ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 10º

Interior

Foragido por aplicar "golpe do envelope vazio", estelionatário usava nome falso

Maycon Freitas Rojas teria cometido o crime em 2014 e usava o nome do irmão para não ser descoberto, mas acabou preso

Por Alana Portela | 02/03/2021 06:56
Maycon Freitas Rojas estava foragido por aplicar o golpe do envelope vazio. (Foto: 94 FM)
Maycon Freitas Rojas estava foragido por aplicar o golpe do envelope vazio. (Foto: 94 FM)

Foragido por aplicar golpe do envelope vazio em 2014, Maycon Freitas Rojas, 32 anos, foi preso em Dourados, 233 quilômetros de Campo Grande. Ele foi pego ontem (1º), durante ronda da Guarda Municipal.

Os agentes percorriam as ruas da Vila Esperança quando viram Maycon perto de uma VW Saveiro, que estava estacionada no cruzamento da Rua Monte Alegre com a Rua Jaime Moeira.

Os guardas se aproximaram de Maycon, que começou a ficar nervoso. Para não ser descoberto, ele se apresentou aos guardas usando o nome do irmão, Marcelo Freitas Rojas.

No entanto, ao checarem o nome da mãe do suspeito, os agentes descobriram que Marcelo na verdade era Maycon, que estava com mandado de prisão em aberto e deram voz de prisão.

O Maycon foi algemado e levado para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) de Dourados. Já a Saveiro conduzida pelo criminoso ficou no local, com celular, chaves e R$ 355,00, e posteriormente, foi retirada pelo pai de Maycon.

Golpe – Maycon foi preso em 2014 pelos policiais da Defron (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira) por aplicarem o "golpe do envelope vazio" na compra de automóveis. Na época, uma das vítimas teve prejuízo de aproximadamente R$ 20 mil.

O primeiro golpe foi aplicado dia 27 de maio daquele ano. Maycon e outros dois cúmplices  entraram em contato um douradense proprietário de um Volkswagen Gol, que estava sendo anunciado na internet.

Os estelionatários combinaram o preço e pediram o número da conta bancária da vítima para que pudessem efetuar o pagamento. Foi então que os criminosos depositaram um envelope vazio e informaram que já haviam feito a transação.

Sem averiguar detalhadamente o extrato bancário, o proprietário entregou as chaves do veículo e só depois se deu conta que foi enganado, tendo prejuízo de R$ 20 mil.

Além de aplicar o golpe, Maycon ainda é acusado de assaltar um posto de combustível em 2015, na cidade de Itaporã, 227 quilômetros da Capital.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário