ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, SÁBADO  06    CAMPO GRANDE 25º

Interior

Vacina chega antes da morte pela covid em asilo com 31 idosos

Mulher de 77 anos e homem de 81 foram os primeiros imunizados no Lar do Idoso de Dourados

Por Helio de Freitas, de Dourados | 19/01/2021 13:38
Aos 77 anos, Élvia dos Santos Artmann foi primeira moradora do Lar do Idoso a receber a vacina (Foto: Helio de Freitas)
Aos 77 anos, Élvia dos Santos Artmann foi primeira moradora do Lar do Idoso a receber a vacina (Foto: Helio de Freitas)

A vacina contra a covid-19 chegou antes do novo coronavírus no Lar do Idoso de Dourados, segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul localizada a 233 km de Campo Grande. Nesta terça-feira (19), os 31 idosos da entidade começaram a ser imunizados com a CoronaVac.

Nenhum morador do local foi infectado pela doença. “Estamos felizes por conseguir salvar todos os idosos do Lar”, disse o prefeito Alan Guedes (Progressista), ao acompanhar a imunização dos dois primeiros moradores, ao lado do secretário estadual de Saúde Geraldo Resende.

Os primeiros vacinados foram Élvia dos Santos Artmann, 77, e Vicente Pereira Leme, 81. Além deles, moram no Lar outros 21 homens e 8 mulheres, com idades entre 60 e 101 anos. Todos serão imunizados, assim como os 19 funcionários.

“Não doeu nada”, disse Élvia, logo após receber a vacina. “Na minha idade tem que tomar vacina, se cuidar”, disse Vicente.

Veja o vídeo:

Instituição privada sem fins lucrativos, o Lar do Idoso de Dourados existe desde 1954 e sobrevive principalmente de doações e da arrecadação com eventos beneficentes, suspensos há dez meses por causa da pandemia.

O Lar do Idoso também mantém convênios com os governos federal e estadual, mas o valor cobre apenas 10% das despesas. Localizada na Rua Major Capilé, atrás da Escola Estadual Menodora Fialho de Figueiredo, a instituição tem capacidade para abrigar 45 pessoas, mas reduziu o número devido à pandemia.

Esperança – Dourados abriu de forma simbólica a vacinação de profissionais da linha de frente na luta contra a covid, de idosos residentes em abrigos e da população indígena no dia em que atingiu 200 óbitos pela doença.

O município recebeu 29 mil vacinas, suficientes para imunizar 14.500 pessoas com as duas doses. A maior parte das doses – 22 mil – vai para a reserva indígena, onde todos os maiores de 18 anos serão vacinados. O primeiro morador da Reserva Indígena vacinado foi o cacique guarani Catalino Aquino, de 74 anos.

Além dele e dos moradores do Lar do Idoso, foi vacinado o primeiro profissional de saúde da linha de frente, o enfermeiro Valdeci Santana. Ele trabalha no posto de saúde da Vila Índio, onde a campanha foi iniciada, e na UTI do HU (Hospital Universitário).

Nesta terça-feira, o secretário municipal de Saúde Frederico de Oliveira Weissinger informou que a vacinação dos profissionais de saúde será feita por equipe volante. No Lar do Idoso, todos serão imunizados ainda hoje. Já na reserva indígena, a vacina será aplicada pelo Dsei (Distrito Sanitário Especial Indígena), que pertence à Secretaria de Saúde Especial Indígena, órgão do governo federal.

Vicente Pereira Leme, 81, segundo vacinado no Lar do Idoso (Foto: Helio de Freitas)
Vicente Pereira Leme, 81, segundo vacinado no Lar do Idoso (Foto: Helio de Freitas)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário