ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, TERÇA  13    CAMPO GRANDE 23º

Interior

Seis são presos e multados em R$ 13 mil com anzóis e pescado no Rio Iguatemi

Grupo só foi liberado após pagamentode fiança; peixes totalizaram cerca de 74 quilos

Por Liniker Ribeiro | 06/03/2021 17:07
Pescado apreendido com grupo preso por pesca predatória (Foto: Divulgação/PMA)
Pescado apreendido com grupo preso por pesca predatória (Foto: Divulgação/PMA)

Seis pessoas foram presas em flagrante, na manhã deste sábado (6), por pesca predatória, no Rio Iguatemi, na cidade de Mundo Novo, a 476 quilômetros da Capital. Com o grupo, foram encontrados 74 quilos de pescado, barcos e anzóis que eram armados em galhos, em diversos trechos do rio.

Segundo a Polícia Militar, os presos, de 30, 49, 51, 60, 65 e 68 anos, são moradores de Cascavel, no Paraná, e estavam acampados na região. O grupo utilizava duas embarcações.

Escondidos em mata, os policias passaram a monitorar o movimento dos pescadores e, quando foram conferir parte dos anzóis de galho, três deles foram abordados. Com o trio, a equipe da PMA (Polícia Militar Ambiental), encontrou cerca de 30 quilos de peixe da espécie pintado. Um dos exemplares, inclusive, apresentava tamanho mínimo de captura abaixo do permitido.

Na embarcação havia 17 anzóis de galho que foram apreendidos, juntamente como o pescado, mais o barco e o motor de popa. Cada infrator foi autuado administrativamente e multado em R$ 2.200,00, além de receberem voz de prisão pelo crime ambiental.

O trio ainda revelou que outros três amigos estavam pescando com eles e estariam nas proximidades. Policiais foram ao local indicado e localizaram os denunciados. Eles já haviam retirado dos petrechos ilegais, cinco exemplares de peixes da espécie pintado, pesando 44 kg, sendo que dois exemplares se apresentavam abaixo do tamanho mínimo de captura.

Mais 30 anzóis de galho foram apreendidos, assim como o barco, o motor de popa e o pescado. Cada um destes três foram multados em R$ 2,3 mil. Os três foram levados para delegacia e liberados após pagamento de fiança.




Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário