ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, DOMINGO  14    CAMPO GRANDE 10º

Interior

Prefeito entrega 736 lotes que não ‘existem’ oficialmente em Bataguassu

Decreto que aprovou implantação de terreno caducou, mas administração realizou sorteio e entrega de posse

Por Gabriela Couto | 14/06/2024 13:07
Imagem aérea do loteamento Amarildo Cruz, em Bataguassu (Foto: Prefeitura de Bataguassu) 
Imagem aérea do loteamento Amarildo Cruz, em Bataguassu (Foto: Prefeitura de Bataguassu)

Prometido como o maior projeto social já realizado na história de Bataguassu, o loteamento Amarildo Cruz não existe legalmente. O projeto do prefeito Akira Otsubo (MDB) de doar 736 terrenos para a população tem transformado o sonho desses sortudos em pesadelo.

Tudo porque o loteamento não existe de fato, conforme resposta do serviço de registros da cidade localizada a 310 km da Capital, para a Câmara de Vereadores.

Conforme documento obtido pelo Campo Grande News, o loteamento se encontra pendente de regularização. O município não apresentou até o momento documentos exigidos para que o documento fosse expedido.

Os vereadores também foram informados que o decreto que aprovou a implantação do loteamento ‘caducou’, porque excedeu o prazo de 180 dias sem que fosse registrado como determina a Constituição Federal.

Prefeito Akira Otsubo (MDB) percorrre local onde fica loteamento (Foto: Prefeitura de Bataguassu) 
Prefeito Akira Otsubo (MDB) percorrre local onde fica loteamento (Foto: Prefeitura de Bataguassu)

Outro documento que a reportagem teve acesso comprovante da Sanesul (Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul) explicando a uma das donas de um dos lotes que não poderia fazer a ligação do serviço no local por ele não ter um projeto aprovado.

Entenda – Depois de prometer mil casas durante seu mandato, o prefeito Akira distribuiu um ‘termo de posse’ para os 736 moradores que foram sorteados para receber um lote no terreno Amarildo Cruz.

No local não há infraestrutura básica, como: água, luz, asfalto e saneamento. Cada terreno possui 160 m², tamanho suficiente para a construção da casa própria. A área de 10 alqueires foi adquirida pela Prefeitura em 2021, com R$ 2,1 milhões de investimentos.

Conforme as informações divulgadas pela própria prefeitura, o objetivo inicial era entregar casas, mas houve mudança no projeto. "Muitas pessoas precisam sair do aluguel, precisam ter sua moradia. A intenção era construir mil casas, mas não conseguimos parceria com o Governo Federal. Desta forma, doamos os terrenos", disse o prefeito.

Imagem aérea de máquinas trabalhando para abrir terreno do residencial (Foto: Prefeitura de Bataguassu) 
Imagem aérea de máquinas trabalhando para abrir terreno do residencial (Foto: Prefeitura de Bataguassu)

Akira explicou aos ganhadores de lote o que se tratava o termo de posse que foi entregue para eles na semana passada. "Estamos entregando esse documento de doação, que é uma garantia que o lote é de vocês. O documento garante segurança jurídica de que os terrenos serão preservados”.

A reportagem entrou em contato com a Prefeitura que informou que já utilizou o 'termo de cessão real de uso' anteriormente, em 2015, quando autorizou empresas a usarem o Polo Empresarial da cidade.

"Antes mesmo da Lei que instituiu o programa, houve emissão de documento para utilização da área. Não havia água, energia ou qualquer infraestrutura. A empresa beneficiada teve que puxar energia de empresa vizinha a área. A matrícula geral 12.022, a exemplo do que se faz hoje com o Loteamento Amarildo Cruz, continuou sendo utilizada para emissão de novos termos de cessão de uso, conforme outro exemplo anexo, datado de 05 de dezembro de 2016", justificou.

De acordo com a explicação, as matrículas individualizadas, foram feitas pela atual administração somente em 01 de dezembro de 2022, após a eleição do prefeito Akira Otsubo, em 2020.

Terreno com área limpa para receber futuros moradores (Foto: Prefeitura de Bataguassu) 
Terreno com área limpa para receber futuros moradores (Foto: Prefeitura de Bataguassu)

"Hoje, no Polo Empresarial da sede do município e no Distrito de Nova Porto XV, já totalizam 26 novas empresas. Portanto, o procedimento da atual administração em fornecer Termo de Doação, apenas com a matrícula geral do loteamento, sem as matrículas individualizadas, representa prática semelhante a já adotada e não uma atividade política".

Com relação a implantação de obras de infraestrutura, como rede de energia e água, bem como o asfalto, o prefeito Akira Otsubo afirma que ouviu do próprio governador do Estado, Eduardo Riedel (PSDB), em audiência oficial presencial, que “o investimento demanda recursos de, no mínimo, R$ 19 milhões e há um tempo de maturação para isso, mas o Governo será parceiro do Loteamento Amarildo Cruz”.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias