanchez | 24/10/2019 08:58
Imagem mostra casas sendo construídas no Residencial. Exigência é que a construção e a moradia sejam estabelecidas em, no máximo, 1 ano (Foto: Arquivo/Campo Grande News)
Imagem mostra casas sendo construídas no Residencial. Exigência é que a construção e a moradia sejam estabelecidas em, no máximo, 1 ano (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

A Emha (Agência Municipal de Habitação) abriu inscrição, nesta quinta-feira (24), para sorteio de 30 lotes do Residencial Bosque das Araras, região do Jardim Aeroporto, em Campo Grande. Por meio de projeto de habitação com interesse social, os lotes, avaliados em R$ 40 mil, são financiados com subsídios.

O sorteio vai acontecer na Praça do Rádio Clube no dia 14 de dezembro às 9h. As inscrições ficam abertas até o dia 7 de dezembro e podem ser realizadas por meio do site da Emha ou de forma presencial, na sede da Agência na Rua Íria Loureiro Viana, 415, Vila Oriente.

É vetada a inscrição de pessoas que tenham renda familiar superior a 3 salários mínimos ou que não cumpram as regras estabelecidas na Polhis (Política Municipal de Habitação de Interesse Social). As regras e documentos exigidos podem ser consultados no Diário Oficial do município desta quinta-feira ou no site da Emha.

Valor – Segundo a Emha, os lotes valem R$ 40 mil, com área de 200 m² em meio de quadra e 200 m² na esquina. O programa concede desconto de 30% para avaliações de imóveis entre R$ 40.000,00 e R$ 60.000,00, de forma que o terreno financiado fica valendo R$ 28.000,00.

Os sorteados tem prazo máximo de 300 meses para quitar o financiamento. A primeira parcela não pode ser inferior a 10% do salário mínimo vigente à época de assinatura do contrato e o imóvel não poderá ser vendido dentro do prazo de 5 anos após a assinatura.

A construção das casas e o estabelecimento da moradia deve ocorrer em, no máximo, 1 ano após a assinatura do contrato de financiamento. Também fica proibida construção de “barracos com utilização de material reciclado ou outros que venham gerar riscos para a população”.