A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

28/01/2013 13:49

Quase um terço das casas de festa está irregular em Campo Grande

Paula Vitorino
Bombeiros durante fiscalização para o Carnaval do ano passado, que será repetida este ano, em meio a clima de preocupação após tragédia no RS. (Foto: Arquivo)Bombeiros durante fiscalização para o Carnaval do ano passado, que será repetida este ano, em meio a clima de preocupação após tragédia no RS. (Foto: Arquivo)

Após a tragédia que matou 231 pessoas em incêndio de boate no Rio Grande do Sul, o risco iminente de acidentes em casas de show é uma preocupação nacional. Em Campo Grande, há motivos de fato para isso: quase um terço das casas de festa cadastradas junto ao Corpo de Bombeiros está irregular.

De 30 locais, 8 estão notificados por apresentar alguma irregularidade, de acordo com o comandante em exercício dos bombeiros, coronel Pereira dos Santos.

Os nomes dos estabelecimentos irregulares só serão divulgados nesta terça-feira (29), quando os bombeiros iniciam operação de fiscalização. Três equipes vão vistoriar todos os estabelecimentos, priorizando os locais irregulares. A previsão é de que nove casas de festa sejam vistoriadas amanhã. Esse tipo de vistoria costuma ser feito todo ano em época de Carnaval.

Os estabelecimentos (boates, casas de show, clubes e salões de festa) precisam cumprir todas as medidas de segurança exigidas em legislação estadual para obter o alvará de funcionamento, que garante que todas as normas de segurança estão em dia.

As exigências variam de acordo com a edificação e capacidade de público, mas alguns mecanismos são normas: saída de emergência, sinalização indicando a saída de emergência, extintores e iluminação de emergência.

O capitão dos bombeiros, Rafael de Andrade Farias, explica que todo local com aglomeração de público e mais de 100m² precisa apresentar um projeto, com os mecanismos de segurança. Como exemplo, uma boate de 500m², com capacidade para 1 mil pessoas, precisa ter saída de emergência com no mínimo 5,5 metros, que podem ser divididas entre mais de uma porta.

Real – Em conjunto com a fiscalização dos bombeiros, e até mais importante, está a consciência dos proprietários de casas de festa em garantir os mecanismos de prevenção contra incêndios e outras tragédias.

Em dezembro, pelo menos duas casas de show passaram por vistoriar para renovar o alvará: Hangar e Valley Acoustic. Os responsáveis pelos estabelecimentos garantiram que já cumpriam todas as medidas preventivas, mas que a preocupação aumento diante da tragédia.

“É claro que nunca passou pela cabeça que pudesse acontecer uma tragédia como essa. Mas a gente tem que ter essa preocupação por ser um local público, de circulação de pessoas, que a cada dia recebe novas pessoas e não da para prever o que vai acontecer”, diz o diretor de eventos do Hangar, Thiago Coutinho.

Ele afirmou que os diretores da casa devem se reunir para revisar os itens de segurança da casa e, havendo necessidade, melhorar os mecanismos.

“Passamos por reforma recentemente, então, está tudo novo, mas é sempre bom garantir que esteja tudo em ordem para o funcionamento”, diz.

Na Valley Acoustic, o material utilizado na construção e a decoração detalhada com estilo sertanejo exigem mais cuidados. A gerente Cristina Silva diz que produto anti-chamas é passado regularmente na estrutura de madeira, decoração e cortinas do local. A recomendação foi repassada pelos bombeiros.

Os seguranças possuem rádio para se comunicarem – uma das falhas apontadas no incêndio da boate Kiss, já que os seguranças da entrada não sabiam do incêndio no interior e inicialmente tentaram impedir a saída do público.

A gerente diz que a casa também não permite apresentações com materiais que produzam faíscas. Vela com efeitos que era popularmente utilizada para “sinalizar” os aniversariantes na casa foi abolida em meados do ano passado. A gerente diz que o motivo foi por motivo de custo, mas a segurança também considerada.



Concordo vom vc Silvia Guimarães, todo mundo quer apontar culpados, uns culpam o poder público, outros culpam os donos de estabelecimentos...mas e vc? e nós? frequentadores e pagantes? fazemos alguma coisa? cobramos mudanças? deixamos de frequentar? proibimos nossos filhos de frequentar? a resposta é NÃO!
Por isso antes de cobrarmos das pessoas devemos cobrar de nós mesmos (e eu me incluo nisso), sempre achamos que não vai acontecer com a gente e só nos indignamos quando acontece alguma tragédia. A vigilância tem que ser constante e habitual.
 
Ana Miranda em 29/01/2013 09:21:50
Penso que as autoridades precisam mesmo fiscalizar, fiscalizar e fiscalizar, e, não só em Campo Grande. No interior do Estado, Boates funcionam em ambientes SUPER-pequenos e SUPER-lotados de jovens... A prevenção é a melhor saída!
 
SUELI VEIGA MELO em 29/01/2013 08:29:29
O grande problema é "achar" que isso não acontece, pois acontece sim.... e continuará acontecendo onde e quando não houver conhecimento e conciência dos perigos inerentes à atividade tanto por parte de quem promove quanto daqueles que participam do evento.
 
rodolfo de toledo em 29/01/2013 08:06:06
PREVENÇÃO É UMA LENDA NESTE PAÍS.
TEM QUE ACONTECER ALGO DE RUIM PARA QUE AS COISAS FUNCIONEM ( E AINDA ASSIM MAL)

LAMENTAVEL O FATO... AOS MEUS CONTERRANEOS SULISTAS MEUS SINCEROS PESAMES QUE DEUS OS CONFORTE NESTA SITUAÇÃO TAO TRAGICA
 
marcel dos santos nobre em 28/01/2013 23:50:28
É preciso responsabilidade, compromisso, por parte das pessoas nas realizações, das funções a que foram designadas. Hoje vemos as boates, casas caindo sendo soterradas, em função das chuvas, outras construídas com materiais de quinta, e logo apresentam rachaduras, colocando em perigo seus moradores.O que está faltando é COMPROMISSO COM AS VIDAS DOS SERES HUMANOS.Onde está o respeito com o próximo?
Quanta tragédias poderiam ser evitadas, se cada um cumprisse com seu dever.
 
Eva Garcia em 28/01/2013 23:47:12
PRIMEIRO QUE AS AUTORIDADES DE CAMPO GRANDE NÃO TEM CULHÃ...
PRA FECHAR ESTABELECIMENTO NENHUM. VÃO DAR UM MIGUEZINHO AQI E OUTRO LÁ. FALA DE VISTORIA QUE A LICENÇA VENCEU.
MAS BOTA PRA FUD... NUNCA.
SEGUNDO O QUE TEM DE MENOR FREQUENTANDO BARZINHO DA AFONSO PENA NÃO TA ESCRITO.
BARES, BOATES, SHOWS, NÃO TEM CONTROLE ALGUM.
TUDO É DINHEIRO.
AI QUANDO ACONTECE UMA DESGRAÇA FICAM DE BLÁ BLÁ....
MEU A CULPA É DO PODER PUBLICO, DAS AUTORIDADES DOS POLITICOS.
O POVO NÃO MERECE ISSO,
O POVO É O BRASIL,
CHEGA DE PALHAÇADA, ATITUDE POR PARTE DOS GOVERNANTES JA SERIA UM BOM INICIO.
 
julio junior em 28/01/2013 22:53:19
AGORA VAO FISCALIZAR NE???!!!
 
Jorge Junior em 28/01/2013 21:02:05
Aos setores de fiscalização, primeira coisa ver quantas saidas de emergencia tem, pois temos aqui em campo grande local com uma só entrada, e a saida é pelo mesmo local, tem que fechar até sanar esses problemas, isso é serio.
 
Ramao Marcondes em 28/01/2013 18:34:02
Interesante né...? No futebol, os jogos são disputados em locais amplos.... bem grande mesmo..... e nem por isso, o Ministério Público permitiu que em algumas cidades - entre elas Corumbá - realizasse os jogos do time mandante (Corumbaense). Por que essa medida - não necessariamente igual - não é tomada ou adotada também em relação às casas de shows?.. Todas elas anunciam em tempo hábil, a realização de um show... sendo assim, a PM.. Bombeiros, Vigilância Sanitária e o Crea deveriam fiscalizar o local e dar o aval ou não.. portanto.. está de PARABÉNS DA FEDERAÇÃO DE FUTEBOL DE MS, que segue à risca as determinações do Ministério Público Estadual..... é isso aí....
 
Gilson Giordano em 28/01/2013 18:17:50
Por uns três meses vão fiscalizar todo mundo. Depois cai no esquecimento e só voltam a lembrar quando acontecer outra tragédia. Como disse o Vin Diesel , ISSO É BRASIL !
 
Marcos Figueiredo em 28/01/2013 18:09:24
essas casa que estão irregulares são as que pediram ou tinham alvará, imagina agora as que nunca pediram e as que tem liminar para funcionar.
 
wilson souza em 28/01/2013 17:54:49
Precisa acontecer esse tipo de coisa pra que aconteça. Duvido que se não tivesse acontecido isso se teria vistória em boate. Daqui uns tempos todos os alvaras vencem e fica por isso mesmo.
 
Viviane Morel da Rosa em 28/01/2013 17:54:43
Pois é boa parte da culpa é tambem das pessoas que alugam determinados locais sem observar se esta em dia com as normas, se não cobramos e não boicotamos, estamos coniventes com a situação. Então ja que a fiscalização não é eficaz, não voltam pra acompanhar se realmente foi feito o serviço solicitado, vamos nós solicitar dos proprietarios no ato do aluguel as medidas de segurança. Observar o local. Jovens gostam de diversão é fato mas observem os locais, fatalidades acontecem. Precisamos estar atentos e fazer a nossa parte.
 
silvia guimaraes em 28/01/2013 17:10:09
Trabalho com fogos deste meus 16 anos de idade hoje tenho 44 e numca em meu serviço de pirotecnia matei ninguem , pois trabalho com prevençao antes de acontecer esse é o PAPEL DO TÉCNICO BLASTER NESSA TRAGÉDIA CERTAMENTE NAO TINHA UM TÉCNICO BLASTER !!!!!!!!!!!!!
 
paulo cesar coutinho de lima em 28/01/2013 16:58:00
Prestem atenção no que um propietário de uma casa de shows disse na reportagem: "nunca passa pela nossa cabeça que isso pode acontecer". Por isso que sempre irá acontecer tragédias neste país, isso tem que passar pela cabeça do Sr. sim. É como um irresponsável que ultrapassa pela faixa contínua em uma estrada ou anda a mais de 100km em uma avenida dentro d euma cidade, se passasse pela cabeça destas pessoas que tragédias acontecem as mesmas poderaim ser evitadas. Fatalidade é uma coisa irresponsabilidadee é bem diferente. Infelizmente logo essa tragédia será esquecida e nada será feito, é assim que as coisas se resolvem por aqui no esquecimento. Foi a primeira nessas proporções, será a última?
 
Pedro Alcantara Machado em 28/01/2013 16:47:54
agora que um monte de gente morreu por falta de fiscalização é que vão ser tomadas providências. Eh Brasil desse jeito não dá.
 
Tery Alves em 28/01/2013 16:38:21
É preciso acontecer uma tragédia para as autoridades se movimentarem. Os soldados do Corpo de Bombeiros até que tem boa vontade, más falta equipamentos e agilidade nas decisões que dizem respeito a grandes incendios. Se houver dois incendios em grandes proporções nesta capital, com certeza em um vai morrer gente. No interior deve ser ainda pior.
 
MARCO COSTA em 28/01/2013 16:15:29
De nada adianta o corpo de bombeiros fiscalizar e emitir laudos para regularização das falhas encontradas se não retornam para verificar a regularização das mesmas.
Este comentário refere-se a prédios de condominios, estou falando com conhecimento de causa.
Só após tragédias comecam as preocupações das auturidades .
 
José Inácio Schwanz em 28/01/2013 16:10:43
As autoridades não deveriam esperar acontecer pra tomarem as medidas necessarias. É lamentavel que só qdo acontecem fatos assim que então pensam em agirem com rigor. Campo Grande tem vários clubes com alvará liberado , mas que não dá aos frequentadores a mínima condição de segurança. Digo isso, pq eu frequento esses clubes e sei oq estou dizendo. O clube sem condições e alvará nas mãos. Nesse caso, quem será o culpado caso aconteça uma tragédia? Vamos esperar esta semana que façam as vistorias e ver que tipo de atitude irão tomar e se deixarão esses clubes funcionando sem as condições precisas. Caso contrário, traremos os nomes dos clubes aqui. Quem sabe assim, preservem a vida humana antes que algo aconteça. É melhor prevenir!!!!!!!!
 
Andreza Arce em 28/01/2013 16:03:37
gostaria que o prefeito acompanhace o dia a dia dos bombeiros, vai uma sugestao em frente destes estabelicimento deveria proibir estacionar para facilitar a saida de emergencia, parabens campo grande ja esta preocupados e dessa vez creio que vai funcionar
 
deosdete pessoa em 28/01/2013 16:03:19
aos senhores bombeiro muuuuuita negrigencia neste tipo de vestoria pois sao vidas em jogo a queles que nao se adguar a leis multa salgadas neles, obs tambem placas informando menores nao entrar.
 
claudemir andrade em 28/01/2013 15:58:10
as providencias tem que ser tomadas, antes que acontece os fatos, porque depois que aconteceu, ai não adianta, ficar argumentando, vamos vistoria, esses estabelicimentos antes do carnaval, para que nenhuma tragédia dessa natureza, não venha mais acontecer, que fiscalizãção estão fazendo, que deixa uma casa noturna fazer uma festa dessa, se nem um instintor de incendio, estava funcionando, sera que realmente, ela foi vistoriada? quantas vidas se perderam, ali dentro, quantas familia, estão chorando pelos seus filhos, pessoal responsavel por essas vistorias em casas noturna, vamos verificar, se esses local estão aptos a funcionar,vamos fazer valer as leis, para que seja cumpridas com rigor, porque são vidas de pessas que estão em jogo.
 
jacira penha vargas em 28/01/2013 15:19:08
Seria interessantes também que os bares e conveniências fossem fiscalizados, pois há muitos que não tem sequer licença para funcionar e extintor de incêdio é miragem, e não raras vezes também promovem "festas", inclusive com fogos.
 
Rosangela Mello em 28/01/2013 15:15:16
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions