ACOMPANHE-NOS    
MAIO, QUARTA  25    CAMPO GRANDE 20º

Interior

PM apura desvio de combustível e afasta 4 militares em Sidrolândia

Por Lidiane Kober e Edivaldo Bitencourt | 08/11/2013 10:14
Vídeo mostra policiais abastecendo em Sidrolândia (Foto: Reprodução)
Vídeo mostra policiais abastecendo em Sidrolândia (Foto: Reprodução)

A Polícia Militar abriu procedimento para apurar a denúncia anônima de que policiais de Sidrolândia, a 70 quilômetros de Campo Grande, estavam desviando combustível destinado à corporação para abastecer carros particulares. Um vídeo mostra os policiais passando a bomba de combustível de uma viatura para um veículo particular.

Eles negam a acusação e cogitam “perseguição” de colegas da frota ou da imprensa local. No entanto, a corregedoria da PM foi ao município e já viu indícios de irregularidades. O Comando Geral decidiu afastar todos os envolvidos no escândalo.

De acordo com a denúncia, o sargento Halisson Perdomo, o soldado Vilson e o tenente Edcesar comandam o esquema de desvio de gasolina. O vídeo mostra três policias em posto de combustível da cidade. O frentista, inclusive, dá liberdade ao trio de pegar a bomba de combustível e realizar o abastecimento.

Em determinado momento, um policial tira a bomba da viatura e a aplica em um veículo aparentemente particular. A troca ocorre com a maior naturalidade, em clima de descontração entre os policiais.

Um pouco antes, um deles, pega uma garrafa pet para, segundo a denúncia, completar de gasolina. No interior das viaturas, outros galões também armazenariam o combustível.

Na sequência, um dos policias acende o farol e obriga o denunciante a entrar em carro para dar sequência à filmagem. “Percebam que o soldado desconfia que tinha gente observando e sem ao menos disfarçar liga o farol da viatura na tentativa de visualizar algo”, relata a denúncia anônima, encaminhada, ontem, ao Campo Grande News.

Envolvidos em denúncia abastecem viatura em posto de Sidrolândia (Reprodução)
Envolvidos em denúncia abastecem viatura em posto de Sidrolândia (Reprodução)

O mesmo denunciante afirma que, logo depois, os policiais abrem as portas das viaturas para disfarçar o abastecimento dos galões, supostamente depositados no banco traseiro das viaturas.

Enquanto isso, de acordo com a denúncia, os policiais negam atendimento nos assentamentos, alegando falta de combustível. “Os representantes dos assentamentos já não aguentam mais a falta de segurança e relatam que todas às vezes que ligam para o 190 são informados de que o comandante Edcezar determinou que não é para as viaturas se deslocarem até os locais, pois o Estado fornece somente 20 litros de gasolina por dia”.

Outro lado – Procurados pelo Campo Grande News na quinta-feira, o sargento Perdomo e o tenente Edcezar negaram a denúncia. “Isso é mentira”, declarou Edcezar. Ele, da mesma forma que o colega, cogitou perseguição. “Por coincidência ou não, nós dois fomos alvos de outra denúncia e até agora não provaram nada”, completou o tenente.

Ele também se colocou à disposição para qualquer esclarecimento. “Não tenho nada a esconder”, garantiu. “Só abasteço viatura da PM”, reforçou Perdomo. “Só pode ser perseguição ou de gente da própria tropa ou da imprensa local”, concluiu o sargento.

Afastados –Em nota, nesta sexta-feira, a PM classificou as denúncias como "graves". "O Comandante-Geral da Instituição, coronel Carlos Alberto David dos Santos, determinou à Corregedoria abertura de procedimento para apuração rigorosa dos fatos e remoção imediata dos quatro policiais militares que aparecem no vídeo", anunciou, em nota ao Campo Grande News

Três policiais foram removidos para o 1º Batalhão da PM. "E o Oficial da PM, comandante do pelotão de Sidrolândia, será removido da unidade durante a apuração dos fatos, a fim de assegurar a imparcialidade e isenção na apuração da denúncia", disse coronel Davi, por meio da assessoria. 

"O Comando-Geral não compactua e não aceita qualquer desvio de conduta de sua tropa, por isso determinou rigor e agilidade nas apurações e, que, assim que elas forem concluídas, seja dada a devida publicidade aos fatos, para conhecimento de toda sociedade", frisou.

Nos siga no Google Notícias