A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

03/06/2016 17:20

Conselho cobra de secretário mais investimento em segurança

José Carlos Barbosa está reunido em Dourados com representantes do MP, polícias, Exército, Receita Federal e Guarda Municipal

Helio de Freitas, de Dourados

O secretário estadual de Justiça e Segurança Pública, José Carlos Barbosa, está reunido em Dourados, a 233 km de Campo Grande, com representantes do Coised (Conselho Institucional de Segurança de Dourados). No encontro, realizado no auditório da delegacia da Polícia Federal, Barbosa recebeu uma carta de 16 páginas, com reivindicações para melhorar a segurança na segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul.

Fazem parte do conselho, representantes Ministério Público Federal e Estadual, das polícias Civil, Militar, Federal e Rodoviária Federal, DOF (Departamento de Operações de Fronteira), Corpo de Bombeiros, Receita Federal e Guarda Municipal.

No documento, o Coised aponta a segurança pública de Dourados como “precária” e relaciona as principais necessidades dos organismos policiais presentes na cidade, como destinação de mais cinco delegados, oito escrivães, seis viaturas, armas e munições para a Polícia Civil.

Para a Polícia Militar, o conselho cobrou reforço de 150 homens e lembrou que o batalhão, responsável pela segurança de uma população de 278 mil habitantes, tem 322 policiais, dos quais 60 trabalham na penitenciária estadual.

Segundo o conselho, a carência do batalhão douradense por efetivo é maior que de outras regiões e cita como exemplo Três Lagoas, que tem 221 policiais para atender 154 mil habitantes e o de Ponta Porã, que conta com 161 homens para atender 118 mil pessoas.

Ainda para a PM, o conselho cobrou mais viaturas, armamento, munição, 50 algemas e 320 coletes balísticos, além de armamento não letal (armas de choque e equipamento de controle de distúrbios).

IML – Outra reivindicação feita ao secretário de Segurança Pública é a conclusão do prédio que abriga a Unidade Regional de Perícias e Identificação de Dourados. A obra começou há quatro anos e ainda não foi concluída. “Lamentavelmente os exames de cadáveres são feitos nas dependências de funerárias particulares”, afirma o Coised.

A carta pede ainda melhorias na PED (Penitenciária Estadual de Dourados), como sistema de vigilância por câmeras nos pavilhões e aumento do número de agentes penitenciários e de policiais militares.

Para justificar a reivindicação, o conselho informa que a PM tem em Dourados 62 policiais para cuidar de 2.975 presos, enquanto a Companhia de Guarda e Escolta da Capital conta com 234 homens para cuidar de 3.891 internos.

Tem projeto – José Carlos Barbosa afirmou que o governo do Estado tem projeto em andamento para atender a todas as reivindicações apresentadas pelo conselho douradense.

Sobre a obra do IML, ele informou que a previsão é de funcionamento dentro de 120 dias.

Polícia carioca pede extradição de traficante preso no Paraguai
A extradição do traficante Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto, preso na cidade de Encarnación, no Paraguai, perto da fronteira com Mat...
Uems recebe inscrições em seleção para cursos de Educação à Distância até dia 22
Seguem abertas até 22 de dezembro as inscrições no processo seletivo de cursos de graduação e pós-graduação, na modalidade EaD (Educação à Distância)...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions