A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

17/11/2010 14:34

Dono de garagem foi preso em Dourados durante operação

Redação

A Polícia Federal prendeu hoje durante a operação Deserto em Dourados o dono de uma garagem de veículos, localizada em uma das principais avenidas da cidade, a Weimar Torres.

As investigações que começaram em Aruça (SP) descobriram que cocaína entrava pelo Brasil via Mato Grosso do Sul em aeronaves e caminhões, e a partir da região de Dourados seguia em carros pequenos para distribuição a estados brasileiros. A maior parte da droga, no entando, era transportada em cargas de farelo e cereais para depósitos do grupo no interior de São Paulo, principalmente, e depois seguia para Europa e África em aviões.

O nome do empresário preso em Mato Grosso do Sul não foi divulgado, mas a Polícia Federal também informou que o primeiro avião da quadrilha foi apreendido no Estado, na divisa com o Mato Grosso, no dia 1º de setembro deste ano.

Os responsáveis pela operação destacaram 4 flagrantes. Em fevereiro, um depósito foi descoberto em Aruça, onde também foram apreendidas dez granadas. Depois o avião na divisa com o Mato Grosso e na sequência outros dois depósitos.

A Polícia Federal informou que a quadrilha em dez meses mais de 2 toneladas de cocaína foram apreendidas e têm relação com o grupo que trazia da Bolívia a droga, transportava, distribuia e refinava a droga e ainda "batizava" o entorpecente com outros produtos.

O esquema era tão refinado, que a quadrilha desenvolveu um esquema eletrônico que possibilitava a abertura dos painéis dos veículos pequenos sem que fosse quebrado, apenas com um dispositivo elétrico que abria a estrutura e fechava de forma que nada aparecia nas fiscalizações da Polícia.

Já o avião apreendido em Mato Grosso do Sul, por exemplo, trazia a droga na asa e na fuselagem, também com dispositivo para que fosse aberta sem a necessidade de quebrar a estrutura.

Segundo a PF, em cada voo era possível transportar até 250 quilos da droga. Hoje uma outro avião foi apreendido em Penápolis, cidade a 474 quilômetros de São Paulo.

Também foram apreendidos 33 carros, alguns com compartimentos falsos, onde a droga também era transportada. Nesta quarta, 22 pessoas foram presas - 17 em São Paulo - e outras vinte já cumprem pena em presídios.

Inicialmente, a PF informou que a operação aconteceria em quatro estados, mas os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em seis estados: São Paulo, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul.

Fronteira - Segundo a Polícia Federal, a quadrilha era encabeçada por um assessor parlamentar de Pereira Barreto, no interior de São Paulo, e um proprietário de revendas de automóveis na capital paulista. Os dois foram presos nessa quarta-feira.

O assessor fazia as negociações na Bolívia e também em Corumbá, com reuniões entre ele e os fornecedores, diz a PF. Em dez meses, a quadrilha movimentou 29 milhões de reais, acredita a Polícia.

Aplicativo enviará à CGU denúncias de agressão e discriminação a pessoas LGBTI+
O Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União recebe, a partir de hoje (18), denúncias feitas pelo aplicativo TODXS, relativas à discr...
TSE: regras eleitorais deixam dúvidas sobre fake news e autofinanciamento
O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou hoje (18), por unanimidade, as 10 resoluções que irão regular as eleições de 2018, mas ainda ...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions