ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 15º

Interior

Servidores protestam e prefeitura promete resolver crise em fundação de saúde

Funcionários da Funsaud protestaram hoje para cobrar direitos trabalhistas

Por Helio de Freitas, de Dourados | 17/03/2021 14:55
Representantes de servidores e vereadores reunidos com secretário (Foto: Divulgação)
Representantes de servidores e vereadores reunidos com secretário (Foto: Divulgação)

A prefeitura prometeu definir nos próximos dias cronograma para resolver problemas enfrentados pelos servidores da Funsaud (Fundação de Saúde de Dourados) que administra a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e o Hospital da Vida, principal referência do interior de Mato Grosso do Sul no atendimento a pacientes infectados pela covid-19.

Nesta quarta-feira (17), servidores da fundação protestaram no CAM (Centro Administrativo Municipal), onde funcionam algumas secretarias e o gabinete do prefeito Alan Guedes (PP). A principal cobrança diz respeito a direitos trabalhistas, como recolhimento de FGTS e férias atrasadas.

Em janeiro, logo após a atual administração assumir o comando do município, a prefeitura informou que a Funsaud acumulava dívidas superiores a R$ 70 milhões, incluindo questões trabalhistas e pagamentos de fornecedores em atraso.

Representantes dos funcionários foram recebidos pelo secretário de Governo Henrique Sartori, que falou em nome de Alan Guedes. A líder do prefeito na Câmara Daniela Hall (PSD) e o vereador Elias Ishy (PT) participaram.

Sartori assumiu compromisso de traçar estratégias para resolver os problemas. “Ouvimos, fizemos algumas ponderações e pactuamos que a administração municipal vai fazer de tudo para traçar plano de resolução”, disse o secretário.

Henrique Sartori informou que tem reunião marcada com a diretoria da Funsaud para discutir as demandas dos funcionários. Ele prometeu voltar a conversar com os servidores na semana que vem, para apresentar o plano de estratégia.

“Este canal direto entre servidores e o município é importante para haver transparência. Vamos debater com os diretores da Funsaud as demandas mais emergenciais, como direitos trabalhistas e o pagamento de férias em atraso deixadas pela gestão passada”, afirmou Sartori.

Ele disse que que já existe plano de saneamento de cargos dentro da fundação para dar equilíbrio financeiro. “Nosso compromisso é tornar a gestão eficiente e transparente”.

Na semana passada, a prefeitura trocou o comando da Funsaud. O advogado Jairo José de Lima assumiu como diretor-presidente no lugar de Milton Batista Pedreira Junior, que pediu demissão alegando motivos particulares. Ontem, Alexsander Gonçalves Almeida foi demitido do cargo de diretor administrativo. Ele foi substituído por Daniely Heloise Toledo.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário